Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Não fale de crise com o Lula ?

Enquanto o Mundo revelava a sua preocupação com os efeitos da crise americana, o presidente Lula se vangloriava da "imunidade brasileira", porque nunca antes na sua história o país esteve tão forte para repelir de boca cheia com o bordão "não me venha falar de crise". Mesmo com o clima instável, com as bolsas despencando e as principais moedas oscilando para cima e para baixo, lulopetistas denunciavam, como o lendário prefeito da fictícia Sucupira, Odorico Paraguaçú, que os derrotistas oposicionistas juramentados pediam a Deus que a crise chegasse logo ao Brasil apenas para desgastar o governo. Pois é, essa postura garantiu que o povo não fosse alarmado e os resultados das eleições municipais comprometidos. Mas agora, quem vai pagar a conta dos financiamentos aos setores atingidos ? Lula quer um cheque em branco do Congresso Nacional para ajudar os "especuladores" com verbas do erário, com o dinheiro da viúva, como popularmente se diz.

Os índices de aprovação de Lula, insuficientes para que elegesse postes, como acreditavam a maioria dos analistas políticos antes dos resultados do primeiro turno e das pesquisas derradeiras do segundo, são responsáveis pela dúvida de muitos sobre a influência da crise na economia brasileira e pela anestesia política em relação à construção de um outro projeto de país. Prevaleceu durante quase todo o tempo, o clima de confiança e de crédito no Brasil, superando qualquer indício de crise. Foi gritante perceber a subserviência de alguns partidos e de seus principais líderes, convencidos pela oportunidade de considerar que com o Lula tudo bem, mas sem o PT !

Chegou a hora de acordar para o futuro e compreender que Lula e o PT sempre coexistiram. Que as suas práticas políticas e de governar são semelhantes. E que não é possível continuar aceitando como uma torcida apenas para o fracasso, a falta de uma resposta do governo federal à crise. Se ocorresse logo no início, sem optar por cobrir o sol com a peneira, não haveria o alarmismo e os danos que já são reais na agricultura, construção civil, nas exportações e nos pequenos bancos privados brasileiros.

O ritmo de venda de móveis e eletrodomésticos já diminuiu; produtores tem dificuldade para financiar o plantio com a suspensão das linhas de crédito pelos bancos; construtoras com lançamentos no mercado imobiliário ficaram sem dinheiro em caixa e sem crédito para terminar os seus empreendimentos. Lula comenta que são marolinhas de crise e que levou o tema ao Congresso para que "as pessoas percebam que, embora o Brasil não corra nenhum risco, não podemos vacilar" (segundo as suas próprias palavras).

O Governo quer aproveitar o momento e aprovar, inclusive, uma reforma tributária; tema que ressuscita conforme a sua conveniência política. Contudo é possível observar que os governistas não querem perder a oportunidade de aumentar do poder do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, fomentando os seus negócios e tamanho, comprando ações de bancos e empreiteiros, além de financeiras de veículos. Ao BNDES caberia o socorro aos exportadores.

Enfim, para onde vamos ? Nunca torcemos favoráveis às crises, por menor que elas fossem. No passado recente, Lula e seus companheiros foram useiros e vezeiros em apostar no quanto pior melhor. Parece existir um fosso entre o discurso e as práticas dos principais atores do lulopetismo na definição de medidas estruturantes e de interesse nacional.

Lula continua afirmando que os setores atingidos estão nessa condição porque especularam de forma pouco recomendável, por ganância. Guido Mantega reforça que o governo não vai arcar com um tostão para cobrir prejuízos privados. Luciano Coutinho diz que trabalha para acelerar soluções e Paulo Bernardo acha correto oferecer crédito para ajudar as empresas a equilibrar seus fluxos de caixa. Será que os limites orçamentários são considerados ou haverá uma simples transferência de um rombo possível para o próximo governo ?

A contradição é grande: o importante é a moral elevada, sem consciência de crise, sem importar quem pagará pelos prejuízos trazidos ao Brasil ? Semana passada o governador José Serra alertou para percebermos que o Banco Central está entregando dinheiro de graça aos bancos, para não ficar mal com eles. Nem com os banqueiros e muito menos com os construtores, depois de impregnar uma onda artificial de otimismo. Os bancos com dinheiro terão ainda garantias de financiar empresas sem liquidez. Tema árido, não !? Ocupa todos os dias as páginas de economia dos jornais, bombando a crise que só o presidente da República não quer ver.

Compartilhe

13 comentários em “Não fale de crise com o Lula ?”

  1. Somente o Lula e seu secretariado está otimista pois o mercado está muito atento, os Bancos privados nem conta corrente estão abrindo pois pedem diversos documentos para dificultar. Não sou pessimista mas acredito que as pessoas deverão fechar a torneira , gastarem menos possível neste Natal para que não levem dívidas para próximo ano pois ninguém garante seu emprego.

  2. Assunto economia não é meu forte. Mas basta abrir os jornais diariamente para perceber que a crise está ai, é fato real e já respinga na economia brasileira. A inflação voltou, os preços estão subindo e o desemprego chegou. Se isso não é sinal de crise, eu, de fato, não entendo mesmo nada de economia. Peço perdão pela minha ignorância.

  3. Os brasileiros nesse momento devem desconfiar e não acreditar no que o governo Lula seus acessores e ministros falam , no que tinge a economia brasileira,como pode se ler na reportagem Opinião Notícia:

    consumidores norte-americanos estão estão gastando menos. Todos os varejistas estão sendo afetados pela queda na demanda, mas os mais fragilizados estão com sérios problemas. Enfrentando um mercado altamente competitivo, é possível que alguns já estejam a caminho da falência.

    Para seus concorrentes mais fortes, trata-se de uma oportunidade imperdível. Um consultor norte-americano diz que “esta bifurcação, na qual o forte se torna mais forte, e o fraco se torna mais fraco, está acontecendo em todos os níveis do setor de varejo”.

    Entre os varejistas que oferecem preços baixos, como a Dollar General e a Dollar Tree, os mais fortes também estão ganhando as custas dos retardatários. Analistas dizem que os varejistas norte-americanos precisam agir rapidamente para responder à atual redução do consumo.

  4. Raul,

    Tanto o governador José Serra, como o presidente Fernando Henrique têm alertado que a crise mundial é grave e afeta o Brasil. Compartilho desse entendimento.

    Porém o presidente Lula ignora a crise diante da mídia e utiliza medidas provisórias para favorecer os bancos.

    O tempo, certamente, dará razão a Serra e FHC.

    Um forte abraço!

  5. fausto ivan

    Sabemos que o capitalismo vive de ciclos. Este, com o desenvolvimento da tecnologia, economia de escala exportada, competição autofágica, instrumentos da globalização, é de muita complexidade. O que vai trazer tudo a um patamar real é o estouro da bolha. E muitas vítimas cairão ao longo do caminho, pois há um entrelaçamento próprio do modus operandi capitalista. Mas, só p/ pensar se a crise chegará até nós: há 2 anos e meio, um kitchnete no centro de são paulo custava 25 a 30 mil, hoje, 70 a 80 mil. Aptos de 60 metros em lançamento em bairros nobres custam mais de 300 mil. Será que existe bolha aqui?

  6. Sabe, eu até vou além. Se a gente sentar, e analizar tudo que aconteceu neste pais,m, em termos politicos, depois de Lula assumir a faixa ( valerio e companhia) e vemos agora Lula, usando a crise internacional, para apadrinhar banqueiros usando o critério sei lé de onde, e acontecer de podermos por lado a lado, o hoje, e o ontem – aquele ontem, que juramos que nao deixavamos voltar mais – vamos encontrar certas semelhanças que, diga-se de passagem , pode preocupar muito mais do que esta coisa internacional. Voces devem lembrar, Cristiano por certo lembra, que este pais era até dono de Hotel?
    Ja pararam para pensar, que esta compra de bancos, pode ser o início de uma compra, bem maior, do que a esperada?
    Houve aqueles, que no Valerioduto, falasse que estavam programando a montagem de um Império! Como se monta impérios? Com dinheiro… Quem tem dinheiro? Bancos!!! Pessimismo demais? Oia, quero que seja isso mesmo, do contrário, pego a minha cadeira, uma muchila, e vou para pra Cubatão,prlantar bananas nos sitios dos Pilões, pois lá ninquém me acha!!!! heheheheheh

  7. Que popularidade é essa que só os jornalistas enxergam?
    Afinal, platéia que recebe dinheiro para aplaudir político em palanque está longe de merecer crédito.
    Além disso, no dia da votação tinha meia dúzia de gatos pingados. Para ver o presidente popular? Não sei não. Acho que era para ver o cantor Frank Aguiar.

  8. Esse raciocínio sobre o império é interessante e preocupante.
    Não podemos esquecer da forçada de barra ilegal da BROI, que, provavelmente, vai desconstruir tudo o que o Fernando Henrique fez para beneficiar a população. Esse será um de seus impérios – o da telefonia.
    Agências Reguladoras, Receita Federal, imprensa, igrejas, enfim, está tudo dominado.
    Enquanto isso, o presidente afirma que ainda não tinha tomado providência sobre a crise porque não sabia de nada e o povo segue seu exemplo, também finge que não sabe de nada e tem raiva de quem sabe. É justamente isso que eles querem.

  9. Raul,
    Essa estória de “poste” faz parte do esquema de repetir mentiras até que se tornem verdades.
    Marta Suplicy não é nenhum poste e perdeu feio.

  10. Raul,
    Quem conhece o discurso dos petistas e lulistas, antes de chegar no poder, fica pasmo.
    Quando imaginaram, aqueles que acreditavam nesses discursos, e hoje assiste, o Presidente enviando projeto para que o Congresso aprove a destribuição do erário para salvar bancos e banqueiros.
    É por essas e outras, que o povo cada vez mais desconfia dos políticos e radicalizam a política.
    O Lula, chega de besteira, pois ficou provado nas eleições recentes que sua popularidade e forjada por grande parte dessa mídia demagoga, que, com atitude iresponsável, deixam a população desnorteada com tanta bobagem.
    Fora Lula e o seu PT.
    Voces já eram!

  11. Bom dia

    Desejo tudo de bom para todos

    A historia precisa de conteúdo

    E o momento e propicio para produzir o concerto final

    Para o mundo melhorar e preciso mudar com uma carta de comprometimento envolvendo todas as nações e as intenções bem explicitas para a economia começar a recuperar aos poucos ficando no ponto morto por um período indeterminado

    Ate implantar uma nova economia solida sem sacrificar o lucro da produção de todos colocando o ser humano em primeiro lugar como principal capital existente

    Isso ate finalizar vai produzir a maior união globalizada para por a economia nos eixos em cima dos trilhos necessários para dar sustentação a necessidade de todos sobreviver ate morrer como se estivesse vivendo num paraíso, tal será a felicidade de todos a partir desse dia

    Porque todos nos comemos a mesma comida, bebemos a mesma água, respiramos o mesmo ar

    Vivemos sobre o mesmo teto lua e sol no planeta terra que da tudo, e nem cuidamos dessa criança que esta crescendo virando adulto sem rumo, o que ser de nos quando for dar o primeiro respiro a primeira tossida para dispensar a poluição dentro do seu pulmão

  12. VIDRAÇARIA STAR GLASS

    – ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA

    O Envidraçamento de Sacadas, Varandas e Ambientes é uma solução extremamente elegante, prática e segura que permite ampla visão, proteção contra ações do tempo, redução de ruídos externos, de fácil limpeza e manutenção, e o melhor: possibilita a abertura total ou parcial dos vidros, valorizando o ambiente como você nunca imaginou.

    Vantagens:
    – Otimização de ambientes;
    – Não altera a fachada do edifício;
    – Ajustável a diversos formatos;
    – Redução de ruídos externos;
    – Ótimo custo-benefício.

    NOSSOS SERVIÇOS
    – Box
    – Espelho
    – Sacadas
    – Fachadas
    – Cobertura
    – Decorações de Vidros

    FONE: (11) 3431-1659 / (11) 8950-8623

    E-MAIL: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *