Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Outubro das Polícias .

O confronto de policiais civis de São Paulo com batalhões de policiais militares, nas imediações do Palácio dos Bandeirantes, na última quinta-feira (16), remete para os momentos de pânico sofridos pela população do Recife, em outubro de 2000. Policiais em greve bloquearam o trânsito, fizeram passeatas com veículos irregulares ou roubados, impediram ações da segurança pública, dispararam contra colegas, feriram a tiros um cidadão indefeso e chegaram a tentar invadir o palácio do governo. A imprensa registrou na época, que "raras vezes se viu tamanha baderna promovida por homens pagos com o dinheiro do contribuinte para dar proteção à população".

O governador pernambucano Jarbas Vasconcelos fechou-se a qualquer negociação, demitiu os baderneiros, abriu vagas para novos policiais e chamou o Exército para dar um mínimo de segurança aos cidadãos. Em São Paulo, as evidências indicaram o aproveitamento político-eleitoral dos adversários partidários do governador José Serra. No cenário do confronto estavam os deputados Paulinho da Força (federal) e o líder do PT na Assembléia Legislativa, Roberto Felício (estadual), a CUT e a Força Sindical, que ofereceu carros de som e apoio para vitaminar a passeata em direção ao Palácio dos Bandeirantes, local sabidamente considerado área de segurança do Estado.

As imagens foram dantescas, com exposição de armas em punho, viaturas servindo de aríetes contra o cerco formado por corpos e escudos de policiais militares, tiros, bombas, correria, feridos e afronta aos olhos de todos quantos testemunharam essa ação deplorável nos telejornais e fotografias nos portais instantâneos e nos jornais do dia seguinte.

No Recife, há oito anos, Jarbas, que a exemplo do governador José Serra também reconhecia a necessidade de melhorar os salários dos policiais (lá o movimento de rua mobilizava parte dos policiais militares), deu o troco na baderna com a seguinte palavra de ordem: "Não haverá negociações com amotinados, insubordinados, com bandidos de farda. Só tem conversa com a volta aos quartéis."

Aqui, os policiais civis em greve sabiam que o governador José Serra não dialogaria com a corporação enquanto a greve persistisse, e muito menos o faria sabendo que a passeata tinha sido apropriada pela oposição, às vésperas do segundo turno da eleição municipal na Capital e em alguns municípios paulistas. Na semana passada o deputado Paulinho da Força discursou para policiais reafirmando o vale-tudo eleitoral: "O chefe de vocês, que é o José Serra, sabe que tem de ganhar as eleições. E sabe que uma greve da polícia tem repercussão nacional. A proposta que eu quero fazer aos companheiros é que, na semana que vem, na quinta-feira, a gente faça uma passeata saindo do Morumbi, com carro de som, com bandeira, com faixa".

É público que o governo do Estado quer melhorar a situação dos policiais civis, mas, como tem argumentado o governador Serra, há limitações orçamentárias a superar. Os grevistas pedem 15% de aumento, reajustes de 12% em 2009 e 2010 e reestruturação da categoria. Os policiais não aceitaram a proposta de reestruturação de carreiras e aumento de até 28% no salário inicial apresentada pelo governo. Enfim, a quinta-feira paulistana é uma página da história que precisa ser virada para não ser mais repetida, dando lugar ao empenho geral por uma solução para a crise, sem mais espaço para os aproveitadores políticos de prontidão.

Lendo manifestações e opiniões dos mais diversos setores da sociedade, favoráveis ao bom senso e à normalidade dos serviços de segurança no Estado, às vezes me surpreendo com notícias sobre posições políticas de deputados integrantes da base governista, na contramão, quando não sublinham a defesa do fim da greve, que configura hoje na maior expectativa do povo de São Paulo.

Feito o registro desse lamentável episódio, para a nossa reflexão !

Compartilhe

25 comentários em “Outubro das Polícias .”

  1. Raul
    Tenho conciencia que estou num reduto doPSDB, mas foi covardia do Senhor Governador, provocar confronto entre a PM e apolicia civil! Podia resolver o assunto, de outra forma, chamando os comandos de greve, para uma conversa resercada. Cercar o Palacio dos Bandeirantes e provocar o confronto, foi covardia!!! Foi ato politico prejudicial, a um suposto candidato a presidência da republica!

  2. Marília Bonavides

    Querido Raul, admiro sua inteligência, sua eficiência e respeito sua história de vida, mas quero registrar meu profundo pesar com a forma que a Polícia Civil foi tratada na última semana.Foi uma grande vergonha!!! Foi uma grande tristeza!!!O governador Serra não deveria ter deixado o problema se arrastar a tantos meses permitindo o aproveitamento de políticos levianos. A Polícia Civil é uma grande instituição que está desassistida pelo estado há anos. Desejo que a solução deste problema venha rápida e que seja digna e justa para a Polícia Civil. Um grande abraço.

  3. Ato político de péssimo tom por parte do governador do estado que poderia ter dialogado e resolvido a situação de outra forma, com certeza. Desastroso. Ato político por parte dos policiais? Com certeza e com razão. Homens que colocam suas vidas em risco por um salário de 1.200 reais, demoraram muuuito tempo pra reivindicar.
    Em quanto isso… ele (o governador) afirmava que tudo se resolveria bem em Sto André pq a polícia era muito competente(…) Polícia que colocou uma adolescente de 15 anos de volta no cárcere pra negociar (…)
    Desastre foi o que vemos além de uma polícia despreparada e sem sincronismo nas ações (opinião divulgada nos telejornais de sábado por especialistas em segurança)
    Seria bom o Serra rever suas ações pq em pouco tempo não vai ter discurso que resolva e aí…adeus eleições!

  4. PAULO MATOS

    O EMBATE DA REPRESSÃO

    PAULO MATOS (*)

    A visão que tive e que se depreende do episódio em que se enfrentaram as polícias é anômala perante o embate e suas análises, é atípica, porém consagradora factual de sua conclusão: ela está no desempenho da PM, este que foi exemplarmente expositor da sua violência irracional e da arbitrariedade, a que aplica desde que em sua origem na Guarda Nacional do Império que perseguia escravos.

    Nas medidas a tomar diante dos fatos narrados, creio que o devam ser nesta perspectiva – antes mesmo da que formula o enfrentamento de duas corporações anti-populares e perigosamente autônomas, a ponto de lançar mão do patrimônio público para suas finalidades. Se fazem isto com a polícia, tiros e bombas, o que não fizeram (e fazem) com a população pobre? Arrombam portas sem mandato, matam e depois pedem documentos. Sim, as soluções para os casos de tortura atingem quase alto índice de…2%!

    Já propús e reafirmo que a direção das polícias deveria ser feita por administradores sociais civís e eleitos, de maneira a desvencilhar estas ordens de paradigmas violentos desde o treinamento, agentes dela que são com suas ações. Como ilustração, reporto as lutas dos trabalhadores já no início do século XX quando, em jornais operários, conclamava-se para que os soldados que surravam os trabalhadores em greve assumissem sua feição operária e irmã no processo de exploração e opressão do sistema.

    Infelizmente, regredimos: as ações não tem objetivos, tomadas a esmo, latentes de efemeridade, nos moldes demonstrados por Engels no século 19, que não medem a consequência das atitudes e meramente resolvem problemas imediatos.

    Se algum dia teremos notícia dos primeiros compromissos do Governo Lula com o tema Segurança Pública – e a transformação em civís da PM, criada para combater os “inimigos internos”, os “subversivos” (!), é outra história. Estamos longe de uma visão clara sobre o processo econômico e suas soluções humanas, buscando soluções atômicas, não em seu sentido explosivo, mas de átomo, unidade, a menor particula de qualquer elemento químico, primária, primitiva.

    Tornar esta polícia popular e nuclear – de núcleos populacionais -, em sua defesa e não ataque, esta a missão. A identificação fácil da origem social do crime que nasce não apenas da miséria, mas da contradição social – e do despertar de desejos inconscientes e incontroláveis pela propaganda capitalista, que gera frustração e revolta – deveria cria raciocínios, elaborações, o que para nosso desespero não ocorre. Quo vadis? Qual o rumo?

    Sugerir que tais elementos policiais atuais possam proceder as ações de correção social revela-se, desta vez potencialmente, uma falácia cruel e impositiva de sofrimento e medo, como os que geraram e geram sempre as corporações ora em embate. Ou a sociedade se previne contra estas agressões ou o futuro se desenhará cada vez mais ríspido e repleto de cercas elétricas e coletes à prova de balas, entre soldados e armas – na cada vez mais institucionalizada violência social alastrada.

    **********************************************************

  5. BANCOS DE RENOME INTERNACIONAIS QUEBRANDO, GERANDO DESEMPREGO DIRETO E INDIRETAMENTE PELO MUNDO, QUEDA NAS BOLSAS ATINGINDO A TODOS OS NÍVEIS E NO BRASIL… BANCÁRIOS E POLÍCIA CIVIL FAZENDO GREVES P/ AUMENTOS DE SALÁRIOS!???…
    FALA SÉRIO HEIM…

  6. Raul, parece-me que a questão é mais embaixo. Com efeito, todos nós buscamos sempre melhores condições de trabalho e salários maiores. Na iniciativa privada, sem estabilidade ou qualquer outro benefício público, podemos sair para lugares melhores (o que normalmente se faz) ou somos dispensados (por vezes); no serviço público, o salário nunca será aquele que se deseja ou de mercado (exceto se o governo for do LULA, seja porque há um limite de recursos (que deve prover a todos os servidores etc), seja porque há a estabilidade funcional e outros benefícios. No Evangelho de Lucas (capítulo 3, versículo 14), já se diz: “E conteitai-vos com o vosso soldo”. A questão pode ser resolvida assim: pergunte a cada um o quanto acha que deveria ter de salário e as respostas serão as mais díspares: valho R$ 100.000,00 etc e tal; complemente-se a pergunta: E quanto acha que o Poder Público pode lhe pagar? Policiais precisam de aumento de salário? Sim! E os médicos? E os professores? E os pesquisadores científicos? E os administradores? e o contínuo? Enfim, todos precisam de aumento. A questão, enfim, é quanto o Poder Público pode dispor para todos esses aumentos (descontando 15% da saúde; 25% da educação; 50% para salários)? Não há como atender a todos os pedidos; atendido um deles, e os outros não terão o direito de reinvindicar? Se atendidos os policiais civis, e os policiais militares? E os médicos (hoje em média ganha R$ 800,00)? E os servidores do Poder Judiciário? E os enfermeiros? E…E… A passeata não podia acontecer e se aconteceu é porque o momento exigia essa caminhada para provocar outro fato político ou social (com razão o Governador Serra). Cada um só deseja puxar a sardinha para o seu lado, mas e os outros lados?.. abraços Sérgio

  7. O governador esta perdendo a razão primeiro apoia Kassab e deixa de lado Geraldo que é do PSDB, depois o salário misserável dos policiais civis prefere eles apoiando bandido , agora o erro da policia que levou a morte da garota de 15 anos . O qwue está acontecendo em São Paulo?

  8. Judas scariotes.

    Comentar os comentarios não podemos deixar, blogs quantos blogs estao faland de crime no Br? Raul como no caso do Santo André precisamos iratéofimnas apurações. quem matou Odete Roitman? devemos guardar cada cabeça dentro de umcapacete para que não criemos ODIO E IRA ,uns vão , outros veem , outros vem, mudou-se a orto grafia plobema do falecido. ablaço rual.

  9. RAUL
    O seu SITE OFICIAL, que consta no Link a direita do blog, estaria c/ problemas ou não?… pois só está funcionando o link do blog, os demais existentes não estão, como o da Biografia; Artigos; Livros;…
    ABÇS!

  10. OBRIGADO RAUL!…
    PELA SUA ATENÇÃO EM RESPOSTA A MINHA PERGUNTA EM SEU BLOG(9), ATRAVÉS DE UM EMAIL À MIM, COMUNICANDO A RECONSTRUÇÃO DE SUE SITE, MAS QUE EM BREVE TODOS ESTARÃO FUNCIONANDO. ABS

  11. alvaro gonzalez

    Vc segue a o mesmo discurso do Serra que o conflito das polícias foi aproveitamento político-eleitoral da oposição, oposição de quem? O Paulinho hoje é um ferrenho opositor do Lula e do PT. Como colocou a colega Chris, é bom o Serra rever suas ações, e no lamentável caso de Sto. Andre, depois da tragédia o Comandante da PM vem dizer que se seu filho estivesse envolvido no caso tb permitiria o seu retorno ao cativeiro. Ou ele é um grande mentiroso ou um grande imbecíl. O que o Serra está esperando p/ retirar essa figura grotesca do comando da PM?

  12. Nocaso de Santo André, onde o criminoso está posando de vítima e a polícia está sendo torturada, só posso dizer que é lamentável como esse pessoal dos direitos humanos, que nunca apóia a vítima, limita a ação da polícia. Eu acho que os policiais deveriam lavar as mãos e convocar o Suplicy ou algum padre para negociar.

    Quanto ao Paulinho, opositor do Lula? Quem é opositor do Lula? Metade o apóia porque tem intere$$$$$$$$es, outra metade se omite porque tem medo.
    Na verdade, o Paulinho deve ter bolado um acordo para livrar a cara no processo de cassação, em troca, participa dos atos violentos do PT.

  13. P.S.: EM MEU COMENTÁRIO Nº5, NÃO AFIRMEI SER CONTRA REIVINDICAÇÕES P/ MELHORES SALÁRIOS ÀS CLASSES TRABALHADORAS E AOS POLICIAIS, MAS SIM QUE, DEVIDO A CRISE INTERNACIONAL O MOMENTO NÃO SERIA OPORTUNO, MOVIMENTO LEGAL NA HORA ERRADA!!!
    SERÁ QUE ESTES MOVIMENTOS TERIAM ALGO HAVER C/ O 2º TURNO EM SÃO PAULO “MARTA X KASSAB”… SERIA P/ DESTABILIZAR OU PREJUDIR QUEM???

  14. Edgar Boturão

    Alô Raul. Forte abraço. A última semana foi realmente um desastre em termos de segurança pública em SP. Embora com evidentes motivos político-eleitorais, o confronto entre a PM e a Civil escancarou a frágil política praticada pelo governo do Estado. Além disso houve o trágico sequestro em Santo André, onde a atuação da PM foi no mínimo discutível. Para mim ficou a impressão de total despreparo dos policiais que invadiram aquele apartamento as cegas. Lamentavelmente, a jovem Eloá se foi. Será que alguem terá coragem para reestruturar as polícias em SP,especialmente a Civil?

  15. Na verdade os políticos visam seus próprios interesses e acima de tudo amam o poder mas não pensam em atuar decentemente em favor dos cidadãos, salvo quando buscam votos com promessas e discursos que não se concretizam. Caso contrário, os policiais civis não teriam o salário vergonhoso que têm por anos e anos de descaso dos governos para com a classe. Aliás, fortalecer e estruturar a polícia seria interessante pra quem mesmo…?
    Partidos fragilizados apoiando-se em pessoas populares…mas até o povo brasileiro começa a perceber!

  16. Caro Raul,
    Quem quiser fazer greve e lutar por seus direitos deve antes de mais nada ir para casa, trocar de roupa (uniformes), deixar suas armas e veículos oficiais nas delegacias ou garagens. Daí sim buscar suas reivindicações. Mesmo assim respeitando-se a lei. Cercar a sede do governo do estado armados significa crime. Alguém em sã consciência consegue imaginar soldados e oficiais do exército em marcha contra o Palácio da Alvorada usando armamentos e reivindicando aumento do soldo? A democracia pede diálogo. A população pede serenidade e que os políticos-sindicalistas tenham mais bom senso e utilizem o acesso ao governo para buscar soluções pacíficas.

  17. Evandro Losacco

    Raul,

    É difícil dialogar com quem não quer o diálogo, o Governador Serra tem apresentado propostas para as lideranças da policia civil dentro das condições financeiras do Estado e elas se quer estão sendo consideradas. O objetivo é o desgaste político e o mais grave de tudo são policiais usando armas e carros da polícia em seus protestos, beira o absurdo, isso não é greve é insurbodinação e merece punição exemplar, até em respeito a policiais conscientes que não aderiram a esse tipo de manifestação.

  18. Raul,

    Sou seu amigo e considero o seu trabalho importante, mas quero dizer que neste caso não cabe protelação.As ações destes policiais baderneiros (veja que absurdo!), evidentemente que sob comando dos aloprados do PT, CUT, Força Sindical e outros, todos parentes da famigerada base aliada, recheadinha de mensaleiros do valerioduto(imaginem só!), deverão receber das autoridades constituídas, sobreudo do legítimo governador Serra, o tratamento que a população do Estado de São Paulo e poque não dizer do Brasil, exige sem vacilação, que é a aplicação rigorosa do braço da lei.
    Essa turminha mencionada, conhecida também como “os irmãos metralhas da política” precisa aprender que para ganhar eleições no voto tem que trabalhar duro, todos os dias, em benefício da comunidade. Fora disso é o que eles estão aprontando.
    Então, meu amigo, é Pau neles! É isso que o povo de São Paulo e do Brasil espera do poder público.

  19. …Caro Raul,

    Colocar a culpa nas centrais sindicais como Serra fez, beira ao ridículo! Os policais não são trabalhadores comuns que necessitam de centrais sindicais p/ promover manifestações. O problema, meu amigo, é o vicío do cachimbo. Como os nossos governantes estão acostumados a mandar o batalhão de choque bater em grevistas desarmados, Serra esqueceu que estes grevistas têm armas! E não havia uma reunião agendada p/ receber uma comissão de greve no palácio e o Serra não “esqueceu” dela? A grande questão é que policia mal paga não é bom sinal. E isto Serra não pensou….Abs.

  20. Na semana passada o deputado Paulinho da Força discursou para policiais reafirmando o vale-tudo eleitoral: “O chefe de vocês, que é o José Serra, sabe que tem de ganhar as eleições. E sabe que uma greve da polícia tem repercussão nacional. A proposta que eu quero fazer aos companheiros é que, na semana que vem, na quinta-feira, a gente faça uma passeata saindo do Morumbi, com carro de som, com bandeira, com faixa”.

    Absurdamente, sabendo que a greve poderia ser usada por interesseiros políticos – alías por um suposto envolvido em escândalo que, também, maculou membros do PSDB, caso BNDES, dos prefeitos de Praia Grande e Guarujá,ambos do PSDB – nada fez. Salvo montar um aparato de guerra.
    Só tem inteligente nesse governo.
    Se fosse um governo de burros – dia seguinte – estariam conversando seriamente com os policiais. Mostrando a cara. Em vez de empregar inteligentes intermediários vendendo mentiras pela imprensa.
    O PSDB não negocia com a polícia, não negocia com sequestrador.
    Salvo se o sequestrador for filho de dirigente do FMI, ou o sequestrado tiver nome Abranel ou semelhantes. Nomes polpudos.
    Em matéria de segurança pública o PSDB não negocia.
    Só faz negociatas.
    Posso demonstrar.

  21. Alfredo de Souza

    Parece que o grupo que tumultuou, incentivou à baderna e incendiou o confronto entre os policiais civis e militares é o mesmo que praticou a mesma coisa em Praia Grande. Se infiltram em qualquer movimento e jogam gasolina na fagulha para ver o circo pegar fogo. Depois vem seu Paulinho da Força, com a maior cara-de-pau que lhe é peculiar, dizer que não houve ação política. Foi lastimável ver aquela cena digna de filme norte-americano. Quem aplaudia, e muito, eram os bandidos. Assim, tinham mais tempo para roubar, sequestrar, matar e barbarizar famílias.
    Alfredo.

  22. Raul, greve é um direito de todo trabalhador.
    Se o trabalhador esperar passar as eleições para reivindicar seus direitos, isso nunca acontecerá, porque mal termina uma eleição e se começa outra.
    O problema não é só do Serra de não atender as reivindicações muitas vezes justas por parte dos trabalhadores, o problema é a fôrça do hábito dos governantes, de todas as esferas, colocarem desculpas como investimentos na saúde, educação e a fôlha de pagamento do funcionalismo público serem o suficiente para estourar o orçamento.
    Mas esses mesmos governantes, não fazem nenhum esfôrço para cortar os cargos de confianças, esses sim de altíssimos salários, comparados ao piso salarial do nosso país, que sempre foi vergonhoso.
    E tem mais, não é preciso estado de greve para que a populaçao, não saiba que a policia militar não suporta a civil, e vice versa.
    A população espera que o governador Serra use do bom senso e resolva sentar com os representantes da polícia civil e apresente uima proposta dígna para a categoria.
    E o Deputado Paulinho da Fôrça, precisa se preocupar mais com sua imagem, que no momento não anda nada bôa, com essa denúncia de corrupção. Carinha de anjo, com atitudes de capêta!

  23. Caro Raul,

    Ler comentários que o governo não conversou com ninguém, não recebeu a comissão de Greve…é Mentira!!!
    Foram mais de 8 reuniões tanto com os Investigadores como com os Delegados, na Assembléia Legislativa foram pelo mmenos umas 5 vezes, acontece que momento político não permitiu um acordo, e não que o governo não atendeu. Outra coisa manifestação armada???? Isso chama Guerra, Revolução… qq coisa menos manifestação de greve. Não sou favorável ao ato, acho que existe outros interesses do que apenas aumento de salário. Se fosse salário já tinha acabado.

    Marquinhos Monteiro

  24. Por que o governador Serra não faz como o presidente Lula?
    Afinal, todo dia tem um documento para o presidente assinar, o que poderia ser feito na sua sala, trabalhando.
    Mas não, para esse governo tudo é festa. E o que vemos diariamente na TV. O Luis Inácio torrando o nosso dinheiro com festinhas para discursar, ser aplaudido e colocar sua assinatura numa folha de papel.
    Que canseira!
    Deixa o homem trabalhar!
    O nosso governador deveria, também, convocar a imprensa para acompanhar suas reuniões, aproveitar para discursar e ser aplaudido.
    No lugar de aplausos, críticas, porque rejeita o Oba-oba e prefere trabalhar de verdade.

  25. O que o senhor parece desconhecer, é que o Desgovernador sabia que iriam policiais fazerem manifestação, e só um grupo iria nos representar, e apresentar a proposta não de aumento salarial mas de reposição salarial. Reposição essa que deveria ter sido feita anualmente e não foi.
    Só um grande irresponsável faz o que ele fez, pois segundo alguns jornais, alguns delegados seccionais e diretores da polícia havia gente infiltrada nos manifestantes e passando informação ao Desgovernador. Então ele sabia o que podia acontecer, e arriscou a segurança de todos que lá estavam, tanto isso é verdade que provavelmente será averiguado pelo ministério público.
    O senhor maquiavelicamente coloca as coisas de encontro a verdade – policiais civis, militares, civis tanto mulheres como crianças ficaram feridos pela intransigência de um governador que ao invés de pensar em campanha eleitoral deveria pensar na democracia, no direito a manifestação, no direito a integridade física. Acusar nós policias de colocarmos faca em seu pescoço… francamente. Parece que ele aprendeu isso nos tempos de UNE, nos tempos em que fugiu do Chile. Mentiras, distorção da verdade, manipulação da imprensa, nós direta e indiretamente já passamos por isso …. mas agora PSDB utilizar-se dessas artimanhas tão baixas, é coisa de Maquiavel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *