Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Yeda, política sem “teflon” !

Por muitos anos, PT e Porto Alegre eram sinônimos. Rio Grande do Sul e terra de machos também. Daí surgiu Yeda Crusius, PSDB e mulher, que desde o primeiro dia do seu governo dizia que o seu objetivo de zerar o déficit não era por uma razão contábil, mas uma decisão política para servir ao povo gaúcho. Os aliados que conseguiu para vencer as eleições em 2006 queriam outras coisas para garantir a governabilidade. Mas, felizmente (ou não, dependendo do campo de visão) faltou a Yeda, ex-ministra do planejamento e deputada federal, habilidade para impor os seus planos e programas, rejeitando o jeitão normal de fazer política no Brasil. Vitoriosa, porque não tinha rejeição, enfrenta agora a reação dos mais rejeitados.

Inflexível, "cabeça-dura", sobrou a Yeda Crusius pagar um elevado preço para tentar a superação do preconceito e do fato de que o seu PSDB sempre foi um partido nanico no Estado gaúcho. Não fazer concessões aos "aliados" significou e ainda significa concentrar as suas energias mais positivas para desmontar minas e carregar os piores estigmas, porque ela é uma das raras figuras políticas brasileiras em que o "efeito teflon" não lhe serve, curiosamente.

No último final de semana, Yeda foi alvo de denúncias que alimentam o noticiário nacional desde as brigas que teve com o seu vice-governador, com a base de sustentação na Assembléia Legislativa e com alguns membros do seu próprio governo. Hoje à tarde ela assistiu a uma manifestação de protestos na região central de Porto Alegre, composta de estudantes, servidores públicos e professores querendo o seu impeachment. Esse evento foi organizado pelo Centro de Professores do Estado, que veiculou comerciais em sete emissoras de TV durante o horário nobre e que foi acompanhado com sorrisos lulopetistas no canto das bocas.

Acontece que, em julho do ano passado, depois de provocar desgastes à governadora, uma CPI na Assembléia Legislativa gaúcha, que investigava os desvios atribuídos a Yeda e à sua equipe de governo, concluiu relatório isentando-os de qualquer responsabilidade com os fatos. Agora, a mesma oposição, liderada pelo PT, quer outra CPI, no penúltimo ano da sua gestão, quando muitos políticos acham que Yeda está derrotada e parece um gato morto.

Convivi e conheço há muitos anos a governadora Yeda Crusius. Ela tem uma história de respeito e sempre foi uma militante obstinada e franca com a mudança nos rumos do Brasil. Acho que ela vai esclarecer essa situação e se reelegerá, de modo que possa empreender um governo sem o déficit que atormentou o Rio Grande do Sul por mais de 30 anos. Também acho que ela ainda conta com uma defesa tímida por parte de seus companheiros do PSDB, até que se prove o contrário, o quê, convictamente, acredito que em breve vai transparecer !

Força, Yeda, sempre !

Compartilhe

14 comentários em “Yeda, política sem “teflon” !”

  1. Eu torço, sinceramente, que haja justiça neste país, não a justiça dos homens (como quer o juiz demagogo), pois o ser humano mal informado é facilmente influenciado pelas calúnias demoníacas e extremamente cruel.
    Eu acredito na Yeda, porque a má intenção nestas denúncias é tão óbvia, que não há necessidade de muita reflexão para perceber o que essas pessoas vingativas e traiçoeiras são capazes de fazer para conquistar o poder absoluto.
    Por outro lado, perdoe-me, mas os tucanos merecem esses ataques, porque fazem política de sacristia, onde todos se julgam santinhos e não esclarecem a população, enganada e iludida com as mentiras das propagandas desse governo, sobre os crimes, os negócios ilegais (OI/ TELEMAR, por exemplo), a verdade sobre os programas econômicos e sociais de FHC que o Lula, descaradamente, usurpou.
    Além da farra com dinheiro público, gastança com cartão corporativo, patrimônio milionário depois de décadas sem trabalhar, mansão no Guarujá, fazendas,………. O povo tem o direito de saber a verdade.

  2. fausto ivan

    Nao creio que Yeda Crusius manchasse seu passado com essas denuncias. É muito primaria a acusacao para nao vermos ardil e maquiavelismo, principalmente por parte dos petistas que ja provaram que pisam no pescoço da mãe pelo poder. Mas também cabe a crítica de que nossas “lideranças” não são solidárias, e, não são mesmo. Diz alguma coisa Serra, Aécio e companhia.

  3. Não vou misturar as estações, somente vou comentar o caso da Gov. Yeda Crusius. Quando o PSDB nasceu, era comum companheiros se dirigirem a outro e comentar”por esse, eu ponho a mão no fogo”. Os anos se passaram, o PSDB, chegou as Prefeituras, Governos Estaduais e Federal. O Partido cresceu no início, depois inchou ao assumir o Governo Federal. Princípios que nortearam a sua criação e que mais que símbolos, eram tratados como pontos de honra, para mostrar ao País, que de fato, éramos diferentes, com o passar do tempo, foram relegados a segundo plano e até esquecidos. Hoje, infelizmente o PSDB, é um partido igual aos demais. Encontra-se de tudo dentro dele. Tucano, puro de origem, que defende a doutrina e princípios de sua criação, são poucos. A direção do PSDB, perdida, em fazer oposição e em mostrar a população os desmando atuais, vem a público e diz; estamos com a Governadora, etc e tal.Pura retórica, aliás todos agem assim, inicialmente.
    Não acho justo e correto já sair condenando. Porém todos, principalmente em cargo público não tem que somente ser: tem que também aparentar ser.Além do mais as denuncias envolvem familiares da governadora, que sequer o PSDB conhece. Como são denuncias fortes e originalmente proveniente da base aliada, fico com a posição do Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso: Tem que apurar.Cabe a governadora fazer uma defesa convincente o que até agora não o fez. Confesso que como tucano de primeira hora, fundador do partido, torço para que as investigações conduzidas por orgãos competentes e isentos não encontrem base nas denuncias em questão.Entretanto, há que se investigar, sim.

  4. Paulo Ritta

    Entendo que a governadora gaúcha escolheu sempre o caminho mais difícil, mas o mais correto e justo para conduzir o seu governo. Ser inflexível é, muitas vezes, acreditar em princípios, e seguir em frente. Creio que se a proposta é sincera, ela seguirá e vencerá frente a quem não tem a mesma força para agredir, embora incomode.

  5. Ricardo Muza

    O problema é que além de mulher e do PSDB ela é paulista!

  6. O PT, pode ser o que for, mais uma coisa ninguém pode negar, é o único partido no Brasil que sabe ser oposição, os demais são como restia de pólvora, só causa chumasco.
    A governadora Yeda precisa apresentar sua defesa com transparência, pois ela é que precisa provar que nada tem as escondidas.
    CPI é saudável não somente quando é criada para apurar as denúncias alheias.
    Agora mesmo o PSDB tenta montar uma no Senado para apurar as denúncias na Administração da Petrobrás e esta corretamente certo os senadores do PSDB, só que o Cristovam Buarque já pulou fora do barco e não dirá qto. levou para ter esse procedimento, mais todos sabemos que foi comprado.
    E outros também serão, e mesmo havendo a criação da CPI, pode preparar o môlho a Lá-Lulá.
    Porque uma montanha de reais iram para os bolsos dos corruptos, e ai tudo fica um mar de rosas.
    E o povo.
    Ora, o povo é que é o culpado! Brincadeira essa política do é dando que se recebe!

  7. Ieda é guerreira e não se curvou à pressão do sindicalismo raivoso e ao MST. É uma mulher firme e tão competente que saneou as contas do estado. O Ministério Público já a inocentou, com relação a compra da casa. Mas o PT continua batendo nisso e acrescentando a morte do assessor, como se tivesse havido um assassinato. Assim, sem prova alguma.

    Infelizmente, o PT, quando oposição, não abre mão de estratégias de qualquer natureza, mas principalmente anti-éticas, para enfraquecer o adversário. Mas o principal é que sabe como espalhar boataria.

    Por menor que seja o deslize, consegue fazer dele uma bomba.

    Vejam, por exemplo, o que fizeram com Alckmin e os vestidos da dona Lu… Comparando com os escândalos do governo lula, parece nada. Mas eles sabem como agir. Bem ao contrário da maioria da oposição. Tem faca e queijo na mão, Ã fartura e, quando muito, arranham a casca do queijo.

    Lá no Rio Grande, o Britto perdeu a reeleição por voltar atrás de uma declaração que dera, privatizando a CRT. O PT simplesmente pegou a declaração anterior de Britto e carimbou constantemente nos meios de comunicação: Britto mente! Britto perdeu. Não adiantaram as explicações, por sinal lógicas, que deu. Valeu mais a operação maciça de desmanche da imagem do ex-governador. Venceu, na época, o estilo PT de ser oposição. E deu no que deu. O PT deixou a verdadeira “herança maldita” para o Rio Grande.

    Pois bem, no Brasil a oposição tem centenas de declarações de lula e de outros governantes petistas, quando em campanha, que foram deixadas para trás. Para não falar de números fantasiosos, manipulados para cegar o povo. Mas alguém se arrisca a colocar em propaganda CONSTANTE – E SEM MEIAS PALAVRAS – que ele é um mentiroso?

    Então, essa é a diferença. Nossa oposição não precisa chegar ao extremo, faltando com a verdade, para atacar, como faz o PT. Mas tem fatos na mão e não os usa como deveria junto à midia. É muito delicadinha para o meu gosto.
    Como dizia FHC: assim, não dá!

  8. Ricardo Zanoni

    Perai tucanada, vamos por partes:

    Independente do PT há muito mais coisas no ar que se devem explicar. Vou apenas enumerar 3 ítens para que alguém por enquanto me responda. Depois se quiserem prosseguiremos. Vejamos :

    1. O vice de Yeda que do DEM, comparsa do PSDB já rachou com ela ainda antes de assumirem o governo. E já falava dos conchavos corruptos da chefa.

    2. Aquela história do DETRAN gaúcho, que nada teve a ver com PT, ainda não se explicou.

    3. O ex-assessor de Yeda, que havia rompido com ela, apareceu morto no lago de Brasília. Tampouco se clareou !

    Será que o Raul ou seus agregados, podem dizer algo pra nós pobres mortais ??? Hein, hein, hein !!!

  9. Ricardo Zanoni

    O colado abaixo catei no blog do Ricardo Noblat, insuspeito porque tucaníssimo irrustido. Nada de PT envolvido, pois lá até trabalha parente do Artur Virgílio, lider tucano no Senado. Ei-lo :

    O PSDB deveria dar a assinatura que falta para a CPI

    Há farto material a ser investigado por uma CPI interessada em apurar se houve ou não Caixa 2 na campanha da governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crucius (PSDB). E só falta uma assinatura para que a CPI possa ser criada.

    Por que o PSDB da própria governadora não fornece a assinatura que falta?

    São mais fortes as suspeitas de Caixa 2 na campanha de Yeda do que de grossas irregularidades na Petrobrás, alvo de uma CPI inspirada pelo PSDB

  10. Hoje, 20/05/2009 – 20:00 horas, haverá reunião comunitária, para discutir o ensino na Escola Estadual Parde Bartolomeu de Gusmão. rua Cananeia n° 192, Saboó

  11. Manifesto do PSDB em solidariedade a Yeda Crusius

    Brasília (22 de maio)- A Direção Nacional do PSDB, os governadores eleitos pelo PSDB e os líderes partidários vêm reiterar o enorme respeito que têm pela governadora Yeda Crusius e por toda a sua longa trajetória política, construída com competência e respeito a princípios éticos.

    Estamos seguros de que a governadora saberá responder a cada uma das acusações que lhe são imputadas por seus opositores no Estado.

    Lamentamos ainda que a radicalização do quadro político no Rio Grande do Sul esteja colocando em segundo plano a importante obra administrativa do Governo Estadual, que vem buscando, com extrema seriedade, o equilíbrio das contas públicas e o resgate da credibilidade interna e externa do Estado.

    Com este documento tornamos pública nossa total solidariedade à governadora Yeda Crusius, ao PSDB do Rio Grande do Sul e aos nossos aliados.

    Assinam:

    Senador Sérgio Guerra- presidente nacional do PSDB

    Senador Arthur Virgílio- líder do PSDB no Senado

    Deputado José Aníbal- líder do PSDB na Câmara

    Governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho

    Governador de Minas Gerais, Aécio Neves

    Governador de Roraima, José de Anchieta Júnior

    Governador de São Paulo, José Serra

  12. O PSDB tem a obrigação de reagir e apoiar a governadora do RS.
    Imaginem se o Serra ganha no ano que vem, o inferno que será viver nesse país, tamanha a violência e as sabotagens que esse pessoal vai provocar.
    Não adianta enfiar a cabeça na terra feito avestruz.
    Se vocês tentarem amenizar para não comprometer suas reputações, vocês não irão apenas sofrer duros golpes, como o que está acontecendo com a Yeda. Vocês vão sumir do mapa, desintegrar, desaparecer. E eles já estão conseguindo isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *