Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Mais ou menos R$ 1,99 (Pedágio popular do PT)

Pago, diariamente, R$ 15,40 na praça de pedágio do sistema Anchieta-Imigrantes. E posso dizer sem hesitação que uso as melhores estradas do Brasil. Um verdadeiro tapete asfáltico, sem falar na segurança e possibilidade de rapidez em comum acordo com os limites de velocidade. Juro que não invejo os usuários das futuras estradas pedagiadas pelo governo Lulo-petista, mesmo com as demagógicas tarifas de mais ou menos R$ 1,99. Para a ministra Dilma Rosseff (Casa Civil), os preços bastante baixos dos pedágios obtidos no leilão de estradas federais em São Paulo e Minas Gerais são resultado da estabilidade e do crescimento econômico.

O leitor recorda-se das lojinhas de quinquilharias importadas com as enormes placas de tudo a R$ 1,99 ? Pois é, o governo Lula da Silva promoveu leilão de 3.225 quilômetros de estradas federais e bateu o martelo para as propostas da empresa espanhola OHL – Obrascon Huarte Lain, que (ATENÇÃO) "deverá usar recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para fazer os investimentos nas estradas", para cuidar de lotes que somam 2.078 quilômetros. E a OHL venceu porque apresentou os valores mais baixos de cobrança de pedágio, justamente porque, reforçando a comemoração da ministra Dilma, "os lances foram bastante sensatos, levando em consideração a solidez da economia brasileira, a redução das taxas de juros e expectativa de grau de investimento do País".

A meu ver, duas das rodovias concedidas (BR-116 – Régis Bittencourt, entre São Paulo e Curitiba – e BR-381 – Fernão Dias, entre São Paulo e Belo Horizonte) receberão atenção completa antes tarde do que nunca. No governo Fernando Henrique, ambas mereceram obras, inclusive de duplicação, reduzindo um pouco a imagem de estradas da morte. Sexta-feira passada fui para Registro, encontrar o governador José Serra, e senti na pele a insegurança, principalmente no trecho de serra do município de Miracatu.

Como ignorava o leilão de ontem, pensei com os meus botões: ___ Será que o governo federal resumirá a sua atenção com as estradas federais apenas à operação tapa-buraco ?

Agora, com esse resultado, fazendo coro aos céticos com as excessivas ações de puro marketing do governo Lula, o pedágio popular do PT não será responsável pela redução da qualidade na manutenção das rodovias leiloadas ? Empresas que participaram e não venceram, não conseguiam esconder o ar surpreso com os futuros preços dos pedágios.

Creio que essa nova perspectiva faça parte dos primeiros movimentos de Mangabeira Unger (o ministro decretado para planejar a longo prazo). O governo Lula pensa nos pobres que se utilizarão dessas estradas, com os seus carros populares, consolidando a nunca antes vista integração nacional. Pensa longe para se diferenciar do jeito tucano de conceder/privatizar estradas, pois as empresas, nas suas condições de conceder/privatizar estradas, devem ter bala para sustentar os contratos, mesmo se perderem dinheiro.

O BNDES existe para quê, não é mesmo ? Também nos próximos lotes, além de repetir o pedágio popular, o governo pretende reduzir o prazo de concessão dessas rodovias de 25 para 15 anos. Fácil, não ? Morde o meu dedo…  

 

Compartilhe

15 comentários em “Mais ou menos R$ 1,99 (Pedágio popular do PT)”

  1. Amigo Raul…Caracas,a Industria Governamental,$apoiada$ pela Industria cultural das TVs abertas & Ass.de Im-prensa
    é um sucesso no arrastão dos corações e mentes do povão!
    O Governo Federal, agraciando as empresas da Espanha com pedágios em estradas esburacadas , mas já prontas, no primeiro instante (as eleições muncipais se aproximam) fará essa cobrança e uma parte do 1,99 será pra fazer caixa e frente aos trabalhos de benfeitorias, maquiagens e fantasias (o capitalismo tem um marketing inteligente de resultados ao cliente (vide a etimologia da palavra rsss), consumista do imediato a todo custo. Em princípio irá voltar dinheiro “quente” rssss pra agradar à gente!!
    Depois das eleições as empresas irão fazer adequações de preços…mui provavelmente..táticas e técnicas do capital
    que visa lucros e lucros a perder de vista rsss. Então
    é só esperar viver pra ver as reformas reais das estradas
    os preços revistos etc…e tal…neste País da Crise, da corrupção quase geral e do Carnaval…quase total.
    “Tudo será como antes…no quartel (sem fardamentos) do Seu Abrantes” rsss. Essa “tchurma” não dá seus pontoS SEM NÃ’S>>>LITERALMENTE NO DUPLO SENTIDO…SEM NÓS,consumidores
    E como sempre diz o Jayme Dayge aqui do Guarujá, para se exercitar na tolerância aos desgovernos locais.”-A ironia é o último refúgio da inteligência”; filosofia aplicada, pra contentar gregos e “baianos”,quer dizer, troianos rss
    Desafio o futuro pra me desmentir…pedágios populares kkk
    Um abraço e um ótimo fim de semana.
    Ivan Alvim

  2. Ricardo Muza

    Raul,

    Eu sou da opinião de que os pedágios nas rodovias paulistas poderiam ser mais baratos. Mas, há limites.
    Fico preocupado com os valores que serão cobrados pela OHL tanto na Régis Bitencourt como na Fernão Dias, por um motivo muito prático: eu conheço alguns dos trechos que essa empresa administra, através de algumas das concessionárias que controla em nosso Estado.
    E posso dizer com segurança que são péssimas.
    Cheguei até a escrever sobre isso em uma matéria para um site de automobilismo, citando o exemplo do pedágio de Araraquara SP, que custa R$ 9,00. Menos de 1 km após essa praça de cobrança, o asfalto apodrece e os buracos aparecem. Isso sem falar na rodovia Faria Lima, que liga Matão a Barretos, cuja duplicação total até hoje ainda não foi concluída.
    Tudo com valores de pedágio muitíssimos mais elevados do que os que serão cobrados nas federais.
    É preciso muita atenção……de verdade!!!!!!

  3. raul,

    qdo vi a notícia ontem e o valor do pedágio, pensei cá comigo, aí tem!
    fiz por dois anos inúmeras viagens para a região de itapira, sp.
    pagava pedágios em vários pontos, mas as estradas são absolutamente impecáveis.
    cada trecho uma concessionária.
    vamos quase todos os meses para campinas e a d. pedro é um brinco!
    prefiro pagar um preço justo, a reeditar o ‘barato que sai caro’.
    não tem o bolsa-família? agora criaram o bolsa-asfalto!
    mais um tema para piadas petistas.
    fala sério….

  4. Raul. Nesse assunto, temos que considerar alguns fatos que o Luiz Carlos Mendonça de Barros comentou outro dia. Primeiro: afinal chegamos a conclusão que a privatização das estradas é algo necessário e oportuno (afinal, 25% para a educação; 15% para a saúde; 50% para despesas com pessoal; sobra o quê?). Segundo: o tempo em a privatização ocorreu; lá atrás, o Estado de São Paulo (pioneiro) estava quebrado, sem recursos, necessitando de recursos em um tempo de economia ainda se estabilizando; hoje, a economia está estável, os juros menores e o Governo Federal arrecadando como nunca (sem nada dividir com Estados e Municípios). Terceiro: o modo de licitação, portanto, decorre desses fatores e mais o fato do Governo Federal não desejar implementar uma privatização igual ao Governo Paulista. Quarto: vencer uma licitação desse modo e com esses valores não garante cumprimento fiel e integral do contrato (tarifa pode estar subestimada, sem contar que quando iniciar sua cobrança os preços já estarão reajustados). Imaginemos que a CPMF não seja aprovada; que a arrecadação federal diminua; será que essa licitação de menor tarifa será mantida?

  5. Raulzito, salve!
    Primeiro, vou repetir publicamente o que lhe disse há poucos dias: quando crescer quero ter um filho igual a você! Segundo, parabéns por ser este cidadão sempre envolvido com as questões todas que dizem respeito à dignidade e ao bem-estar do indivíduo. Seu blog (nota 10!) é a oportunidade de conhecermos e participarmos, diariamente, das suas idéias e da objetividade com que vc as expõe. E, por fim, falando de estradas impecáveis, esse seu post me fez lembrar de uma coisa. Quando deixei Brasília, em 17 de abril de 2005, rumo a São Paulo, eu o fiz em um Palio Flex com pouco mais de um ano de uso. A bordo, o filho motorista e um labrador trapalhão. Como desafio, não apenas as 12 ou 15 horas de viagem, mas as estradas assustadoras que enfrentamos de lá para cá, desviando de buracos, desníveis assassinos, tentando adivinhar as placas de sinalização. Até entrar em São Paulo e respirar, não mais com o coração aos saltos. A sensação que tivemos é que estávamos chegando a um outro país, governado por quem se importa com a vida humana e sabe que ela tem um preço. E este preço não é mesmo R$ 1,99!!!

  6. Sr. Raul:

    Já que o Sr. acha justo pagar quinze contos de pedágio, na minha próxima viagem à aixada, vou solicitar ao caixa do pedágio que debite da sua conta, certo!

    Cara de pau, meu!!!

    Manocchi, Santo André, SP

  7. Raul Christiano

    Resposta a Manocchi:

    Não acho justo pagar R$ 15 de pedágio no Sistema Anchieta-Imigrantes. Defendo que ele seja reduzido, inclusive, mas considero que com o pedágio as nossas estradas, fora da mão do governo, melhoram muitíssimo. Os usuários pagam por estradas melhores, que antes; enquanto os não usuários não pagam mais inclusive por elas. Agora, pedágio popular a R$ 1,99! Não dá para acreditar nisso, a não ser que os “investimentos” das “empresas privadas” sejam cobertos permanentemente pelo BNDES. Aí fica feio. Grato pela sua leitura do blog e espero que participe com a sua opinião, sempre que puder!

  8. Raul,as concessões de estradas federais vão dar “pano pra manga” para os tucanos expricar o preço do pedágio nas estradas de São Paulo.O artigo de Elio Gaspari,Folha de hoje(14/10/07),é apenas um aperitivo.A coisa vai ficar mais dificil se deputados forem flagrados “consultando” o senhor Marcelino Rafart Seras,presidente do Grupo EcoRodovias,para escreverem seus artigos atacando a redução do lucro das concessionárias.Abraços.

  9. Luciana Canuto

    “Nem tanto ao mar e nem tanto à terra”. Os pedágios de São Paulo são caros demais e os pedágios que serão praticados nas “estradas do PT” estão perigosamente muito baixos.

    Uma média destas duas realidades seria o ideal.

  10. Luciana Canuto o que é estradas do PT? se vc acha que as estradas continuarão perigosas, ande nas estradas tucanas do PSDB. Todo dia a Anchieta tem uma pista interditada ( para obras) segundo a ecovias, ou será p/ redução de custo com pessoal na rodovia? Acho que o pedágio tucano não está dando p/ bancar a despesa.

  11. Luciana Canuto

    Caro Alvaro Gonzalez,

    acredito que deva ser um transtorno diminuir a velocidade numa rodovia como a Anchieta em plena hora do rush. Mas esta questão não tem nada a ver com a segurança do local. O pedágio realmente é caro mas o serviço prestado é de primeiro mundo.

    Agora, falando em estradas e figuras de linguagem: prefiro transitar nos caminhos seguros do PSDB do que entrar no mar de lama das rodovias do PT.

  12. Meu cunhado foi para minas e disse que a fernao ta um tapete.. O que o sr tem a dizer sobre isso?

  13. Raúl, você está equivocado. O valor das tarifas de pedágio em São Paulo são caras porque os tucanos venderam concessões ao invés de apenas transferirem as estradas para a inciativa privada conservar e administrar.
    Logo, o valor pago pela concessão está inserido no preço do pedágio.
    Procure pesquisar quanto custou a concessão da imigrantes divida pelo número de anos que a empresa poderá explorar o pedágio, depois pelo número de usuários que a pista tem.
    e você encontrará o valor que cada um dos usuários paga para retornar o investimento.
    Pesquise também o que foi feito com o dinheiro das concessões que os tucanos receberam.

  14. ve quanto vc ganha por mês e quanto a gente ganha.vc pode pagar pedagio e eu continuo sendo contra eles.eu sou assalariado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *