Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Parece “Second Life”, mas Peruíbe pode ter um Porto !

São Paulo vive um novo capítulo no seu desenvolvimento econômico. Recentemente o governador José Serra anunciou que a Sabesp duplicará os seus investimentos no período 2007-2010, chegando à casa dos R$ 6 bilhões, e que o trecho Sul do Rodoanel já iniciado consumirá pelo menos R$ 3,5 bilhões. Nesta semana, depois da publicação de notas especulativas pela imprensa sobre um grande empreendimento portuário em São Paulo, a resposta partiu da iniciativa privada: um forte grupo empresarial brasileiro saiu do anonimato para anunciar a construção de um moderníssimo porto no município de Peruíbe, a 70 quilômetros de Santos.

Suas obras envolverão cerca de R$ 5 bilhões, numa planta de 53 milhões de metros quadrados, para movimentar no futuro até 50 milhões de toneladas anuais, entre contêineres, carga geral, fertilizantes, grãos, minério-de-ferro e etanol. O "Porto Brasil", como já foi denominado pelos seus empreendedores, vai gerar 10 mil empregos diretos e vai fazer com que Peruíbe fique "de cabeça para baixo", segundo o empresário do Grupo EBX, Eike Batista. Seu sócio, da LLX, Ricardo Antunes, diz que a oferta de empregos indiretos é espantosa: "para cada emprego indireto criado, entre três e quatro postos serão gerados indiretamente".

Conforme as aplicações de maquetes preliminares sobre o mapa do Litoral Sul paulista é possível dizer que fica decretada a redenção econômica das regiões da Baixada Santista e do Vale do Ribeira. Tudo parece tão soberbo que chego a pensar que tudo não passa de um sonho. Ou melhor, virtualmente falando, que estou hipnotizado feito avatar no Second Life (ambiente virtual e tridimensional que simula em alguns aspectos a vida real e social do ser humano. Conforme explica a Wikipédia, dependendo do tipo de uso pode ser encarado como um jogo, um mero simulador, um comércio virtual).

Os estudos ambientais já foram contratados pelos empresários, que não escondem o desejo de começar as obras em 2010. Pensando o desenvolvimento regional em voz alta, porque as reações são positivas de todas as frentes para a concretização do "Porto Brasil", acabo de lembrar que as autoridades ambientais rejeitaram há poucos anos a implantação do "Parque da Xuxa", em Itanhaém. E os projetos são incomparáveis. É sempre bom lembrar que o Litoral Sul, apesar de mais descampado que o Litoral Norte, é entrecortado de áreas de proteção ambiental, Parque Estadual da Serra do Mar, reserva da Juréia-Itatins etc.

Por outro lado, faz pouco tempo que a rodovia Padre Manoel da Nóbrega foi duplicada, depois de anos de espera, e precisará de reforço em sua infra-estrutura, por conta do tráfego pesado de caminhões. Mas há sinais fortes e decididos emitidos pelo próprio governador José Serra, conhecedor desse cenário e na hipótese do empreendimento se confirmar: é possível retomar o plano de ter um acesso rodoviário direto entre o Litoral Sul e a Região Metropolitana de São Paulo, com a encantada Estrada de Parelheiros.

Além disso, conforme as previsões e dentro do seu leque de possibilidades, o "Porto Brasil" exigirá o prolongamento da duplicação da rodovia Padre Manoel da Nóbrega, de Peruíbe até a BR-116; sem falar no sistema ferroviário de Peruíbe até o Porto de Santos, com uso misto, ora de cargas, ora de passageiros. Não podemos esquecer  que o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, também revelou um projeto importante para a Baixada e que poderia se integrar ao novo complexo econômico: o aeroporto regional de cargas.

Para as principais cabeças locais do planejamento, a Baixada sempre teve no turismo a sua vocação natural – mar, praias, recantos históricos, lazer. Entretanto, sempre tratou com muito desleixo e amadorismo esse setor; porque a arrecadação tributária e os melhores empregos eram restritos ao Porto de Santos e ao Pólo Industrial de Cubatão, verdadeiras molas propulsoras da economia regional.

Se o "Porto Brasil" sair do Second Life, onde parece que ele está mais consolidado hoje, a Baixada Santista entrará num mundo novo, numa outra dimensão. Sempre  considerada a "porta aberta para o mundo", experimentará de fato e de direito esse momento de prosperidade.

 

Compartilhe

152 comentários em “Parece “Second Life”, mas Peruíbe pode ter um Porto !”

  1. Raul, mais uma audiência pública foi cassada da atual Sra.Prefeita e/ou ex-prefeita e cia., agora para tentarem mudar o plano diretor(PD) e assim beneficiar os empreendimentos portuários e industriais, menos em reserva indígena ou ecológico, na área do Taniguá, aquela mesma onde o Eike quer ou queria construir o porto brasil, sendo que este mesmo PD foi aprovado na mesma gestão destes que agora querem o mudar…, atitude um tanto que ESTRANHA desses “Legisladores” não???…

  2. Parece que nosso amigo Luciano está certo,no second life levanto-se capital para porto virtual,o dr.herdeiro do espólio Leão Novaes já recebeu a primeira parcela referente a compra da fazenda,o resultado das sondagens confirmaram o que estava no “mapa da mina” (presente de pai para filho)areia rica em urânio.Peruíbe assistira mais uma novela,e ficará mais difícil os ecochatos tentarem interferir no sinal pela segunda vez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *