Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Educação com professores e livros !

Paulo Renato Souza, quando ministro da Educação no governo FHC, foi o responsável pela avaliação dos livros escolares e também pela chegada dos exemplares aos estudantes antes do início das aulas. Parecem atitudes óbvias, de tão essenciais, mas isso não acontecia no Brasil. Paulo Renato conduziu também inúmeras reformas na Educação, a partir da sua gestão no ministério. FHC chamava esse trabalho de "revolução silenciosa" e o seu ministro, que fora secretário do mesmo setor durante o governo Montoro, nos anos 80, retornou à pasta na equipe do governador José Serra. Curiosamente, há pouco mais de um mês na secretaria de Estado, pronto para realizar o seu plano de trabalho, decidido pelo desafio de melhorar a qualidade da Educação, pipocam notícias sobre falhas praticadas pelo governo estadual na escolha dos 818 títulos de livros didáticos, de 80 diferentes editoras, distribuídos para a rede estadual de ensino. Não tenho receio de afirmar que esse fato cheira a sabotagem.

Cerca de cinco títulos didáticos e paradidáticos apresentaram distorções de conteúdos, linguagem e exemplos para crianças e adolescentes. Outro dia lí uma "denúncia" de parlamentar do PT alegando que havia um livro ensinando a produzir uma arma letal e que isso era "um absurdo do descaso com a educação das nossas crianças". Comentaristas de plantão em todas as mídias acionaram as suas metralhadoras giratórias, tentando ofender a história de Paulo Renato e do próprio governador Serra, a pretexto de carimbar a falsa impressão do descompromisso estadual com a Educação.

Ora, é evidente que tudo não passa de um jogo político, logo agora que o governador paulista encarregou um dos setores mais importantes do seu governo a um ex-ministro, figura das mais experientes e comprometidas com a Educação. Antes de Paulo Renato, a professora Maria Helena Guimarães Castro já realizava um excelente trabalho e experimentava reações adversas ao seu choque de gestão, principalmente quando verbalizou que o grande impacto no setor foi percebido ao reconhecer alta e claramente que os professores não são suficientemente preparados para lecionar, nem quanto ao rumo e método, nem quanto ao conteúdo.

O desafio de Paulo Renato começou por aí, num território de violência e agressividade em algumas escolas, na análise furada de alguns membros de comissões de especialistas educacionais – responsáveis pela avaliação dos livros comprados desde a gestão de Maria Helena, nos primeiros passos do novo secretário para criar uma verdadeira escola das escolas, para formação de professores, diretores e funcionários.

Nos sites de busca de informações encontrei algumas opiniões preocupantes sobre a rede de escolas estaduais paulistas: "Ela constitui um todo caótico onde, geralmente, alunos não estudam ou não conseguem estudar, professores não ensinam ou não conseguem ensinar, coordenadores não coordenam, diretores não dirigem, supervisores não supervisionam, dirigentes não gerem e não concebem".

Por isso sobra a impressão que a sabotagem da secretaria foi dirigida à opinião pública, para desmoralizar. Quem poderia acreditar que uma instituição como a Fundação Vanzoline, com curriculum renomado e inúmeros trabalhos de repercussão nacional e internacional, imprimiria um livro com a duplicação do Paraguai ? Quem ousa acreditar que Paulo Renato ou o próprio governador Serra fariam vistas grossas para o desleixo com os conteúdos dos livros distribuídos aos escolares de todo o Estado de São Paulo ?

Não é o caso de justificar um erro com a comparação pura e simples dos erros dos outros. Se os tucanos pagam um elevado preço pelos cinco títulos que estão longe das salas de aulas e das bibliotecas das escolas, desde a primeira informação sobre o acontecido, o quê dizer da denúncia divulgada pelo jornal "Agora" sobre a distribuição recente, pelo MEC, do livro "Um Contrato com Deus", contendo cenas de violência, sexo explícito, estupro e até pedofilia.

E sobre as críticas do presidente Lula, em mais um de seus discursos de improviso, à política de educação do governo de São Paulo: "nunca mais o mapa do Brasil vai ter dois paraguais" (sic). Sem comentários de minha parte. Por outro lado, é evidente que houve um erro na secretaria e é sabido que há uma sindicância para apurar o caso e punir os responsáveis. Confio na capacidade e na experiência do secretário Paulo Renato e na obstinação do governador Serra, para responder também ao anseio da sociedade, que tudo faria pela melhoria da qualidade da educação e da formação de todos os brasileiros, com a urgência que lhe é devida !

Monteiro Lobato deixou uma frase antológica: "Um país se faz com homens e livros". Para a reflexão dos prezados leitores faço a seguinte adaptação: Uma Nação se faz com homens, livros, professores e educação !

Compartilhe

25 comentários em “Educação com professores e livros !”

  1. Luciano Araujo

    Raul, saudades de suas “intervenções” didaticas por estas bandas, mas quando falamos sobre educação não há de se omitir ou fazer “corpo mole” ,temos que fortalecer o debate e colaborar em conteudo.
    Não me aterei a lamentar ou manifestar pesames no ocorrido.
    As entidades de classes ,sindicatos ,sociedade civil e demais membros da comunidade possuem a culpa da omissão.
    O metodo e os responsaveis por faze-lo carregam toda a cruz, estampam as cicatrizes e carregam os traumas.Assim como os louros da iniciativa ,da emenda, mas a oposição não apresenta resultados e outros caminhos possiveis eticos e progressivos, tratam o assunto em palanques.
    Raul , possa eu escrever uma pagina ,suspender o distribuir das ideias,como forma de opções;mas não posso deixar de mencionar que se não educarmos as massas ,mesmo que estas queiram todos os espaços, dai uma reforma se traduz em emergente, não há de falarmos em tropeços ou semelhança, erros são erros e opiniões são opiniões.
    O merito do trabalho do Paulo Renato ser publico e acessivel, um verdadeiro multifuncional, não será manchado por acontecimentos emnos expressivos que seus meritos. Enfim ,caminhemos sempre a frente, e em busca da verdadeira democracia, os numerologos que fiquem com os sufragios. Saúde! LuA.

  2. Marcelo Pimentel

    Caro Raul:
    Oportuna a sua manifestação! Quero ser solidário com as suas palavras, e mesmo não confirmada sua tese de sabotagem, não podemos deixar de render as homenagens a quem sempre tratou a educação com zelo e responsabilidade.

  3. Eu já tentei comentar sobre isso, mas não tive coragem, mas aceito totalmente essa possibilidade, pois esse tipo de ação é recorrente.
    Espero, sinceramente, que alguma investigação nesse país prospere.
    Vocês perderam a força desde que ajudaram o Lula a abafar o caso do prefeito Celso Daniel. O mundo inteiro viu o Lula procurando o FHC.
    Outros casos suspeitos de sabotagem, como os que ocorrem nos metrôs e aquele incêndio no Hospital das Clínicas.
    Oras, quem convive com o pessoal de certos setores, principalmente os profissionais da saúde e da educação, sabe muito bem qual a filiação partidária da maioria desses profissionais. Não seria difícil agir sem levantar suspeita.
    Até o acidente ócom o avião da Air France está sob suspeita, principalmente com os contatos estranhos que o nosso presidente mantém pelo mundo afora, com o terrorista iraniano, antissemita egípcio (nazista), governo norte-coreano, entre outros tiranos.

  4. Raul,

    Não sobra impressão de sabotagem ….. sobram certezas.
    Todos sabemos que tudo isso tem objetivos e endereços certos, como voce bem coloca.

  5. tá bom, sabotagem.. então a assinatura de revistas da editora abril e outros jornalões sem qualquer licitação sob a responsabilidade do super secretário de Serra também é intriga?

  6. fausto ivan

    Raul, seu artigo é claro e suscinto do que ocorre. Mas gostaria de comentar algo que me preocupa em educação. Tenho 2 filhos que estão terminando um curso “profissionalizante” (técnico em administração) na UMC, e que se estimularam a fazê-lo em virtude de poder trabalhar no sistema CIEE como estagiários. Um deles conseguiu trabalho em uma empresa, que em nehum momento a aproveitou na área de administração, evidente que com aquele salário de 600,00 e sem direitos trabalhistas. Afora isso tudo, ao longo do curso fiz avaliação e vejo que só aproveitarão o diploma como + um quesito em seus curriculos já que o que estudaram em um ano e meio só lhes deu “noções de administração” o que é insuficiente para um mercado de trabalho tão agressivo e exigente. As Universidades, ávidas por dinheiro, criam cursos “profissionalizante” as pencas e o MEC posa de revolucionário em matéria de educação. Os trabalhadores, jovens, fazem estágios que só beneficiam as empresas, que economizam custos e utilizam estagiários em funções incompatíveis com seus cursos. Portanto Raul, gostaria que você que é um expert em educação e que conviveu 8 anos no Ministério da Educação, comentasse se eu estou louco ou isso tudo é mais um lixo da mentirada governamental

  7. A educação começou a ser restaurada para mudar o destino de todos

    Educação com professores alunos livros, eles tem que engolir a seco por razoes pessoal da turma que se acham os donos da decisão sem consultar os interessados

    A situação da educação não e de um partido, e dos partidos e da sociedade inteira da mídia exigir o direito de todos estudarem na hora certa durante o processo de crescimento, desde a barriga da mãe ate o doutorado, vem com o resumo do futuro no projeto felicidade para todos isso vai dar condições de todos estudarem ate quem não estudou

    Parece que para isso começar a sair da ficção para realidade, a população ta preferindo votar em pessoas com a escola da vida, quando devia ser ao contrario

    O ministro da educação da ficção foi participar de uma reunião com os pais dos alunos e os professores de uma escola

    Ao perguntar se alguém tinha alguma coisa para falar, ouve um silencio por parte dos presentes na sala

    No momento que o ministro falou que ia encerrar a participação, uma mãe perguntou por que, a criança das escolas publica só tem passeios nos parques de diversões que são lugares privados

    Dispensando as visitas nos museus nos safáris e outros tantos lugares isso sempre sem permitir que os pais dos alunos ou professores pudessem dar sugestões de outros destinos variados para serem visitados pelos alunos

    A imprensa da ficção cobrou isso dos responsáveis para permitir a liberdade de escolha, será que aqui na terra a coisa ta precisando do ministro ir as escolas para ouvir

    Ate na escolha dos livros porque só um decide tudo o que acha que tem que comprar sem consultar os próprios interessados que são os alunos professores famílias especialistas da imprensa de terem acesso livre para participar das escolhas via todos os meios de comunicação

  8. Ricardo Zanoni

    Colo abaixo brilhante texto do blog do professor Hariovaldo de Almeida Prado em que ele, já no dia 31 de maio passado, antecipava pensamento semelhante à brilhante, sábia e inteligente sacada do Raul. Também concordo com essa tese, daí porque tomei a iniciativa de apor aqui o arrazoado do Hariovaldo. Haja vista que essa cambada lullopetista toma conta do mundo, numa pandemia de ações trágicas, terroristas e sabotadoras. Ufa ! – Santa Maria, mãe de Deus- já se pensa que possivelmente provocaram o acidente do avião da Air France. E mais, até agora abafaram o caso Celso Daniel, embora a Polícia paulista, sob o comando do PSDB há cerca de 20 anos, tenha concluído por crime comum. Decerto essa Polícia tucana não produziu as averiguações sérias e necessárias para desvendar o assassinato em tela por ter sido incapaz de perceber que estava sendo sabotada pela canalha petista. Bom, se a morte de Celso Daniel ainda vem à tona, precisa-se urgentemente desvendar a morte daquele ex-assessor de Yeda Crusius que depois de denunciar corrupções no governo gaúcho apareceu morto no lago de Brasília. Por enquanto está tudo silente. Acredito que os safados dos petistas estão igualmente abafando este crime. Chega, vamos logo ao escrito do Hariovaldo, pois sendo um brilhante professor deve saber do que fala sobre Educação. Contudo não esqueçamos, façamos como o nobre romano Catão a respeito de Cartago e copiemos dele o seu mote : “DELENDA EST LULA, PT E SUA CANALHA”

    “Em mais uma atitude torpe perpetrada pela ditadura lullopetista, agentes comunistas infiltrados no sistema educacional paulista preparam outra ação para causarem danos e até mesmo pararem as engrenagens do progresso educacional em nosso estado com uma greve amaldiçoada. Acontece que tais agentes querem somente prejudicar a imagem do nosso governador, manchando uma das áreas de maior sucesso administrativo de seu governo. Infelizmente esses peões plantados do bolchevismo conseguiram cooptar uma pequena mas barulhenta parte dos professores paulistas que entorpecidos pelas mentiras e enganações dos comunistas ficam querendo receberem muito mais do que são merecedores. Chegam ao cúmulo de exigirem aumentos exorbitantes, muito acima da inflação, para se tornarem verdadeiros marajás da educação. Esse insolentes fazem parte do ninho de marxistas atrozes chamado APEOESP, uma seita de fanáticos bolchevistas. Eles deveriam ir dar aulas no Acre ou no Piauí pois não estão a altura do digno salário que recebem e nem da honra de trabalharem no estado mais pujante da nação, um dos únicos ainda governado pelos homens bons.

    Esses infelizes das seitas comunistas e dos partidecos vermelhos não respeitam as autoridades constituídas, nem a disciplina e a ordem quando estão na presença de autoridades superiores, a quem devem respeito e devoção, partindo para a agressão e o achincalhe, coisa típica da gentalha.

    O que querem esses ingratos, tão bem tratados pelo governador? Quantas ferramentas lhes foram propiciadas para o excelente desempenho de suas funções? Quantos professores deste país tem a grande oportunidade de receberem de graça os melhores jornais e revistas do Brasil para assim poderem dar suas aulas da melhor forma possível, bem fundamentada, isenta e imparcial, já livres que qualquer resquicios esquerdista? Seria justíssimo que o nobre governador assinasse as revistas e jornais e descontasse dos populdos salários dos professores, mas não, num ato de extrema bondade não o faz, e mesmo assim a turba revoltada de mestres comunistas se esquece da gratidão e parte para a agitação e a baderna, fazendo greves e manifestos contra a eficiente administração Serra. Assim não dá. E cada dia mais os seguidores das hostes satânicas do marxismo adentram sorrateiramente na educação pública paulista. Agora chegaram ao cúmulo de se infiltrarem nas universidades estaduais para fazerem a prova da OAB e propositadamente serem reprovados somente para desmoralizar o governo. É revoltante essa sucessão de absurdos e canalhices dos aloprados a serviço da ditadura lullopetista.”

  9. desta vez dizer que foi sabotagem é uma proteção corporativa ao psdb. Tem muito mais coisa errada do que esta colocado este blog. Lamento, desta vez, o conteudo do seu blog…

  10. caro amigo raul.tenho 44 anos,e cheguei ao ponto de não esperar pelos outros.com relaçao a educação,faço o possivel.antes de mais nada.em minha opinião,quero frisar que escola é sempre será o segundo lar.estudei no colegio jose maria lisboa-no jardim ada saude-é um lugar maravilhoso pelo seu espaço tradiçao e amizade.foi tão importante para mim,que faço questão de reunir amigos,professores diretores e funcionarios da época para comemorar os 50a nos completados ano passado.que passou em branco.adoto esta escola,mais uma vez,só pelo fato de poder cuidar,limpando mantendo segura sua frequencia e aporximar os moradores.realizei eventos com bandas independentes e formei camperonatos de futsal nos finas de semana.raul o que quero dizer é que educaçao está nos livros,nos professores.A escola estaré lá com certeza,mas quem deberia por obrigaçao exigir ou colaborar são as pessoas que já se utilizaram do mesmo.nosso pais infelizmente cobra-se muito,mas compromisso com a educaçao ninguem quer assumir.nem mesmo quem está lá quer compromisso extra -horario aula:digo diretor ,professor, pais de alunos.querer é facil,exigir,é facil a questáo;quem se compromete com a escola nos finais de semana.quanto espaço sem atividade.os clubes tornaram-se particularese exclusivos.acabram com praças campos,e parques.ainda esperam melhorias no ensino?
    forte abraço
    luiz fernando magalhaes

  11. continuando -desculpe os erros de portugue ou pontuaçao.
    resumindo;Educação vem de berço,ensino busca-se na escola.
    desculpe o desabafo,sou de uma época em que professor era respeitado.não agredido por alunos,ou pior ser alvo de pais incompetentes.estudei na UNISATA em 1991.conheci o professor Patela e o Miltom Teixeira.certa vez conversei com o milton sobre um aluno,um amigo do curso de ciencoias da compuataçao que estav passando pro dificuldades e que não poderia quitar seus debitos até o final do ano.o professro respondeu:suas notas estão boas?como que precupado com aluno,e em seguida disse:pode fazer suas provas,depois voçe paga.como um credito aquele homem.obrigado professores por este gesto.

  12. ANDRÉ CAETANO

    Caro Raul – não tenho dúvida sobre a seriedade de José Serra e de Paulo Renato Souza. Mas falhas técnicas na condução de uma secretaria do porte da Educação não são admissíveis. Parece que o governador não precisa de mais inimigos políticos – está cercado por alguns !!
    Portanto, aguardamos atitudes mais firmes por parte do atual Secretário, pois teve desempenho elogiável no governo Franco Montoro. Lembro-me ter participado de algumas reuniões de discussões sobre a elaboração do Novo Estatuto do Magistério de São Paulo, quando presenciei a condução firme, democrática e serena de Paulo Renato. Sua condução do Ministério da Educação foi marcante, tanto que o atual ministro tem mais se preocupado em desfazer, descaracterizar ou transfigurar ações de seu governo, do que apresentar algo de novo para a sociedade. Afinal, se a atual educação vai mal, não é , com certeza, pela eficácia do governo Lula!!!

  13. alvaro gonzalez

    RAUL,PARECE QUE VC ESTÁ QUERENDO ABAFAR UM ABSURDO COMO ESSE DOS LIVROS DIDÁTICOS.COMO FALOU O AMIGO ACIMA ” FALHAS TÉCNICAS NA CONDUÇÃO DE UMA SECRETARIA DO PORTE DA EDUCAÇÃO, NÃO SÃO ADMISSÍVEIS.ISTO NÃO É SABOTAGEM, NÃO É JOGO POLÍTICO E NÃO SEI SE O PAULO RENATO E O SERRA FIZERAM VISTAS GROSSAS P/ O DESLEIXO COM O CONTEÚDO DOS LIVROS DISTRIBUIDOS P/ OS ESCOLARES DO ESTADO DE SÃO PAULO, COMO VC ESCREVEU ACIMA. ISTO É UMA VERGONHA E NÃO SABOTAGEM

  14. Catarina Furtado

    Raul, também penso que já passou da hora de discutirmos que educação queremos neste Brasil. Paulo Renato inciou esse processo e tenho certeza que frente a Secretaria do Estado, apesar de todos os contras que encontrará fará um excelente trabalho,mas que desta vez não seja silêncioso, para que outros não tomem para si os resultados positivos e entreguem os resultados negativos.
    Em relação as escolhas dos livros gostaria de esclarecer que as escolas públicas do Estado de São Paulo recebem dois tipos de livros: 1º livros didáticos que são fornecidos pelo MEC/PNLD, programa implantado pelo ex ministro Paulo Renato e livros paradidáticos(livros de histórinhas)esse enviados pela Secretaria do Estado de São Paulo e aqui é preciso dizer que esta é uma iniciativa do Estado de São Paulo, outros estados não possuem esse programa.
    Durante a gestão do Sr. Paulo Renato os educadores escolhiam não apenas os livros didáticos com os quais iriam trabalhar como os paradidáticos.
    Houve falha sim, tanto no MEC como na Secretaria de Educação do Estado, esse fato deve fazer com que os agentes educacionais fiquem mais atentos para n~óao jogarem fora o dinheiro público da educação.

  15. Ricardo Zanoni

    Abaixo sem comentários. Apenas uma dúvida : Será por acaso que o grupo Abril desanca tanto o Governo Federal e sua revistona semanal de jornalismo de esgoto, A VEJA, não cansa de criar factóides sobre esse mesmo Governo Federal e nada sobre o Governo Estadual Paulista ?

    ========================================================

    Do Site Observatório da Educação – 04.06

    Ministério Público entra com ação civil contra FDE da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo por caso Nova Escola.

    O Ministério Público de São Paulo propôs, em 26 de maio, ação civil de responsabilidade por ato de improbidade administrativa contra o Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação, a Diretora e o Supervisor de Projetos Especiais, ambos da FDE, bem como contra a Fundação Vitor Civita.

    A Ação, que tem como fundamento possíveis irregularidades no contrato firmado sem licitação entre a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) e a Fundação Victor Civita, requer a responsabilização dos agentes públicos por condutas que podem ser caracterizadas como improbidade administrativa.

    Trata-se do desdobramento do Inquérito Civil Nº. 249/2009, que apura possíveis irregularidades na aquisição de 220 mil assinaturas da revista Nova Escola pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Em 1/10/2008, a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) do governo estadual firmou contrato com a Editora Abril no valor de R$ 3,74 milhões, para a compra. Não houve licitação.

    A inexigibilidade da licitação foi justificada por “inviabilidade de competição”. Alega-se que o material adquirido possui especificidades e, por isso, não seria possível realizar a concorrência. Pela existência de outras publicações na área, e pela SEE não ter feito consulta ao professorado da rede.

    Número estratosférico

    O Promotor Antonio Celso Campos de Oliveira Faria, designado para o caso, solicitou à FDE esclarecimentos dos motivos da contratação. Na ação civil, ele destaca o apontamento, pelo professorado, da existência de outras revistas que poderiam cumprir com a função pedagógica proposta pela Nova Escola. Diz ainda que “causa estranheza o próprio volume de assinaturas contratado, já que as revistas poderiam perfeitamente ser encaminhadas à biblioteca das escolas públicas ou sala de professores”.

    Ele acrescenta que “em período anterior a este contrato, eram feitas 18.000 assinaturas e não o número estratosférico de 220.000″. O promotor afirma ser possível concluir que “houve a imposição de um único título aos professores da Rede Estadual de Ensino, beneficiando de forma inequívoca uma determinada instituição privada”, e afirma ainda que “os fatos são contundentes no sentido de que o Estado, através da FDE, gastou mal seus recursos, a partir de critérios pouco claros, realizando uma compra questionável do ponto de vista da pertinência e da necessidade, sem falar no aspecto jurídico principal que é o descumprimento da norma constitucional que exige a licitação para a compra de bens e serviços”.

    Para suspender os efeitos do contrato, a ação propõe medida liminar, pela “necessidade de intervenção imediata para cessar imediatamente as práticas delituosas”. Caso as irregularidades sejam comprovadas e os atos praticados pelos agentes públicos julgados como improbidade administrativa, os réus da ação poderão ser condenados a (i) ressarcimento integral dos danos causados aos cofres públicos em função do contrato irregular; (ii) perda da função pública; (iii) suspensão dos direitos políticos, de três a cinco anos; (iv) pagamento de multa e (v) proibição de contratar com o poder público, por cinco anos.

    Recentemente, o Observatório da Educação apurou, em reportagem sobre o caso, que a contratação de revistas e outros materiais sem licitação é prática recorrente do governo de São Paulo (leia aqui).

  16. O governador Serra tem toda a razão quando afirma que o problema do PSDB é a comunicação.
    Enquanto as “celebridades” conquistam simpatias e popularidade inútil, simplesmente porque passam a impressão de que são “bacanas”, independentemente de caráter ou competência, os tucanos, isolados, passam a impressão que estão “se lixando” para a população.
    Cada ação do governo ou conflito provocado por adversários, seja sabotagem, dossiê ou simplesmente calúnia (especialidades do PT) deveriam, sim, merecer uma nota de esclarecimento para desmantelar qualquer armação e, ao mesmo tempo, garantir a confiança e a credibilidade do povo brasileiro, que exige e merece a atenção de seus governantes.

  17. Professores, sim, aqueles que orientam seus alunos a pensar um país grande.
    Os grandes mestres jamais se conformam com a formação de menininhos, comandados por “inhos”, recebendo um “dinheirinho”, sobrevivendo com “salariozinho”.
    O que é “grandão” no Brasil?
    Impostos, ignorância, miséria, violência, corrupção, isso tudo só aumenta, enquanto o nosso povo é arrastado ladeira abaixo, contentando-se com os “inhos”.
    Enquanto olhamos para baixo, pouco enxergamos, nossos horizontes se encurtam, qualquer “inho” satisfaz.
    Apresentem-se os verdadeiros mestres, profissionais ilustres, iluminados, para ajudar a despertar o potencial de nosso povo, para mudar o rumo da nossa história, para reconduzir esse gigante que desce a ladeira, mas que precisa aprender a subir a serra, porque é lá no alto que devemos chegar.

  18. Raul, este negocio de distribuir livro de sacanagem para crianças é complicado, deixem elas crecerem um pouco mais. Agora livro com dois Paraguai é demais, parace mesmo sabotagem.
    A desinformação sobre a America Latina já é grande, agora mais essa? Depois essa gente quer que o governo Lula invada a Bolivia, corte relações diplomaticas com a Venezuela, Equador, etc…
    Agora preocupante mesmo é esta aposta do PSDB(segundo materia do “Estadão” de 21 de maio-A6) na neurociência para voltar ao poder.
    Raul, você não vai se dedicar a estudar ressonância magnética da função celebral dos amigos ou de outros muitos mais que apoiam o Governo Federal. Já basta o Lula dizer que quem tem mais de quarenta anos e permanece na esquerda não é bom da cabeça, claro que o cara estava brincando, mas vc não vai levar a serio estas maluquices.
    Abraço.

  19. Noffaaaa, que sublime!

    Paulo Renato não é o tal que submete texto à apreciação de poderosos antes de publicar?

    Quando Ministro da Educação transformou o livro didático nessa porcaria que temos por aí.Tudo foi equadrado no modelito sócio-histórico adorado pelas esquerdas.Autores que não se enquadraram não foram aprovados pelo MEC.
    Ademais,não fez nada do que deveria ter feito:acabar com a promoção automática,elevar a média para a aprovação,selecionar os melhores via exame de admissão para escolas públicas, como era antes,quando escola pública era sinônimo de qualidade.
    Foi um dos arquitetos da falácia “toda criança na escola”, sem qualidade,transformando escolas em crechões,professores em babás.A obrigatoriedade da frequência escolar era só para os vagabundos dos pais receberem o tal bolsa-escola.Vincular recebimento ao desempenho que era bom?nada…

    Tem grandes seguidores na sua saga de transformar escolaridade em terceirização da “educação”,esta,sim,obrigação dos pais e não dos professores.Depois dele,na escola,faz-se de tudo, menos estudar,sentar bundinha na cadeira e queimar pestanas em cima de livros.
    Que saudades das escolas de antes que ensinavam até latim,dois ou três idiomas,cálculos.Hoje é só recreação,tudo lúdico,crechão.

    Aqui em SC o PSDBosta está enterrando de vez a pouca qualidade que ainda havia nas escolas públicas.O Conselho Estadual de Educação aprovou resolução no final de 2008 proibindo reprovação de alunos que não sabem nem as letras do alfabeto.Não reprova nem por faltas,desde a primeira série até Ã terceira série.A desculpa é o tal ensino de nove anos, que transformou a primeira série em mero prezinho,tudo lúdico,sem obrigação de alfabetizar…Como, segundo o modelo adotado, o tal processo sócio-histórico…,a alfabetização ou letramento pode se prolongar até a terceira série,não é mais coisa de primeiro ano primário,os alunos chegam as séries finais do Ensino fundamental completamente analfabetos funcionais,ou acham que de quinta em diante os mestres vão fazer o que não foi feito em 4 anos?Ahh sim,eles querem que os mestres resolvam a defasagem com aulinhas especiais,no contraturno,não é lindo?Como se todos os professores ganhassem 40h/semanas,dois turnos,direto na mesma escola…Acho lindo:internato para professores, mas alunos? ora,ora,estudam se quiserem,como nunca querem pois passam mesmo…Tem tabela fixa:aprovação tem de ser de 70% das turmas, todas,todos os níveis…A média que antes era cinco,para inglês ver,agora é três.Antes para tentar uma nota dez no exame final( depois de trocentas chances de recuperação durante o ano),tinha de ter uma pontuação mínima;se tivesse, digamos,média dois ou três,nem tirando 10 no exame passaria.Agora não; se tiver um três de média,vai pra exame mesmo precisando de mais de 10…Se tirar o 10(milagres acontecem),junta com o três e graças a uma fórmula matemágica passa, é aprovado.
    Sem falar que pode faltar até 50% dos dias letivos.

    Não é lindo?Coisas do PSDB daqui…Os petistas com diploma,com fita de intelectuais,só fita…

    Paulo Renato é burro.Só burros se tornam Ministros da Educação “neztepaifz”.

    Ainda bem que meu martírio acabou.Depois de 30 anos dando murro em ponta de faca,querendo qualidade a toda força,para quem tem cacife mental e não para quem não nasceu para a vida acadêmica(nem todos nascem para isso), me chegou o dia do descanso da guerreira,duas vezes roubada por duas reformas,uma do maldito PSDB e outra dos duas vezes maldito PT.

  20. alvaro gonzalez

    PARABÉNS DONA LI.

    COMO JÁ FALEI OUTRAS VEZES OS PARTIDOS HOJE SÃO FARINHAS DO MESMO SACO.

    ACABEI DE VER A PROPAGANDA DO PSDB AGORA NA TV.
    EM TRES MINUTOS DE PROPAGANDA O PSDB FALOU ” O PT ” UMAS DEZ VEZES.
    O PSDB NÃO PRECISA MOSTRAR O QUE O PT É.
    O PSDB PRECISA MOSTRAR O QUE PRETENDE FAZER.
    PELO VISTO NÃO TEM NADA P/ MOSTRAR.
    LAMENTÁVEL.

  21. Daniel Teixeira de Lima

    Raul,
    Mais uma vez admirável seu artigo.
    Fui Secretário de Educação entre 2005/2006 em Juquitiba e pude ver e viver (num município com pouco mais de 30 mil habitantes) como é difícil administrar e mudar o rumo da educação neste país. Mas não impossível.
    Lembro-me que o alckmin falava que “só errava que tentava”, pois é, inegavelmente pode ter havido erros, mas não podemos negar que está havendo melhora na Educação Paulista.
    Acredito nesta melhora. Sou Educador e tucano, e como costumo dizer aos meus alunos: quando tinha 14 anos (isto em 1992), conclui o Ensino Fundamental em Escola Pública. Não tinha possibilidades ($$$$) sequer de prestar vestibulinho na hoje IFET (antigas CEFETs), nem nas antigas ETEs. Prestei numa antiga ETESG (hoje também ETEC). Para se conseguir vagas na Escola pública no Ensino Médio você tinha que dormir pelo menos uma semana numa fila, para pegar uma senha e torcer para conseguir a vaga. Hoje é de fato universalizado. Claro que uma mudança deste naipe é pouco difundido.
    Claro que é preciso ter atenção, mas não podemos condenar nem a Ex-Secretária Prof.ªMaria Helena Guimarães, nem o atual o Prof. Paulo Renato.
    a obstinação do Governador José Serra tem que virar uma obstinação de todos, e como se sabe há gente que torce para o “quanto pior, melhor”, infelizmente.
    Em tempo: Graças a Deus, segundo o SEADE (o IPRS) divulgado neste ano, Juquitiba saltou no ranking de escolaridade da 431ª colocação em 2004, para a 200ª em 2006, fruto do nosso trabalho obstinado (e tucano!).

  22. Caro Raul,

    Acompanho a educação pública paulista a um certo tempo. Para ser exato, desde 95, quando entrei na faculdade.

    Não creio que o que coloca nesta postagem seja um absurdo, que não possa ter existido. É muito possível que tudo o que relata tenha rolado.

    Contudo, o Sr., de modo interessante, não faz referência aos secretários e secretárias de educação dos governos do PSDB de Covas e Alckmin.

    Não teve uma única eleição para o governo paulista que os candidatos do PSDB não tivessem prometido, através de programas de governo, uma melhora sensível da educação e, infelizmente, esse fato não se verificou.

    Muitos índices são usados por governos e oposições para provar ou acusar. Eu gosto de um índice: aprovação na FUVEST.

    Especialmente, a aprovação de alunos oriundos da escola pública paulista nos cursos mais concorridos da FUVEST.

    Não creio que enquanto um adolescente estudioso, mas que tenha os pais pobres, não puder ser o que quiser, inclusive médico formado pela USP, não haverá democracia.

    Minha Tia está a concluir o ensino médio em supletivo oferecido por uma escola pública paulista. Lá o choque de gestão não fez a menor coceguinha.

    Uma colega de minha tia se matriculou com ela no curso no começo de 2008. Após um mês de aula, ela se mudou para Goiânia e, por tanto, não freqüentou mais as aulas. No entanto, o nome da habitante de Goiânia consta a lista de chamada do 3o ano supletivo.

    Ou seja, não é cobrado nem a presença. Só é necessário a matrícula. A mesma situação ocorre com vários outros estudantes que nem aparecem nas aulas, mas moram na paulicéia.

    O mais absurdo é que a escola é considerada umas das referências do ensino público. Não fica em um bairro de periferia; muito pelo contrário, ao lado dela há shopping e apartamentos feitos para as classes A e B.

    Entendo a sua posição partidária, mas a educação e a segurança do Estado de São Paulo não estão muito diferente do que eram.

    Com relação à queda dos índices de violência, quando o seguro do meu carro ficar mais barato, eu acreditarei. Enquanto isso, fico com a passagem do filme Tropa de Elite sobre os índices de violência.

    Saudações,

  23. Caro Raul:
    Fico grato por esta oportunidade de manifestar opiniões, entretanto, não sei de qual universo você esta falando quando relata melhoras na educação com FHC. Infelizmente por pertencer e agir tão quanto ao antigo presidente, o atual governador do Estado de São Paulo empossou Paulo Renato como secretário da educação.
    Ao contrário, do que colunistas de direita vivem copiando (Ctrl+C; Ctrl+V), este secretário nunca fez um bom trabalho na educação, seja no ensino superior e/ou ensino básico. Nesta atual secretária o mesmo vem se mostrando intocável, quebrando e concordando com quebras de direitos conquistados pela classe dos professores.
    Não obstante, em nenhum momento o PT poderá ser condenado como culpado da atual má gerencia da educação paulista, pois os governos anteriores foram Covas e Alckmin, os quais também não importaram por melhorias na educação. José Serra não aceita e não aceitará assinar o plano de carreira dos profissionais da educação. Enquanto isso, diz que está fazendo muito, distribuindo cadernos dos alunos com erros gráficos, quantidades exorbitantes aos números de alunos matriculados nas séries – escolar. Deste modo, secretário e governador, metem à imprensa hipócrita que o salário do professor inicial no Estado de São Paulo chega a 1.800,00 Reais por mês. De que Estado estão falando! Não tem um professor com jornada inicial que ganha este valor.
    Não obstante, a falta em investimentos estruturais dos prédios principalmente das escolas do interior, da zona rural e das periferias. Gestão antidemocrática, ditatorial e excludente sim, pois continua favorecendo com sua postura a proliferação de escolas particulares os quais, continuam sendo os maiores aprovadores dos vestibulares da FUVEST e VUNESP. Quantos e onde, são os alunos das escolas públicas que são aprovados neste vestibular. Pela quantidade de escolas públicas os números deveriam ser inversos da realidade, pois o número de alunos matriculados na dita pública é superior aos discentes das escolas particulares.
    Para não ficar com a imagem impopular, ambos vem atacando a classe de professores dizendo que estão despreparados, ou seja, culpando os mesmos pela ma qualidade da gestão pública.
    Mesmo assim, uma minoria ainda teima em dizer que Serra faz um bom governo, que Paulo Renato é um excelente secretário da educação. Não sei se todos estão cegos! Ou, se estou imaginando coisas! Devo estar louco!
    Felizmente, não estou totalmente maluco, mas a educação e a saúde que o governador diz ser seu ponto chave de gestão está indo de mal a pior. Diversas pessoas morrem sem nenhum atendimento, devido as grandes filas que aglomeram os hospitais (que agendam lista de um ano de espera a mais). Faltam atendimentos básicos dos quais destaco: melhorias nos atendimentos odontológicos, psicológicos, dermatologistas, ginecologistas, entre tantos outros que não quero prolongar devido a exorbitante lista.
    Ilegalidade ao privatizar o SUS em São Paulo, com entrega de Hospitais públicos sem licitação, o qual não cumpre com o principio de igualdade, da publicidade, ofendendo os princípios éticos da Constituição Brasileira.
    Deste modo, ainda podem dizer que este Estado esteja bem administrado.
    Saúde um caos, educação está um lixo, saneamento básico quase não existe basta ver as imagens das ultimas enchentes da grande metrópole (paulicéia), infra-estrutura em construção de casas populares quase não existem, pois, as poucas que estão sendo entregues são utilizadas com a logomarca do governo do estado de São Paulo, quando, na verdade estão sendo construídas com parte do recurso Federal do Plano Minha Casa Minha Vida (bandeira do governo federal).
    Nunca neste Estado, tínhamos que pagar para ir e vir, ou seja, onde está o nosso direito básico da Constituição Federal que defende o direito de ir e vir, as praças de pedágios é uma aberração aos direitos básicos.
    Não quero ser o mestre do apocalipse, mas! Caso não seja feito um real investimento nos setores citados acima, chegará um momento que este Estado irá parar, por falta de pessoas (mortos por não serem atendidos nos hospitais), ou por fome de conhecimento (educação).
    Sei que falei diversos temas, mas era este o intuito, pois é esta a realidade atual do Estado que diz ser o mais rico do Brasil, onde na verdade há muito tempo já não é mais o carro chefe (o trem) que puxava o restante dos Estados brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *