Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Sinfônica abduziu na praia de Santos

O palco tinha forma de nave e quando se abriu para o espetáculo da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo à beira-mar, em Santos, testemunhei a 9.ª Sinfônia de Beethoven, abduzindo uma platéia composta de 15 mil pessoas de todas as idades e lugares da cidade e da região. Foi um concerto inesquecível e de apoio ao Programa Onda Limpa, de recuperação ambiental da Baixada Santista. Uniram-se para garantir esse acontecimento, o Carrefour, a prefeitura de Santos e a Sabesp, criando logo a expectativa que se repita no ano que vem.

Nada acontece por acaso. Santos já foi e ofereceu palco de muitas celebrações. Há uma resistência ao ruído na orla marítima, que não é velada. Na véspera do evento "OSESP em Santos", alguns moradores das proximidades da praia do Gonzaga haviam denunciado a possibilidade de barulho a Cetesb e, inclusive, representado ao Ministério Público com a mesma reclamação, temendo os acordes de Beethoven.

É aparentemente impossível comparar uma apresentação de uma orquestra com os shows corriqueiros na orla de cidades turísticas como Santos. Exceto quando essa comparação acontece com a carga de declaração de amor feita pelo regente John Neschling: "Estamos nos sentindo como se fôssemos uma banda de rock. Nunca tocamos para tanta gente junta e nunca tocamos num lugar tão bonito como Santos, para uma praia dessas. É a primeira vez; esperamos que não seja a última".

A música instrumental, vocalistas e coral, em estágios crescentes, hipnotizaram além da platéia. Das janelas dos prédios e dos ônibus que cruzavam pela avenida, era possível ver e ouvir o reinado da música clássica. Nas proximidades do palco-nave, abduzidos, não se ouvia um pio, mas fazia crescer a sensação de quero mais, ano que vem, sempre! 

Compartilhe

8 comentários em “Sinfônica abduziu na praia de Santos”

  1. Raul
    Sabia que vc pautaria o assunto.Não só pelo apoio da SABESP,mas pelo fato da OSESP ter maravilhado quem lá esteve.Me disse o Marcelo Lopes(dirtor executivo da Fundação OSESP)que nunca tinha visto um silêncio tão emocionante,tão vibrante.Verdade,foi grandioso.

  2. Já começou emocionante com o Hino Nacional. Quem esteve lá e viu aquele entardecer dourado no horizonte, ouviu a brilhante OSESP, o belo coral e a regência do genial John Neschiling até acreditou que Papail Noel existe. E nós que estavamos lá ganhamos nosso presente adiantado. Simplesmente deslumbrante.

  3. fafi pontes

    incrível, raul!
    reclamar da osesp fazer barulho? convido os conterrâneos aóparticipar de um fim-de-semana regado a horrorosos sons vindos da vizinhança.
    brincamos que bem que um pianista,violinista,harpista, poderia mudar-se para a casa ao lado! êh terra caiçara!
    as nozes e os dentes!
    fiquem muuuito felizes, pois cá, nos caraguatás, teremos um verão regado por muita música ruim, escolhida a dedo pela comissão de “cultura” e “turismo” da prefeitura.
    ô raul! a sabesp bem que poderia trazer a osesp para caraguá!
    garanto que daria muito mais que 15 000!
    difícil seria convencer o prefeito a colocar a osesp na rua!
    com certeza, exigiria a apresentação no teatro mário covas, sem acesso à população e cobrando ingressos carésimos.e, sim… traje de gala!
    bem, pelo menos tenho a certeza que os meninos da famíla, aí na terrinha, assistiram ao concerto, assim como a vó lucy, doida por ópera e clássicos e a comadre márcia cury, fanática pela 9a.!!!
    ai, as nozes…….
    pô, raul! nós tb queremos cultura!!!!!!
    abraços,
    fafi

  4. Leopoldo Pontes

    Caro Raul

    Amo a nona de Beethoven e só tenho gratas lembranças de ouvir essa sinfonia tocada pela OSESP, em Campos do Jordão.
    Tenho certeza que a apresentação em Santos deve ter sido maravilhosa, primorosa!
    Agora, gente reclamar que os decibéis da nona poderiam afetar seus ouvidos é, no mínimo, petulância.
    Caro Raul, traga essa maravilha para Caraguatatuba! Nós não reclamaremos.

  5. Alfredo de Souza

    Caríssimo Raul
    Fui abduzido, sim. Me senti sendo levado, flutuando, ao som da “Nona” de Beethoven desde os primeiros acordes de Neschling e seus excelentes músicos. Fiz parte daquele silêncio e como é bom “ouvir” o silêncio, ouvindo Beethoven. Sonho, agora, ouvir do genial Ravel seu sensacional “Bolero”. Pense nos acordes em crescendo de Ravel num por do sol envolvido pelo silêncio e derrubando o preconceito besta dos moradores das imediações que confundem música de qualidade com pauleira.
    Forte abraço do seu fã.

  6. Katia Carvalho

    Raul meu querido amigo, morri de inveja (da boa) em imaginar a OSESP tocando para um mundo de gente, em silêncio, ávida pela magia da música de Beethoven. Aos que reclamaram e resistem ao ruído na orla marítima, convido a todos a passarem o Reveillon em Coapacabana, embalados sob a “regência” do DJ Marlboro. Obrigada César Maia, não merecíamos tanto. Feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegrias e boas novas. Bjks. Katia

  7. Raul, foi muito lindo. Parabens a Sabesp, a Prefeitura de Santos e ao Carrefour pelo espetaculo. Parabens ao Edmur pela iniciativa e ao Carlos Pinto pela coragem de mais uma vez enfrentar os “donos da praia” e suas entidades fantasmas.Precisa ser muito idiota ou nazi-facista de carterinha para querer censurar a OSESP e a Sinfonia de Beethoven. Abraço

  8. Edmur Mesquita

    Poeta Raul
    Belo texto sobre “educação”.Crítico e, ao mesmo tempo, propositivo.
    Grato pelo apoio ao concerto da OSESP.No ano que vem, faremos o repeteco.
    Abraço fuerte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *