Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Parece sonho, a decisão do STF.

Custa acreditar que o Supremo Tribunal Federal – STF tornou réus os 40 envolvidos no caso do mensalão, o maior escândalo da história do Brasil. No auge das denúncias de compra de apoios políticos no Congresso Nacional, o país assistiu com perplexidade a desfaçatez da classe política que parecia rir de todos nós. Os anos de 2005 e 2006 foram turbulentos, como nunca antes visto na história deste país. As principais figuras do governo e do parlamento, com muita promiscuidade, desmoronaram a credibilidade das instituições e geraram dúvidas sobre a possibilidade de um futuro com dignidade.

Num Estado democrático e de direito, as instituições são vitais. Entretanto o Brasil, sem que o próprio presidente da República percebesse os acontecimentos negativos à sua volta, na própria cozinha do poder central, experimentou o gosto amargo do fracasso da ética na política. Embora essa definição pareça generalizada, os políticos sérios e dignos – Franco Montoro, Mário Covas, Ulysses Guimarães, Tancredo Neves – não estavam mais entre nós para contrabalançar com os atores vivos e espertos a reinar em Brasília.

As denúncias pipocaram durante todas as semanas e rechearam páginas das principais revistas brasileiras. Jornais reproduziam degravações de diálogos entre os envolvidos em denúncias de formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro. Tevês e rádios multiplicaram entrevistas e flagrantes sobre coleta e remessas de dinheiro. Envolvidos renunciaram aos mandatos e os escândalos foram os principais temas de conversas em todos os rincões deste país.

Apesar dos pesares, o presidente Lula da Silva passou incólume pela crise moral e conquistou a reeleição. Deputados reconquistaram mandatos e se consideraram perdoados pelo povo. Uma longa lista de maus exemplos e o descrédito por causa da impunidade como regra geral no Brasil.

Pelas razões enumeradas, a notícia no final do dia de hoje, dando conta de decisão do STF, que reconhece os 40 principais réus, soa como um canto de esperança e crença. Ainda há jeito para este país. Isso pode ser apenas o começo. Vamos ver agora os resultados dos seus respectivos julgamentos.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *