Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

A água, em questão !

DE ZARAGOZA (ESPANHA) – Faz dois dias que visito a Expo Zaragoza 2008, que conta com a participação de 100 países e onde a água e o desenvolvimento sustentável concentram toda a atenção. A água tem o mesmo significado em todos os idiomas e o movimento de pessoas de todas as idades por aqui mostra bem a dimensão que o mundo começa a dar ao tema, como sustentação da vida, meios de subsistência e modos de utilização. Parece óbvio, mas vale a pena refletir sobre o conceito de que a água e o desenvolvimento sustentável são conceitos interdependentes: sem água não há desenvolvimento sustentável e sem desenvolvimento sustentável acaba a água.

Hoje não há uma reserva mundial de água, um país identificado com a salvação da espécie humana. Percorrendo a Expo, em toda a sua extensão, é possível considerar a busca contínua de todos por fontes alternativas de captação, tratamento, oferta e reaproveitamento do líquido mais precioso. Essa busca não restringe aos alertas, comuns em todos os estandes, estações, show-roons e pavilhões espalhados pelo evento mundial, mas nos dá a dimensão do que cada país vem realizando no planejamento urbano e populacional, bem como a correção dos estragos com a ocupação desordenada.

O evento em si é um avanço em relação à defesa do meio ambiente, e do desafio transversal da gestão da água com implicações no domínio da saúde, da proteção ambiental, do desenvolvimento econômico, da paz e da segurança. Os esforços serão coroados de êxito com foco em educação ambiental, que no Brasil já são percebidos pelos governos e pelas empresas públicas e privadas responsáveis pelo saneamento básico. Recentemente o governador José Serra e o presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, estiveram no Japão, tratando de novos financiamentos para a redução de perdas de água, que, aliás, é um tema da Expo, quando assinala como um desafio inteligente a inovação para a sustentabilidade.

2008 é o "Ano Mundial do Saneamento", conforme aprovação da Organização das Nações Unidas, que definiu o ano passado como o "Ano Mundial da Água". Em Zaragoza você viaja sobre abusos cotidianos e logo desperta para o senso responsável. Retorno nesta segunda-feira com muitas idéias e adaptações para uma comunicação ainda mais eficiente sobre o uso racional da água. Há países muito mais avançados que o nosso, nesses cuidados, mas temos amplas condições de responder a tudo isso, com a efetivação de programas estruturados para reforçar a necessidade do equilíbrio entre o uso da água e o desenvolvimento.

Organismos internacionais indicam que nos países em desenvolvimento, a falta de acesso à água potável e ao saneamento é uma das causas principais de doenças e mortes. É igualmente um dos principais fatores que travam a educaçao e o desenvolvimento econômico. Dentre os muitos números apresentados, elenquei que 20 litros é a quantidade mínima de água que se estima que qualquer ser humano devia dispor para consumo diário (em algumas regiões, este volume não é sequer acessível); e que o consumo diário de água de um europeu é de 200 litros, enquanto um norte-americano consome 600 litros. No Brasil consumimos mais de 250 litros por dia.

A estratégia utilizada pelos organizadores desta Expo simula uma viagem à Disneylândia, mas linkada com a realidade. Não há fantasia por aqui. Chocamos com o jeito como deixamos até agora o mundo para as futuras gerações. Quando está em causa "salvar o futuro, cada gota conta…", registra documento da União Européia. Por isso, e pelas consequências desse alerta, que tive o privilégio de testemunhar graças à delegação e ao apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Sabesp, a Exposição Internacional de Zaragoza – Água e Desenvolvimento Sustentável (promovida de 14 de junho até o próximo dia 14 de setembro de 2008) servirá de bússula para muitos programas e ações governamentais para a proteção da água nossa de todos os dias.

Compartilhe

6 comentários em “A água, em questão !”

  1. Gilson Freitas

    Grande Raul!
    Pena não poder estar com você aí e ver de perto todas essas informações maravilhosas que a Expo oferece.
    Mas tenho certeza que vamos poder usá-las no nosso dia-a-dia e principalmente nas nossas próximas comunicações.
    Que você tenha um ótimo final de viagem.
    Bom retorno!
    Um grande abraço,
    Gilson

  2. Amigo Raul Christiano
    A água, realmente exige cuidados e precauções por ser indispensável para as espécies de vida
    e pelos desperdícios no usos dela com que o ser humano, em sua maioria ainda, no mundo inteiro…infelizmente, aqui em Guarujá entre tantos modelos da perversidade do capitalismo
    mal organizado e distribuído, o hábito idiota de lavar os prédios com a tal máquina “Wap” ou congêneres persiste…para a satisfação dos
    usuários condôminos, dos síndicos “exigentes” e dos zeladores “modernos” que aposentaram vassourões, rodos etc…

    Bom, falando de coisas boas, desejo a você um ótimo aproveitamento do encontro mundial e boa viagem de retorno.

    Abraço fraternal
    Ivan Alvim

  3. RAIMUNDO ROSA , BRASIL .

    Raul com certeza estas informações e de muita importancia para todos nos muito obrigado mais uma vez .

  4. Caro Raul,
    Como você mesmo coloca, “não há uma reserva mundial de água, um país identificado com a salvação da espécie humana”, mas com certeza podemos fazer alguma coisa já. Por nós mesmos.
    Quando vemos o Aqüifero Guarani sendo contaminado lentamente pelo vinhoto das plantações de cana ou o Rio Piracicaba poluído,e muitas industrias ainda aumentando o problema.Quando vemos as “vassouras d’água” proliferando nas calçadas, chegamos à conclusão que o caminho para a solução passa obrigatoriamente pelo bolso. Multas pesadas e medidas punitivas severas devem ser tomadas. Imediatamente. Quando voltar faça uma palestra sobre o que viu. Aceite desde já minha inscrição.

  5. Raul
    como vc comentou “…O evento em si é um avanço em relação à defesa do meio ambiente…”, enquanto nós e outros sêres mortais estamos preocupados c/ o meio ambiente p/ nossa sobrevivência, alguns empresarios como o Eike Batista parecem dar as mínimas p/ tal, como agora está querendo atacar o PARAÍSO da Juréia em Peruíbe c/ suas várias reservas ecológicas terrestres e aquáticas, como tb suas lindas praias, através de mais um inconsequente mega projeto do Porto Brasil e um polo industrial, que ele está tentando montar naquele PARAÍSO, somente p/ ser o mais rico do mundo!???
    QUE VERGONHA HEIM SR. EIKE BATISTA…, seu lugar é nos EUA, na China, que só estão preocupados c/ os “NÚMEROS $$$”… FALA SÉRIO!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *