Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

A incrível história da “Tríplice Aliança” em Santos

O jogo não é realizado às claras, mas a população santista está percebendo as mudanças de comportamento em alguns dos seus políticos mais conhecidos. Alguém poderia imaginar num mesmo palanque, Telma de Souza, Beto Mansur e Vicente Cascione ? Notas na imprensa, analistas na porta do Café Carioca do Centro e até as estátuas dos leões na praia do Gonzaga comentam a pesquisa mais recente da Enfoque Comunicação/Jornal do Boqueirão, em que a ex-deputada federal do PT aparece em segundo lugar, nove pontos atrás do primeiro colocado, o atual prefeito João Paulo Tavares Papa (PMDB). Nos últimos doze anos, Telma sempre saiu na frente e com o tríplo da intenção de votos dos seus adversários mais próximos.

Há muitos leitores deste blog que não vivem na região de Santos. Mas sempre que me encontram perguntam sobre Telma, antes de qualquer outro nome. Afinal ela teve o seu momento político na cidade, graças principalmente à revolução promovida na saúde pelo seu secretário e médico David Capistrano Filho.

Ronda sobre essa história, o deputado federal Beto Mansur (PP), que foi o responsável pela derrota de Telma três vezes consecutivas. Duas vencidas por ele mesmo e uma pelo seu ex-vice, Papa. Apesar disso, surgiu pesquisa, Telma liderava com folga.

E Cascione ? Vicente Cascione disputou a sua primeira eleição e perdeu para David Capistrano, em 1992. Todo mundo sabe em Santos que ele não dá importância para os partidos. Nessa eleição, ele concorreu pelo PDS. Mas em 1994 conseguiu o seu primeiro mandato de deputado federal pelo PTB; em 1998, perdeu. Em 2002, no PSB, retornou ao Congresso Nacional, como deputado federal. Antes de tomar posse, retornara ao PTB. Em 2006, não conseguiu se reeleger.

O leitor quer saber onde uma história liga outra ? TentareI explicar, resumindo o quê escreveu o jornalista Jairo Sérgio, do Jornal do Boqueirão, sobre conversas atribuídas a Telma pelos quatro cantos da Cidade, da vontade de ter o apoio de Beto. Isso porque Beto que apoiou Papa agora estaria livre e desimpedido, porque "rompeu" com o prefeito e havia se reaproximado de Cascione, que reconciliou com Telma no governo Lula.

O quê motiva a união deles e enseja a formação de tal "Tríplice Aliança" ? Possivelmente o resultado da última pesquisa da Enfoque (entre 29 de setembro e 3 de outubro). Para os leitores de fora, merece destaque a informação que a Enfoque é empresa de comunicação que faz pesquisas e que mais acerta os seus resultados eleitorais na região. Conhecendo esse prestígio estatístico, embora a pouco menos de um ano das eleições municipais, a soma dos três pode ser igual a um candidato ou candidata a prefeitura de Santos.

Se o leitor não teve acesso a esse resultado de pesquisa, observe os seus números: Papa (PMDB), 19,0%; Telma (PT), 10,5%; Beto Mansur (PP), 3,0% e Cascione (PTB), 1,5%. Nunca antes na história de Santos alguém poderia imaginar os três num mesmo palanque, e com um mesmo objetivo: derrotar Papa.

O custo político está na alteração da biografia de cada um: Cascione, que sempre foi anti-PT, virou vice-líder do governo do presidente Lula (PT); Beto, que se identificava com os mesmos propósitos de Cascione de anti-PT, rompeu com o ex-deputado nos discursos pela cidade e região no primeiro governo do PT, mas agora resgatou a identidade, porque o seu partido, PP, faz parte da base de sustentação de Lula. E Telma ? A combinação de Telma merece um parágrafo exclusivo:

Telma sonha voltar para a Prefeitura, adora ser chamada de prefeita e sabe que, hoje, sem o apoio dos dois, perderá a quinta eleição municipal. Mas isso também tem um custo político: Ela é a primeira suplente do PT na Câmara dos Deputados, mas não esconde o seu esforço de se legitimar na "Tríplice Aliança": na quinta-feira (25), vai lançar, com a chancela do seu instituto de estudos, um prêmio para universitários, durante palestra de DELFIM NETO !

Delfim Neto é o convidado especial de Telma, quem diria !? Da própria Telma de Souza, que mandou publicar informe publicitário nos jornais da região com um enorme NÃO PERCAM !!!  

Compartilhe

5 comentários em “A incrível história da “Tríplice Aliança” em Santos”

  1. Raul.
    Gostaria de não me intrometer na política santista, uma vez que hoje em dia, tenho uma profunda admiração por esse muncípio a transpirar cultura por todos os poros, nas atividades de arte, educação, comunicação, de saúde, ciência, esporte, lazer, etc… no corpo social dessa comunidade ímpar do Estado de São Paulo, que se encontra diariamente nos pontos de encontro da vida social.
    Santos é uma referência para mim, que neste arquipélago litorâneo estou em Guarujá, hoje, “cidade fantasma”, na minha percepção, sem até entrar nos atuais “de”méritos” administrativos, nos quais prevalecem atos de polticalha
    nos seus mais baixos níveis culturais que só “renascem* a Cidade de Guarujá, como apêndice (zona azul ou sul) de São Paulo, capital e interior do Estado durante o período sazonal das férias de verão.
    Nós, do PSDB local, contando com bons quadros políticos representativos, do vice Prefeito, e de dois vereadores estamos planejando reeditar a Guarujá que tinha um viver comunheiro diuturno, reconstruindo um plano político na visão idealista, voltado para o resgate político-cultural,
    mirando a Ilha do lado, onde todo dia acontece com muita qualidade a convivência humana nos centros das afinidades eletivas da sua gente. O povo exercitando a sua cidadania.
    Sua liderança, pessoal visível em Santos, e dos grupos que
    estão em sintonia, nos seus respectivos partidos políticos
    afinados nesse mesmo diapasão, nas agremiações partidárias
    não podem mesmo ficarem alheios à contaminação da busca e fins a justificar os “podres poderes” a qualquer preço.
    Só a consolidação, nos meios sociais, do sentido da ação política dinâmico-administrativa que levou Santos a esse
    patamar alto, nas ações sócio-culturais fará o bom amanhã.
    Raul, essa *tríplice aliança* configurada por linguagens comportamentais Históricas conflitantes, não irá empolgar
    o povo esclarecido como o de Santos. É a “Torre de Babel”!
    A auto-imploesão é inevitável…gregos e troianos? kkkkks!
    Ivan Alvim

  2. …Pois é, difícil de acreditar! Mas li isso tb. na imprensa local. Telma, Cascione e Beto juntos…O que mais falar? Tradicionalmente neste País todos os partidos fazem alianças estranhas ( PSDB com o PFL, por exemplo em 1994 e o PT e o PL em 2002…), mas essa é demais!!! O Raul já disse, creio eu, quase tudo que precisava ser dito. Lamento profundamente que essa aliança venha a se consolidar. Será o fim do pouco de respeito aos programas dos partidos políticos que ainda existe. Para a História da nossa cidade é um retrocesso, verdadeiro passo atrás. Enfim, como diria o padre: oremos!

  3. ai de mim!

    delfim netto? com thelma?
    raul, pára o planeta que eu quero sair!
    cadê a compostura? cadê a ética?
    deve estar nas ilhas cayman passeando com o ex, aquele, o do senado, sabe?
    santista ferrenha, embora cá, do lado norte do litoral,
    acompanho a política daí com fervor missionário.
    cada vez que abro o blog, levo um susto!
    gente! a idade não permite certos acontecimentos!
    que é isso?
    os leões urram gonzaga afora?
    minha memória é muuuito boa!!!!
    a terra santista estremece pelo retrocesso e de vergonha!
    por aqui, a coisa vai no mesmo andar, só que não de carruagem.
    a dança das cadeiras começou e todo mundo quer fazer aliança aqui e acolá.
    é melhor fechar a boca, antes que entre mosca e o queixo não volte pro lugar!
    e que venha um pastel de carne do ‘carioca’. esse, pelo menos, não muda de receita. honestíssimo!

  4. raul,
    achei um termo interessante na sua fala: BIOGRAFIA!
    muita calma nessa hora, quem pode pode!
    e que não pode?

  5. Wendell Oliveira

    Raul,
    eu não consigo entender o por que da Telma não ser Prefeita novamente.
    Ela falava do Gás em Santos e o Beto Mansur dizi que era balela kkkkk

    A Telma tem tudo para bater o recorde de votações para vereadora. E com isso ela volta ao cenário político da Baixada Santista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *