Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

A verdade de Dilma !

Faço parte de uma legião de militantes políticos que tinha horror de ser qualificado como direitista. Por isso, o depoimento da ministra Dilma Rousseff à Comissão de Infra-Estrutura do Senado, na terça-feira passada, reacendeu essa chama "incendiária" ao crescer o tom na resposta ao senador José Agripino Maia (DEM-RN), sobre a lógica das verdades fáceis no momento de tortura, quando a mentira, nesse caso à época da ditadura no Brasil, configurou um verdadeiro ato de heroísmo ao flagelo na prisão política. Mas não me incluo entre aqueles que suspiraram, como se estivessem de alma lavada, com o resgate do espírito e das bandeiras de lutas passadas.

Concordo com o editorial do jornal "O Estado de São Paulo", O engodo do PAC e da ministra (09/05/2008), sobre o discurso mais fácil que a eficiência no desempenho de governar investimentos para melhorar a infra-estrutura do país. Parcela significativa da imprensa foi unânime em considerar que o depoimento da ministra foi um sucesso, como se o Brasil tivesse nascido com o lulo-petismo. Acho que isso é fruto de uma parte predominante dos atuais repórteres, redatores, comentaristas e editorialistas, que acompanhou o discurso de Dilma in loco, pela televisão, internet ou rádio, terem vivivo o meu conflito direita/esquerda, da época de lutas contra o regime autoritário brasileiro ou mais recente a favor do impeachment de Collor com a fantasia de caras-pintadas. Bateu na democracia? Trombou em todos nós!

Dilma Rousseff é a atual pré-candidata de Lula para sucedê-lo em 2010, enquanto não se aprova a possibilidade dele buscar um terceiro mandato. Lula é o responsável em atribuir à ministra a maternidade do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, um filho mantido num balão de oxigênio, porque dos R$ 17,2 bilhões previstos para dar os seus primeiros passos, apenas R$ 1,9 bilhão foi empenhado e, destes, ínfimos R$ 13,7 milhões foram efetivamente gastos no primeiro quadrimestre.

Como analisa e provoca o editorial do Estadão, "Lula passeia pelo país lançando pedras fundamentais – ou seja, inaugurando intenções -, na companhia da mãe do PAC, que declarou dias atrás, em Santa Catarina, que o que trava o PAC é a qualidade dos projetos que nós herdamos". Por ironia do destino, a dedução é de que a culpa pertence ao governo anterior ao lançamento do PAC em janeiro de 2007, ou seja: do próprio governo Lula no seu primeiro mandato.

O crescimento do país não sai do papel, mas Lula navega em mar de almirante, com índices imexíveis e crescentes de popularidade, porque fala do modo que o povo quer ouvir e entende, ficando a impressão que o Brasil foi transformado num grande canteiro de obras. Uma ficção que encanta um povo aparentemente feliz com as bolsas compensatórias de renda e que tempestivamente favorece uma maré de denúncias por todas as partes do nosso país, com obras e instituições oficiais (BNDES, inclusive), no banco dos réus, sob suspeita!

Me orgulho muito de ter militado pela esquerda, por convicção doutrinária e ideológica sempre. Com o tempo, amadureci e compreendi a evolução do mundo e da política. Não me considero uma metamorfose ambulante, mas ao responder ao teste do sociólogo Alberto Carlos Almeida, no que ele chamou de o "politicômetro", na revista "Veja" (páginas 70 e 71) deste final de semana, concluí que me tornei um liberal moderado, que admite certo grau de restrição às liberdades individuais e alguma regulação e controle do Estado sobre a economia. Francamente, e sem mentiras. E você ?

Compartilhe

29 comentários em “A verdade de Dilma !”

  1. Caro Raul,
    Vi, recentemente, uma expressão usada mais antigamente mas que é exatamente o que temos agora: PÃO E CIRCO.
    É estarrecedor que a situação tenha chegado no nivel que chegou e, contraditoriamente, os níveis de popularidade do Sr. Lula vão em sentido contrário. Este é o efeito pão e circo.
    Agora temos o caso do dossiê e seu autor. Parece que a Ministra deu um turo no pé ao divulgar o autor. Ele, aparentemente, não é um desqualificado e não topou ser o bode expiatório. Chega-se a quem? Os próximos capitulos dirão.Waldomiro Diniz , que era daquele miolo, pode adiantar.
    Abraço grande

  2. Meu caro Raul,

    A Ministra que fez seu discurso de quando se deve e quando não se deve mentir, poderia fazer uma reflexão e entende que é hora de parar com tantas mentiras e engodos, como voce bem esclarece.
    Quanto a sua auto-definição como “liberal moderado”. nós que sempre partilhamos o mesmo caminho político, me deixou um dilema … “ser ou não ser”??… eis a minha questão……..rssss

  3. Ela,que se orgulha de ter falado mentiras na ditadura, mantém-se mentirosa tbém na democracia. Enfim,tem vocação de Pinoquio em qualquer regime. Mentiria na Grécia antiga ou em Miamar. Abraços.

  4. cristina masagao

    Raul, se você é um liberal moderado também quero ser E viva o tal do liberalismo moderado

  5. Olá Raul, Tudo bem?
    Ai está a explicação da dona Dilma, mulher de ferro do Presidente Lula, e provavelmente candidata a Presidência em 2010, mentiras, mentiras mentira. Até quando essas pessoas se esconderão da verdade?
    Primeiro confessa que mentiu para proteger os companheiros, na época da ditadura, parece que gostou e continua mentindo, só que agora para se proteger, pelas falcatruas que praticam no poder.
    E o povo, como voce mesmo disse, gosta de ouvir os discursos fáceis de todo esse governo, e não se atenta para mais mentiras como por exemplo: como está as reformas das nossas estradas Brasil Afora?
    Onde foram construidas as habitações popular, neste governo?
    Quanto e como esta sendo investido na Segurança Pública, na Saúde, na Educação? O que é ou para que serve o tal
    Pac? filho bastado do Lula e deixado na porta da Dilma, esse verdadeiro projeto de papel.
    Ainda dizem que o país foi transformado em um grande circo, eu pessolmente discordo, pois isso tudo é uma verdadeira sacanagem desses que se diziam esquerdista e contra tudo e contra todos para chegarem ao poder e quando chegaram, do fizeram m…, que nojeira.
    Abraços.

  6. PAULO MATOS

    Esse pessoal não toma jeito mesmo! Depois de apelidarem o aliado tucano e líder fascista José Agripino de “Ricardinho” (o levantador da seleção de volei) pela bola que levantou para a Dilma – cuja arma é ter a história na mão e jamais ter deitado com torturadores -, agora preparam outra levantada de bola, achando que a população repudia mesmo a revelação dos números do cartão corporativo de FHC. Essa “legalidade” das elites não toca à massa popular, deviam ter percebido e ningiém se tocou disso. Não precisaria ter sido eu quem avisasse, afinal vocês tem até sociólogos, mas estão entrando em uma cumbuca. Porque daqui a pouco ela ganha ainda mais pontos por ter revelado ao país estes dados. Em vez de fazer política de gente grande, investem nestes descaminhos. E depois se queixam! Nota: o embate contra os autoritários e a luta de classes não acabou, nossa memória não permite.

    Paulo Matos

  7. Raul,

    Chamo a atenção para o artido da colega jornalista Dora Kramer, de O Estado, publicado no dia seguinte ao depoimento da ministra Dilma.
    Em resumo, ela se pergunta como alguém que diz ter apanhado e sofrido na mão de torturadores, pode tornar-se, sem pudores, principal “comapanheira” de alguém que nunca frequentou os porões da ditatura, nunca apanhou e, para horror de muitos, elogia os generais-ditadores e outros ditadores de plantão (Fidel, Hugo Chavez etc) – os quais utilizam os mesmos métodos (prender, bater, matar) usados contra a Ministra.
    Alguém se atreve a explicar?

  8. Fábio Lopez

    Prezado Raul,

    Parabéns pela seriedade do artigo. Espero que a imprensa tenha mais responsabilidade na cobertura de eventos do governo federal, deixando de fazer folclore com “inaugurações de intenções”.

    Um forte abraço,

    Fábio Lopez.

  9. Edgar Boturão

    Alô Raul. Forte abraço. Se a relação do DEM com o governo Lula não fosse figadal, diria que a ministra Dilma e o senador Agripino combinaram a cena. Nunca imaginei a oposição jogando com tanta competência a favor do governo como nesse episódio. Por outro lado, a ministra não explicou nada na CPI. E daí? Quem explica? No mais o presidente segue em campanha. O dinheiro do BNDES continua sumindo. E a classe média pagando a conta. Ou seja, nenhuma novidade.

  10. Ernesto Donizete da Silva

    O “homem” forte do Governo Lula – Dilma Rousseff, impressionou a maioria do povo brasileiro, durante as nove horas que permaneceu respondendo as perguntas no Senado Federal. Deu uma aula de oratória e também de interpretação – deveria trabalhar na Globo (deixou a desejar no principal – no conteúdo).

    O dossiê foi elaborado e a polícia federal, em outro bom trabalho (em tese), já identificou o secretário de Controle Interno da Casa Civil, José Aparecido Nunes Pires (ligado a José Dirceu) como um dos responsáveis. No entanto, no prosseguimento das investigações a PF está agora periciando os seis computadores que podem determinar outros envolvidos.

    Momento ímpar foi o de quando Dilma respondeu sobre o período no qual ficou presa durante a ditadura militar (conseguiu atingir emocionalmente as massas) e temos de considerar que saiu vitoriosa em termos da imagem que passou para a população.

    O jornal Zero Hora de Porto Alegre, publicou no dia de hoje, matéria sobre um DOSSIE, elaborado a pedido das Agências dos Estados Unidos sobre a vida de Dilma. Muito interessante saber que a atual Ministra da Casa Civil do Governo Federal do PT, orquestrou, entre outras ações, 03 ROUBOS À BANCO, foi uma das mentoras do plano denominado “Roubo do cofre de Adhemar”. Neste episódio, foram roubados US$.2,5 milhões que estavam no apartamento da amante do então Governador de São Paulo – Adhemar de Barros (situação também muito “irregular” – mas não é nosso foco).

    Dilma, filiou-se ao PT no ano de 2001 e já em 21/06/05 foi nomeada ministra da Casa Civil do PT, no lugar de José Dirceu (que literalmente “caiu” devido aos escândalos). Carreira meteórica, facilitada pelo quadro precário de pessoas competentes dentro do governo federal desde sua instalação – lembram-se dos “Ministérios dos Derrotados”.

    Em relação ao PAC…mas que PAC??? Plano de Aceleração do Crescimento é mais uma criação imagética do Sr. “Inácio”. A maioria das obras, sequer saiu do papel. O investimento já empregado em relação ao PIB é o mesmo dos outros anos e também dos demais governantes que por Brasília já passaram.

    Crescimento…somente das mentiras, dos engodos, dos ardis, pois NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESTE PAÍS…vimos tantos escândalos iniciados com as festas regadas a cachaça do Sr. “Inácio” até chegar ao atual dossiê. Vamos ficar aguardando o próximo.

    Ernesto Donizete da Silva
    PSDB/SANTOS

  11. Desculpem, Raul, desculpem amigos, olha eu aqui achando que nem é pão, nem é circo. Estou mais para a velha definição do cais do porto: é briga de cachorro grande… Vocês acham que uma raposa escolada como o senador Agripino não sabia exatamente o que estava fazendo, ao levantar a bola para Madame?… Abrindo o caminho para ela deitar e rolar como vítima da tortura? E, apesar da frieza e do calculismo dialético que a caracterizam, fazer até teatro de emoção?… Percebam, amigos: o senador está careca de saber que a tortura é hedionda e abjeta e, suas vítimas, por piores que sejam, têm, sempre, a simpatia de qualquer um que tenha um minimo de humanidade e carater. Pena de morte, ok — é ou não é? — mas sem tortura. Repararam que ele tomou o cuidado de fixar a pergunta sobre “mentir sob tortura, na prisao”? Não lhes ocorre que ela deu a resposta, com chantili, que ele queria, PARA O MOMENTO?… Claro que as palmas (mesmo descontando a claque) mostram uma aprovação à resposta, ao ato de assumir tudo aquilo… E ainda de vangloriar-se do que fez! Saiu-se bem, é?…
    Amigos, acho que ela caiu — fácil — em uma armadilha com 2 finalidades.
    Primeirs, óbvia: Lula tem agora, FORTALECIDA PELA AÇÃO DA OPOSIÇÃO (É OU NÃO É?) alguém importante (e talvez até com certos poderes) dentro do seu Governo, no mesmo andar que ele no Palácio do Planalto, que pode acreditar seriamente em sucedê-lo e CAPAZ DE TRABALHAR E ARMAR (TRAIR NÃO É UMA CONSTANTE DOS AMIGOS DO LULA?) PARA ABORTAR O SONHO DE REELEIÇÕES SEM LIMITE — DEIXEM-SE DE INGENUIDADE, AMIGOS, LULA SÓ PENSA NISSO!… Com uma picadinha dessas da mosca azul, Lula que se cuide, as manobras para (primeiro) um terceiro mandato já não serão tão bem planejadas e seguras na área da Casa Civil…
    Segunda, a bomba-relógio, ou melhor, a bomba que ela amarrou à própria cintura para ser detonada caso consiga sair candidata à sucessão de Lula, e que é o CALCANHAR DE AQUILES de Madame. O verdadeiro foco da questão não é a mentira sob tortura, na prisão, como foi astuciosamente colocado pelo senador Agripino. O verdadeiro foco da questão, que pode arrasar com ela em uma campanha, é o que ela era e o que fez ANTES da prisão — sem nenhuma tortura, sem nenhum tapa, sem nenhuma imposição. Em uma palavra: TERRORISTA! E terrorista é quem é capaz de planejar e realizar roubos, assaltos, seqüestros e assassinatos, inclusive de pessoas inocentes, PARA SERVIR A UMA CAUSA — AO SEU INTERESSE PESSOAL OU DE GRUPO, ÁS SUAS IDÉIAS E IDEAIS — desafiando a Lei vigente.
    Claro que era um regime imposto à força, pelas armas. Milhões de brasileiros sofreram e enfrentaram esse regime ditatorial, em defesa da democracia — inclusive o Lula, né? — sem a loucura de apelar para as armas. Poucos o fizeram — como Madame –, MAS INSPIRADOS POR UM MODELO QUE APENAS TROCARIA UM REGIME DITATORIAL POR OUTRO!
    E essa decisão teve o duro preço de criar condições para que muita gente inocente, por defender a democracia, virasse suspeita, fosse presa, torturada e morta, ou simplesmente desaparecesse. Madame se orgulha de ter mentido para salvar companheiros. E quem se danou por ter sido confundido com os companheiros dela, armados, e não era, sindicalistas inclusive, como é que fica? Fácil responder: é só acompanhar a quantidade de processos de indenizações para perseguidos políticos (verdadeiros e falsos) que nunca pegaram em armas e pagaram por isso. Antes das armas havia cassados e perseguidos, sim. Mas para isso não era preciso torturar. Depois das armas, a tortura. É DISSO QUE MADAME VAI SE VANGLORIAR, DOS EFEITOS PARA OS INOCENTES TORTURADOS E MORTOS, MAIS ADIANTE, EM UMA POSSÍVEL CAMPANHA?…
    Desculpe, Raul, acho que me estendi demais. Mas, como sempre, prefiro o dito pelo não dito.
    Um abração.

  12. Raul,os nazifacistas nunca precisaram do pretexto da luta armada para lançar mão da tortura para conter a luta dos povos por um mundo mais justo.
    Caramba os DEMOs estão se superando depois do “democrata” Agripino MAIA é a vez do Secretario do “Trabalho” o empresário Affi Domingues dizer em Mauá,cidade operária de população nordestina,que fora os paulistas os brasileiros não gostam de trabalhar…

  13. Eu não consigo enxergar o mesmo que a imprensa. O desempenho da ministra foi um desastre, gaguejou, cometeu erros absurdos, tanto nas informações quanto na gramática. Eu que sou uma simples dona de casa fiquei morrendo de pena da coitada.
    Eu também acho que ninguém entendeu a pergunta do senador Agripino. Ele está de parabéns pela coragem de expor o que a ministra realmente é, que a sua tão propalada “biografia” revela uma série de crimes, assaltos, sequestros, arrombamento de cofre e proteção aos assassinos e torturadores que foram os causadores da ditadura no Brasil. Se não houvesse tantos atos terroristas não haveria a necessidade da ação dos militares.
    O senador conseguiu o que queria, criou a polêmica e revelou a verdade, a origem criminosa da ministra e a sua facilidade de mentir.
    E ainda assim, os tucanos continuam bajulando a ministra. Eu sou eleitora de alguns de vocês, por isso eu tenho o direito de questionar.
    Vocês têm algum acordo de camaradagem com o PT?
    Vocês aceitam tanta podridão?
    Por que não há nenhuma reação à perseguição política do presidente aos seus adversários? (a oposição está no paredão, só falta fuzilar)
    Vocês têm medo?
    Pois eu digo, eu garanto o voto de minha família a você, Raul, em qualquer situação – prefeito, vice, deputado,…
    e a José Serra, nossa grande esperança de mudança, econômica e moralmente.
    Mas, sinceramente, ninguém mais merece a nossa confiança, principalmente porque são fracos.

  14. Pelo que entedi, liberal moderado tá ali com social democrata. Também estou nessa. Quanto ao sucesso da mãe do PAC se deve a oposição que temos, fraquinha, fraquinha.
    abç.

  15. ERNESTO VIVONA

    O problema não é ser liberal, moderado, social-democrata, comunista, socialista, seja lá o que for. O problema com o depoimento da Dilma foi o desempenho catastrófico do Agripino, que deixou clara a sua postura de oligarca nordestino, que as vezes esses “demos” tentam disfarçar. Em São Paulo são “neo-malufistas” travestidos de democratas e no nordestes, oligarcas também travestidos de democratas… Há certas coisas tão arraigadas na formação de gente como o Agripino que, as vezes, nem a máscara é capaz de esconder.
    A pergunta do Agripino fez com que o foco do depoimento fosse totalmente desviado. Mais uma vez, fica clara a incompetência da oposição. Concordo plenamente com a avaliação do Galini.

  16. Em uma palavra: TERRORISTA! E terrorista é quem é capaz de planejar e realizar roubos, assaltos, seqüestros e assassinatos, inclusive de pessoas inocentes, PARA SERVIR A UMA CAUSA – AO SEU INTERESSE PESSOAL OU DE GRUPO, ÁS SUAS IDÉIAS E IDEAIS – desafiando a Lei vigente. (por ERRE).
    Conforme o conceito acima o TERRORISMO foi implantando pelos oficiais-generais e camarilha que golpeou o povo brasileiro, por duas vezes, nos anos de 1964 e 1968. A Ministra – sem pretender defendê-la – era adolescente em 64. Iniciou a militância bem depois da referida camarilha ter rasgado todos os direitos dos cidadãos. O Senador – demonstrando “inteligência típica dos truculentos” – não protagonizou nenhuma cena com o fim de favorecer a Ministra. Empregou um sofisma – demonstrando despreparo – para desqualificá-la; por tal acabou lívido de vergonha ao perceber a estultice.
    Com efeito, todo gasto reputado como “sigiloso”, “reservado”, etc., não passa de peculato, desvio de verba, malversação do patrimônio dos cidadãos.
    A desfaçatez é de tal ordem que se tenta defender como assunto de segurança as compras de alimentos para Presidentes e Governadores. Pouco importando FHC, LULA, COVAS, GERALDO e SERRA, pois quem consente na existência dessa legislação que subtrai do controle do cidadão e do Poder Judiciário tais gastos, atenta contra a Constituição Federal.
    Ora, se querem comprar bom uísque, pinga, cerveja, picanha sem riscos de envenenamento, comprem nos estabelecimentos que vendem tais produtos a qualquer um do povo. Que comprem no EXTRA, no CARREFOUR – apenas para exemplificar – como nós. Os dois lados PT (governo) e PSDB (oposição) estão de má-fé. Não defendem a legalidade e a moralidade administrativa, apenas trocam chumbo, ou seja, “se eu sou ladrão”, “você também é ladrão”.
    E tristemente se vê PT e PSDB calcando os princípios éticos e jurídicos que sempre defenderam.
    Por derradeiro, quero revelar as primeiras lições “de grande relevância policial”, durante o curso de formação da turma de Delegados de Polícia (DP-I de 1988), – durante os trabalhos da constituinte – “VOTEM EM QUALQUER UM, NUNCA NO JOSÉ SERRA OU NO ALOYSIO, POIS TERRORISTAS SÃO INIMIGOS DOS DELEGADOS”.
    Eu votei.
    Terrorista pra mim sempre foi o Maluf.
    Triste foi o Aloysio ter sido o vice de verdadeiro terrorista, segundo o conceito inicialmente transcrito.

  17. Raul!

    Acabo de ouvir na CBN que a ministra Marina Silva deixou o governo, mais uma mentirosa, vide dados sobre desmatamento, ao menos teve coragem de pular fora. Talvez foi buscar algum fio de vergonha que ainda lhe resta.
    Depois eu volto na tua matéria.
    Um abraço!!!
    BRITO.

  18. Claudio Alves de Amorim

    Quem somos nós eleitores e votando no PSDB para falar de vergonha, apoiando uma chapa Frankenstein palistana?

  19. Genésio Furtado

    Olá Raul, tudo bem? Queria apenas registrar que adoro o seu blog, cheio de informação e opiniões dignas de palmas. Percebo em seu discurso que existe um grande político por trás do jornalista e poeta. Queria saber se você sairá candidato esse ano porque na política falta alguém de pulso forte como você. O meu voto você já tem. Um forte abraço e sucesso

  20. Quem confunde corrupto com terrorista deve ser muito jovem e não deve ter passado pelos momentos de terror que esses grupos guerrilheiros protagonizaram nas décadas de 60 e 70. Eles chegavam de repente, agredindo e matando sem piedade, algo parecido com o ato de seus discípulos do PCC há algum tempo atrás.
    Agora que estão no poder, eles completam seu currículo, somando a seus crimes do passado, os atuais atos de corrupção. É o caso da camarada Estela. Genial.
    Infelizmente, para a atual geração de ingênuos, grossura é sinônimo de competência. Que Deus tenha piedade de nós.

  21. Não é necessário “ter passado pelos momentos de terror” protagonizados nos anos 60 e 70, para diferençar corruptos de terroristas; tampouco para identificar o corrupto que se sustenta no poder infligindo terror. Da simples observação da legislação imposta por atos administrativos a partir do golpe de 1964(os Atos Institucionais), é possível afirmar que o terror impiedoso partiu do grupo de poder que se instalou em todas as esferas e órgãos governamentais. É terrorismo todo ação política que importe na supressão dos elementares direitos e garantias conferidas a pessoa humana; com o fim de estabelecer ou assegurar o poder. Assim, quer no plano jurídico, quer no plano dos fatos, a denominada “revolução” militar impôs o estado de terror no Brasil sob o pretexto de impedir a “bolchevização” do país, “drenando bolsões comunistas”, cuja purulência se infiltrara nas esferas administrativas, alcançando as altas esferas do governo (a síntese do Ato Institucional nº. I). E nas primeiras horas se deu início as execuções, prisões ilegais, tortura, cassação de direitos; sumárias demissões de militares e servidores públicos, inclusive. O pretexto foi simplificado na fórmula: “contra a pátria não há direitos”. Eis a máxima do terror. A grande ingenuidade foi acreditarem na pureza de propósitos (patriotismo) dos oficiais-generais; ingenuidade da classe-média melhor esclarecida, já que a maior parcela da população – sempre preocupada com o pão de cada dia – se manteve alheia aos acontecimentos. Pelo menos nos primeiros 3 ou 4 anos.
    Também é ingenuidade acreditar na pureza de propósitos de “todos” aqueles que participaram da “luta armada”, mas é certo que existiam idealistas e propósitos legítimos entre os “terroristas”. Empregar a força contra um governo imposto pela força; que suprimiu do cidadão a possibilidade de recorrer ao Judiciário em defesa dos direitos mais elementares, não possui quaisquer semelhanças com os atos do P.C.C. (primeiro comando da capital). E caso a Polícia ainda empregasse sistematicamente os mesmos métodos de então: “tortura” seguida de “execução”, o PCC não existiria. Aliás, o PCC conta com esta vantagem: o Estado de Direito conquistado à custa das vidas daqueles “terroristas”. Perseguidos como animais, torturados e executados; muitos corpos ainda reclamados pelos familiares. E executados e “desaparecidos” com um fim hediondo: “impedir novos seqüestros de autoridades estrangeiras” , em troca da libertação dos presos políticos. O governo militar deu causa a reação violenta de determinados grupos; para tal conclusão não há necessidade de se ler biografias, romances ou historiadores. A legislação por eles editada, por si, transborda violência e sangue. Por fim, para aqueles que sofreram efeitos de atentados terroristas, vale lembrar que: explosões de gasômetros, incêndios de instalações de TVs e Jornais, além de muitos “roubos a bancos”, foram praticados por agentes do governo para a satisfação de interesses econômicos daqueles que os financiavam e, também, para a justificação da existência e manutenção dos chamados órgãos de inteligência e operações(Oban, Dói-Codi, Dops, etc.). Ingenuidade seria acreditar que pequenos grupos dependentes da legitimação popular fossem explodir “gasômetros” , angariando a antipatia daqueles que perderam seus empregos e dos consumidores daqueles serviços. E pior – de bandeja – aumentando o monopólio de grupos como a Ultragás; este um dos grandes financiadores da perseguição aos “bolchevistas”. Para o povo foram os terroristas, mas
    para fins do prêmio das seguradoras: “explosões e incêndios acidentais”, em face da obsolescência e desgastes naturais dos equipamentos. Consignando que não faço defesa desta ou daquela pessoa, apenas não simplifico as coisas presumindo que o terrorista de ontem é o corrupto de hoje. Aliás, se apenas o ex-terroristas fossem corruptos o Brasil teria sua população vivendo em elevado padrão. Afinal, foram poucos; poucos sobreviveram.

  22. Em relação à tortura como método de interrogatório, um “pequeno detalhe” que não se vê em manuais:

    Nada aproveita ao interrogado colaborar espontaneamente com o interrogador para se poupar das violências físicas e morais.

    Depois da espontânea confissão vem a “prova dos nove”. Sim, “os nove fora”!
    Verdadeiramente, tanto faz admitir a acusação, mentir ou resistir…
    A tortura institucionalizada é método de prova e contraprova.
    Para o torturador só é verdadeiro aquilo quer for arrancado sob terror.
    Assim, além de corruptos, os governos militares foram terroristas.

  23. A verdade é uma só, em ambiente de guerra não há santos.
    Mas como o assunto é a ministra Dilma, que acaba de encontrar um “Francenildo” para ser punido em seu lugar, realmente teve uma atuação fraquíssima no Congresso.
    A imprensa vendida editou alguns trechos que a favoreceram, mas quem acompanhou desde o início, pôde constatar seu nervosismo e seu despreparo.

  24. Tortura é aguentar aquela voz rachada 24 horas por dia na TV.
    Tortura é ouvir pessoas supostamente inteligentes acreditando nas promessas que nunca são cumpridas – fala uma coisa e manda fazer outra – qualquer ingênuo da roça sabe disso.
    Tortura é ver os nossos melhores políticos sendo persequidos, totalmente desamparados e abandonados, enquanto que o chefe dos grandes crimes é idolatrado.
    Tortura é assistir os melhores candidatos se degladiando e se auto-destruindo, do jeito que o diabo gosta.
    Tortura é ter a certeza que já conseguiram calar a imprensa, já conseguiram desmoralizar os poderes legislativo e judiciário, já conseguiram destruir a força dos militares, já conseguiram cooptar o apoio das igrejas, e o povo é refém de toda essa trama, porque não há uma liderança que lhe dê esperança de que há outro caminho melhor.
    Parece que há um só lado, todos no mesmo palanque, ou são vendidos ou são vencidos.

  25. MARIA:

    Eu concordo – e muito – com você. Em tempo algum pretendo defender crimes, quer de Dilmas, quer de Fleurys (o Delegado torturador). Em relação a “atos” (atos em razão da função)de agentes políticos prefiro a missão de advogado do diabo. O governo do Sr. Lula é vergonhoso, como foi vergonhosa a revisão da Constituição que – mediante propinagem… rapinagem – propiciou a reeleição do Exmº. FHC. Aliás, outro que traiu princípios e discursos. Poderia ao cabo do mandato original (5 anos), passar para a história sem máculas, mas cedeu ao poder; só não está muito mais arranhado pelo fato de “a imprensa” há muito se vender (“não muito barato”). E você tem total razão quando afirma que bons políticos estão sendo perseguidos, pois é patente em muitas das “investigações” da eficiente PF o objetivo de infamar – por falsas inferências (para eles indícios) – membros de outros partidos, ainda que não sejam propriamente adversários.
    A tortura foi substituída pelo “grampo ilegal”, a “tigrada” agora é a Polícia Federal. A pretexto de investigar “prostíbulo” chega ao BNDS. Mentira deslavada. E como se não soubessem – há anos – que não sai dinheiro de lá sem “repasse”. Pergunte-se para qualquer grande empresário. E se toda passagem de conversa telefônica fosse indício de crime acredito que o Presidente não teria cumprido seis meses de mandato, pois todo “interessado” emprega nome de autoridade para obter vantagens pessoais. Muita vez apenas para se valorizar, demonstrar influência ou informação que jamais possuiu. Hoje soube que o “Lulinha” comprou uma fazenda por 47.000.000,00. Se verdadeiro, com que dinheiro? Honesto não foi. Assim – fundado na história e em notórias matérias jornalísticas – fiz uma comparação “será que o Lula é o Costa e Silva Vermelho?”. Parece: deixa os aliados caírem em desgraça, defenestra correligionários críticos de seus atos, persegue inimigos e – segundo o noticiário – alguns de seus amigos enriqueceram. O filho já havia enriquecido, antes tinha um milhão. Agora uma Fazenda de quarenta e sete. Espero não ser processado por calúnia e difamação, pois não se pode provar a verdade de crimes praticados por Presidentes. Também não adiantaria, como você bem disse, aquele que tem o dever acoberta o líder.

  26. A propósito:

    A torpeza é tamanha que cabe bem as palavras do Cazuza: “eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades…o tempor não pára”…não pára. Pior: parece que o passado tende a ser repetido com maior força.

  27. Carlos de Brito

    Olá Raul!
    Falei que voltava. Voltei.
    Eu estava esperando o desenrolar do caso Marina Silva, pois eu disse que era só mais uma mentirosa.Todo mundo ou o Mundo Todo, falando do desmatamento e só ela nada vía. Agora o novo ministro vai prender gado vamos agardar.
    Em relação a torturas, após ler o que o Roberto Conde Guerra escreveu eu somente digo:
    Ditadura e Tortura andam juntas. E, tanto faz ser de Direita ou de Esquerda, Civil ou Militar o cacete é igual e a dor é grande. Por isso entendo suas mentiras sob torturas mas…na Democracia não vale, é mais uma mentirosa nesse governo.
    Raul, um abraço!
    BRITO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *