Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Saturnino, Covas e Serra. Ondas limpas!

O governador José Serra mantém legado do sanitarista Saturnino de Brito e do engenheiro Mário Covas, ao assinar os quatro primeiros contratos de obras de saneamento da Baixada Santista e do Litoral Sul. O índice de coleta e tratamento de esgotos hoje é de 53%. Após a conclusão do Programa de Recuperação Ambiental da região metropolitana das praias, do Porto e das indústrias, este índice será de 95% nos municípios de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

O evento aconteceu em Santos, na véspera do sexto aniversário da partida de Mário Covas (dia 5 de março de 2007). José Serra oficializou um programa que representa investimentos de R$ 1,23 bilhão do JBIC – Japan Bank for International Corporation, do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, e da Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. Destes, R$ 1,04 bilhão em empreendimentos de coleta e tratamento de esgotos e R$ 187 milhões em aprimoramento dos sistemas de abastecimento de água.

Há 100 anos, o sanitarista Saturnino de Brito criou um sistema de canais abertos em Santos, que se tornou um marco internacional. Os canais evitavam que a água do mar permanecesse parada, foco de criação de mosquitos, e a separava dos esgotos. Naquela época, deu certo o plano de Saturnino de Brito para combater e cessar epidemias que afetavam a cidade – febre amarela, malária, peste bubônica, varíola e tuberculose. A Sabesp e a Prefeitura de Santos se encarregaram de modernizar o funcionamento das comportas dos sete canais que cortam a cidade, bem como a captação dos seus detritos para o emissário submarino do bairro José Menino.

Essa atitude conjunta resultou na recuperação da balneabilidade das praias santistas, tão propalada desde 1990. Enquanto a cidade, juntamente com São Vicente, conta com 87% dos esgotos tratados.

Nessa linha histórica insere a disposição do saudoso governador Mário Covas, que durante o seu governo (1995-2001) recuperou as finanças da Sabesp, incentivou a despoluição e a recuperação do rio Tietê, além de ampliar a capacidade de coleta e tratamento de esgotos na região metropolitana de São Paulo, e de formular e iniciar negociações com o JBIC para o Programa de Recuperação Ambiental da Baixada Santista, que agora se concretiza com Serra.

A Baixada Santista surfará em ondas limpas, graças ao seu legado histórico.

Compartilhe

1 comentário em “Saturnino, Covas e Serra. Ondas limpas!”

  1. Valter Januário

    Realmente o governo do estado de São Paulo tem feito um excelente trabalho nos últimos anos e admito mesmo não tendo votado em nenhum deles.

    É uma pena que eu não possa dizer o mesmo das administrações municipais, que estão mais preocupados em aparecer na televisão e desfilarem como se fossem gente importante, gastando o nosso dinheiro e rindo da nossa cara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *