Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Feliz Ano Novo, de novo !

Quarta-feira de cinzas. Daqui a uma hora e meia, começamos 2008. No Brasil, é sempre assim, embora neste ano o calendário trouxe o Carnaval mais cedo, resumindo um pouco o tempo para o planejamento entre o final de dezembro e a fabricação das fantasias para comemorar o reinado de Momo. E, por falar em Rei Momo, as últimas horas do "ano passado" estão marcadas pela farra no uso dos cartões corporativos pelos componentes do grêmio recreativo federal Lula da Silva, que "homenageou" com os seus gastos incríveis até uma singela tapióca.

No período do Carnaval, a imprensa sofre com a falta de notícias. Mas apesar de ser caracterizado como um momento de fantasia, brincadeiras e folia, o Carnaval também tem caráter educativo. Durante os desfiles das escolas de samba, de São Paulo e do Rio de Janeiro, a apresentação de temas históricos, por exemplo, se transformam em aulas turbinadas pelos destaques das rainhas de bateria, a nos levar, por exemplo, para os 200 anos da vinda da família Real para o Brasil e da abertura dos nossos Portos; para os 100 anos da imigração japonesa e para os grandes desafios reservados à Educação.

Este ano fui ao sambódromo paulistano, na sexta-feira, primeiro dia dos desfiles. Não testemunhei, in loco, o Carnaval carioca, mas a exuberância de São Paulo já provoca muitas similaridades. Na verdade foi a minha segunda vez no Anhembi, renovando emoções e reverências. Teoricamente, "aprendemos" brincando com as relembranças nos enredos. Daí, imagino que tanto lá quanto cá, até os momentos finais da apuração das notas, é como acertar na mega-sena o nome da escola de samba vencedora.

Sem mais delongas, porque já estou quase de partida para iniciar o ano novo na Capital, uma palavrinha sobre o tema da última enquete neste blog – "Se você fosse um governante, qual a sua prioridade em 2008 ?" – e que definiu pela escolha da Educação (52%), seguida da Saúde (20%), Segurança e Emprego (9%, cada), Saneamento Básico (7%) e outras opções (4%). E-d-u-c-a-ç-ã-o foi o tema da Vai-Vai, vencedora do carnaval de São Paulo, inspirada na peça do empresário Antonio Ermírio de Moraes com o enredo "Vai-Vai – Acorda Brasil".

Então, orientado na opinião dos leitores e na consagração de sua apresentação no sambódromo paulistano, pela Educação e para acordar o Brasil para a hora da escola, vale reeditar um trecho comparativo que fiz no texto "Dinheiro de quem?" (postado dia 17 de janeiro), sobre a estatística alarmante dos saques com cartão corporativo no governo Lula: no ano passado, somaram R$ 58,7 milhões. O quê daria para fazer com essa dinheirama? O ministério da Educação poderia suprir a merenda de 14,9 milhões de crianças e o ministério das Cidades poderia autorizar a construção de 2.348 casas e/ou apartamentos populares.

"Tapióca pode?" – resigna-se o ministro dos Esportes, Orlando Silva, ao sacar o seu cartão corporativo para pagar com o nosso dinheiro, R$ 8,30 pela guloseima. Tapióca também não pode, ministro!

Olha o ano novo aí gente! Vamos dar um tempo agora para a fantasia!

Compartilhe

1 comentário em “Feliz Ano Novo, de novo !”

  1. Ernesto Donizete da Silva

    Companheiro Raul,

    O período carnavalesco passou e o ano de 2008 pode literalmente começar. O Governo Federal por sua vez, já está as voltas de uma CPI para apurar o uso abusivo dos cartões corporativos. Assim, os pupilos do Sr. “Inácio”, estão procurando mecanismos para impedir a instalação da CPI e chegam ao limite da hipocrisia e do autoritarismo ao tentar tirarem estas informações do site da Controladoria-Geral da União (Portal da Transparência) sob a alegação de que tais gastos são de interesse da Segurança Nacional. ABSURDO!!!

    A destinação do dinheiro público é de interesse de todo o povo brasileiro e os princípios norteadores da função pública deixam claro a necessidade e o dever da prestação adequada das contas que envolvam o erário. Portanto, Sr. “Inácio” veja se tenha a sobriedade de mandar apurar com lisura toda esta farra proporcionada pelo uso dos cartões e principalmente acabar com os saques em dinheiro. Fica claro que a maioria dos gastos é feita nesta modalidade por justamente não permitir o rastreamento da despesa.

    Agora, é óbvio que o Sr. “Inácio” não parece preocupado, pois existem gastos a serem explicados também pelo seu corpo de segurança – 149 mil reais, os quais também trouxeram ao cenário a sua filha com gastos da ordem de quase 50 mil reais – sem contar os demais absurdos amplamente divulgados pela mídia e que atingem os mais variados funcionários do Governo Petista.

    Por este motivo Raul, me responda: Para que possibilitar acesso à educação neste País?

    Se viermos a ter um povo culto, com senso crítico, com capacidade para não passar o dia discutindo o BBB, estaremos criando um verdadeiro problema para os que governam. Estas pessoas não comporão mais a MASSA DE MANOBRA, que somente é procurada nos períodos eleitorais. Uma vez no poder (com raras exceções), o que vale é a possibilidade de enriquecer se apropriando do dinheiro público, com os costumeiros conchavos.

    Educação é tudo! Mas o que esperar de um presidente que nunca se esforçou para estudar. Ele faz o que está dentro da sua capacidade – o que aliás é muito pouco – afinal o Presidente da República nunca sabe de nada, não é mesmo?

    Ernesto Donizete da Silva
    PSDB/Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *