Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Mais saúde, Brasil !

Doença de Lula põe saúde na pauta.

O mundo foi surpreendido com a notícia do câncer de laringe no ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Como era de se esperar, a reação do povo brasileiro, solidário por natureza, foi de comoção e torcida pela melhora na saúde de Lula. Por outro lado, os meios de comunicação e as mídias sociais passaram a explorar o assunto com o fato de o ex-presidente ser atendido no melhor hospital particular do país, o Sírio Libanês, em São Paulo, e não nos hospitais públicos, que ele havia dito que estavam perto da perfeição quando estava na direção do país.

Longe de fazer coro com as opiniões mais exaltadas, de ironia crítica de uma legião de pessoas indignadas com a qualidade atual da saúde pública no Brasil, o momento é mesmo oportuno para se discutir ações concretas para a melhoria do sistema financiado com recursos do SUS – Sistema Único de Saúde. Lula incentivou Barack Obama a implantar um SUS nos Estados Unidos, para a saúde custar mais barato e universalizar a sua qualidade e atendimento, durante o 9º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, em Olinda, no ano de 2006, mas cortou orçamento do mesmo entre 2003 e 2009, subtraindo-lhes R$ 17,6 bilhões.

Também nesta semana, a ONU – Organização das Nações Unidas divulgou os resultados do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano para 2011, apontando a perda de velocidade na melhoria das condições de vida do povo brasileiro. Dentre os quesitos avaliados, apesar dos pesares, saúde e renda estão acima da média global, mas a Educação aparece como o mais vergonhoso, porque o número médio de anos de estudo do brasileiro aparece estacionado em 7,2 anos, menos que o período de ensino fundamental completo.

Conforme os cálculos das Nações Unidas, nesse ritmo, o Brasil precisará de 31 anos para alcançar as condições educacionais de países onde se estudam em média 12,6 anos. Diante disso, é possível afirmar sem exagero que a atual geração está com o seu futuro comprometido para o pior, porque amargará o atraso em relação às novas perspectivas de desenvolvimento econômico e social do país, sem condições de receber a qualificação necessária para os melhores empregos e oportunidades de trabalho e renda.

Só que, na saúde, o retrato brasileiro nada influi para melhorar os índices mundiais do país. Segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, tendo como base a qualidade da saúde pública oferecida aos seus cidadãos, o Brasil foi classificado em 125º no ranking mundial entre 191 países. Nessa lista, o país perde para a Bósnia e Líbano, se igualando ao Egito; refletindo e comprovando as suas péssimas condições pelas filas dos ambulatórios e hospitais públicos nas quais se acotovelam os que precisam de cuidados médicos.

O ex-secretário de Estado e ex-ministro da Saúde, Adib Jatene, tem afirmado que o “problema da saúde no país não é a ausência de recursos de alta tecnologia ou profissionais competentes, porque isso nós temos. O nosso desafio é oferecer o acesso à saúde principalmente às populações de baixa renda.

O Brasil precisa ter estratégias de médio e longo prazo dos seus governos para resolver essas marcas negativas, que não são meramente estatísticas, mas que revelam a desatenção com todo o seu povo. Não há justificativa para os governos descontinuarem políticas públicas bem sucedidas, em Educação e Saúde, por exemplo, tendo em vista que o maior prejudicado – o povo pobre – não terá outra opção na vida sua e dos seus familiares, além das bolsas de míseros reais para enfrentar desafios que exigem muito mais de cada um.

Esse país desigual é que precisa de um jeito de governar mais responsável, sem ôba, ôbas. A melhor sorte do ex-presidente Lula, nesse momento em que a sua condição de saúde exige cuidados maiores, não é a mesma para o resto do país, que ele infelizmente não conseguiu consertar, além do discurso. O Brasil quer mais que tudo isso!

Compartilhe

6 comentários em “Mais saúde, Brasil !”

  1. uriel villas boas

    O câncer que atinge o Ex-Presidente Lula poderia ser usado como uma forma de fazer uma campanha no sentido de estimular os fumantes a largarem o vício. No Estado de S.Paulo foi criada uma lei sobre o consumo de bebidas pelos menores de 18 anos, mas ao invés de envolver as famílias,a lei ameaça os comerciantes de punição. Por que não aproveitar e fazer uma campanha unificada à partir dos municípios e dos Estados. E que se deixe um pouco de lado essa história de SUS, quando em realidade o que temos em todo o Brasil são problemas que dependem e muito da comunidade organizada na fiscalização da aplicação das verbas na saúde. E por fim, quem pode, tem plano de saúde e não entra na fila do SUS, como aconteceu com José de Alencar, Quércia, Itamar Franco e outros.

  2. Pq os ‘comentaristas’ (de jornais e da ‘oposição’)caem na esparrela que ‘desejar o SUS’ é uma agressão ao ex-presicente??

    Esquecem que foi ele quem declarou que a saúde no Brasil estava à beira da perfeição? Que foi ele que quis ficar doente pra ser atendido em postinho de saúde? Que foi ele que sugeriu a Obama seguir o ‘exemplo’ do Sus???

    Tentam relativizar o discurso ‘mentiroso’ do EX, só pq hoje ele tem câncer?

    E todos os ‘comuns’ que sofrem de cancer por esse Brasil afora tem que se dar por satisfeitos com o atendimento precário?

    NÓS não esquecemos as mentiras! Por mais que tentem desmenti-las.

    INACEITÁVEL essa ‘execração’ que insistem em fazer aos críticos dos discursos palanqueiros do hoje adoentado.

    Virou santo só pq ficou doente?

  3. 1o. O “protesto” é iniciado por xenófobos, muitos destes, filhinhos de papai que enchem a cara na balada e capotam seus lindos carrinhos importados (ps. e são salvos pelo SUS/SAMUs óbvio), e que em tom mórbido e cretino desejam que nosso ex-presidente Lula se trate pelo SUS.

    2o. Não perdendo a deixa, os anti-Lula de plantão, que claro, mantendo um fundinho de preconceito, dão força ao movimento (movimento similar ao CANSEI!) só que desta vez pouco ou mal informados (destes que assistem Globo, leem a VEJA, a Folha….) manifestam seu “protesto” a favor da saúde pública (como se dependessem da mesma…) e ainda argumentam “tem gente que espera na fila”, “tem gente que morre todo dia” e “blablablabla”.

    3o. Depois o inocente, movido pela ignorância desta vez, entende que o “protesto” é válido (bom momento este, utilizar a saúde alheia para melhorar nossos serviços de saúde) e da-lhe força.

    4a. Como não podia ser diferente os mais esclarecidos e coerentes, inclusive anti-Lulas, apartidários e afins (não podemos esquecer de FHC) chegam e falam PARA TUDO, que m. vocês estão fazendo??? E pipocam inúmeros depoimentos esclarecedores jornalistas, especialistas, comentaristas de política metendo o pau e detonando o referido “protesto”. Ai o mesmo movimento de uma hora para outra perde sua força…

    5o. “mimimimi” mas ele não disse isso, disse aquilo sobre o SUS e blablabla… PARA!

    Meu conselho: Se você participou deste movimento, sai de fininho, finje que não aconteceu nada e TORCE para que niguem lembre da M. que você fez.

  4. Instrutivo resumo da situação da saúde em nosso país.
    A maior doença é a imoralidade, essa não tem tratamento nem cura quando disseminada pela impunidade.

  5. No meu humilde ponto de vista, quero fazer o seguinte questionamento?

    A quem interessa:

    Educação de má qualidade?
    Saúde pública falida?
    Segurança inexistente?
    Saneamento básico, vá verificar em que posição o Brasil está no ranking de qualidade de vida.

    Pode ser que eu esteja enganado, mas, creio os nossos deputados e senadores defendem muitos interesses, mas, em último lugar está os direitos do povo.

    Não sejamos romanticos, quem acredita que o Lula iria se tratar no SUS, está sonhando.

    Na minha opinião, basta que a lei seja cumprida em defesa dos interesses da maioria.

    Exemplo: Voce vai num hospital público com a esposa gravida, não há leitos para atendê-la. A maioria do povo sai peregrinando por horas para conseguir o atendimento. Tudo isso seria evitado se o povo conhecesse seus direitos e brigasse por eles.

  6. E Lula jamais conseguiria consertar o Brasil.Afinal, enquanto estivermos à espera d um salvador nacional, em detrimento d uma população melhor educada e comprometica massivamente com a vida política de seu país, continuaremos a amargar péssimos índices e tristes histórias de vida.
    Enquanto tivermos tbm uma classe média tão limitada em seus horizontes, raivosa porém inerte p/ mudanças, q paga por tudo para ñ ter q exigir melhores serviços públicos, mas ñ hesita em explorar sua empregada doméstica, vai ficar difícil alguma mudança!Os pobres qdo resolvem se mobilizar e se organizar em movimentos sociais e manifestações usam as armas q têm, e são criminalizados.Os ricos obviamente nunca têm mto do q reclamar.A classe média baba de raiva mas ñ têm organização e mobilização política mais efetiva, de movimentos focados em metas e CONTINUADOS.Apenas pipocam um movimento cansei aqui ou ali associado a uma elite mais alienada.Vejo a transformação aos poucos, e é claro q tou generalizando e pintando as coisas com tintas mais fortes q a realidade, mas claro q é preciso mais.Sou uma q tenho convênio,mas volta e meia faço questão de ter atendimentos via sus,pq é meu direito,e pq é meu dever-ñ sou ignorante,ñ me tratam de qualquer maneira,sei exigir bom atendimento,sei fazer uma queixa pertinente,sei conversar com outros pacientes e poder conhecê-los e dar algum tipo de orientação enquanto estamos compartilhando uma espera por atendimento.(Sei q ñ é o foco desse post, mas tbm quero compartilhar: eu poderia como mto dar uma apertadinha aqui e ali e comprar um carro, mas entrar nessa loucura de trânsito e gastos?Nem pensar.Vou d coletivos e táxis, e assim me mantenho no olho do furacão q mais vale a pena: aquele q pressiona e exige um modelo d transporte mais inteligente p/ a realidade da minha cidade.) Vou tentando assim ler e me informar, mas sempre colocando no meio do meu discurso o q faço no DIA A DIA, e sempre ansiando q as pessoas tbm compartilhem suas soluções.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *