Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Senador Eduardo Azeredo indefeso !

Tenho acompanhado pela imprensa, o pré-linchamento do senador Eduardo Azeredo, um dos fundadores do PSDB no Estado de Minas Gerais, por causa do relatório da polícia federal, que "concluiu pela existência de um esquema de caixa 2" na sua campanha à reeleição para governador em 1998. Em 2006, quando explodiu o escândalo dos Correios e emergiu a figura do publicitário mineiro Marcos Valério, como responsável pela distribuição de mensalão a políticos da base aliada do PT, a conexão com Minas popularizou a expressão "valerioduto" e trouxe de roldão o seu PSDB. Até esse ponto, nenhuma surpresa foi causada ao eleitorado brasileiro, convencido que todos os políticos são farinha do mesmo saco.

Mas, nos últimos dias, fatos novos sobre o caso das raízes do "valerioduto" ocuparam revistas semanais e os espaços dos jornais pelos repórteres investigativos e pelos analistas de plantão. Além de Eduardo Azeredo, houve respingos nas figuras públicas do governador tucano Aécio Neves e do ministro lulista Walfrido dos Mares Guia. E uma porção de postagens fez misturar petistas (os 40 já denunciados) e tucanos mineiros (em vias de serem denunciados pelo procurador-geral da República ao Supremo Tribunal Federal), como se fosse para engavetar ou escandalizar tudo.

Não estou entendendo mais o comportamento do próprio PSDB em relação ao citado envolvimento do senador Eduardo Azeredo. Lí com ironia as manifestações do presidente Lula de solidariedade sobre os seus 40 denunciados. Acabo de reler as declarações do presidente da República ao jornal americano "The New York Times", dizendo não acreditar no envolvimento do ex-ministro e deputado cassado José Dirceu (PT) com o mensalão. Achei no site do Democratas – DEM, maior aliado do PSDB, a publicação, na íntegra, de matéria do jornal "Valor Econômico", cujo título estampava singelamente "PSDB divide-se na defesa de Azeredo".

Mergulhei nessa diferença de comportamento de tucanos e petistas, em relação aos seus quadros políticos importantes. Não encontrei uma palavra que expressasse, de imediato, solidariedade do PSDB ao senador Azeredo. Também não achei uma declaração de dúvida sobre as denúncias que recaem sobre si. Constatei interpretações sobre a possibilidade do partido explicitar uma estratégia de diferenciar mensalão tucano, como sendo "doações eleitorais não declaradas", do petista justificado como "recursos não contabilizados".

Belíssima hipocrisia essa de explorar o fato que apenas a campanha eleitoral de Eduardo Azeredo praticava caixa 2 em 1998. Se havia mecanismos de impedir isso já naquela época, a bem da democracia e da transparência pública, bem que todas as contas eleitorais poderiam ser revisitadas. Quantas campanhas em 1998 e em 2006 tiveram níveis de exposição tão abusivos e uma prestação de contas tão fictícia ?

No Brasil, há políticos acusados de improbidade administrativa, quebra de decoro e abuso do poder econômico, que renunciam e voltam à cena graças aos votos "gratuitos" e "desinteressados" do povo. Corruptos declarados funcionam como iô-iô, nunca se importando com o quê pensam os cidadãos. Aliás, riem dos cidadãos. Mas assisti, recentemente, à cassação de um senador do Amapá, acusado de ter corrompido dois eleitores, com a compra de seus votos por R$ 27 (vinte e sete reais, sim).

Quero dizer que não se justifica o posicionamento equidistante do PSDB com um quadro tão importante e decente como o senador Eduardo Azeredo, também ex-presidente nacional do partido. Mesmo que seja denunciado e incluído no rol daqueles que futuramente serão julgados pelo Supremo Tribunal Federal, ele não merece esse tratamento de abandono político.

Azeredo indefeso é um mal exemplo da falta de respeito. O presidente Fernando Henrique disse que falta convicção ao PSDB para reconhecer o legado de seu governo de tantos êxitos. Não posso crer e aceitar a minha própria infâmia, de refletir se não seria o caso de o PSDB ter alguém como o "Lula", que não se constrange em revelar solidariedade a um companheiro, até que se prove o contrário!

Compartilhe

7 comentários em “Senador Eduardo Azeredo indefeso !”

  1. Realmente, falta recheio no PSDB.
    A militância elege seus líderes e à partir daí há uma divisão no partido. A camada superior esquece a força da camada inferior. Os demais colegas da camada inferior são esquecidos e relegados pela força do “todo”.
    Aqui, em Itanhaém, a situação não é diferente. Vemos muitos colegas magoados e indignados. Mas, ir pra onde? Falar com quem? Só resta esperar as próximas eleições, oportunidade em que se agita o meio. Mas nesse período de eleições vemos um quadro novo repleto de novos oportunistas que vêm não sei de onde e por interesse de outros, se instalam na militância com propósitos, meramente, pessoais pra fazerem mais uma rodada de aventura, como se o partido não tivesse um Estatuto, ideais ou princípios éticos para selecionar ou filtrar suas fileiras. Precisamos, urgentemente, rever essa situação. Criar um “recheio” mais consistente no partido, pois os verdadeiros tucanos são peças que fazem o PSDB ser um partido diferente dos demais, com ideais puros de desenvolvimento e respeito aos cidadãos de bem. Caso contrário, estaremos nos nivelando, por baixo, perdendo membros importantes que, desacreditados abandonarão a política e proporcionarão um futuro negro para nossa Democracia.
    Aqui em Itanhaém, pessoas do mais inescrupoluso caráter são filiados ao partido e, pasme, integrando o Diretório, chocando seus propósitos frontalmente com os do partido, acotovelando demais membros, que há anos militam em busca de interesses comuns à sociedade, permanecendo assim, durante o tempo que o partido detem o poder.
    Acho que o PSDB (Regional) deveria exigir um “curriculum” de cada interessado em filiar-se, principalmente dos que buscam no partido apenas a legenda para disputarem um cargo eletivo, avaliando uma relação de custo e benefício para os objetivos do partido.
    Desculpe meu desabafo, mas costumo ser fiel aos meus costumes e no momento, pelas razões acima descritas, busco entendimento interno sobre o meu futuro nesse grupo.
    Um abraço!
    Fiarresgo

  2. Luciano Araujo

    Para mim jovem tucano,tudo não passa dos limitrofes eleitorais vislumbrando 2010, mas como tenho muito a aprender seguirei o exemplo de Fiarresgo;ao extremo prefiro ir, diria para que possamos nos unir de fato e valer-nos da ferramenta partidária é pressionarmos uma reforma politica ampla, com liames intrapartidarios estatutários,mas onde conseguir apoio.Mas já não posso direcionar-me por Daniel Scardua, afinal são seus partidarios que não sabem ser partidos, mas sem seis ou meia duzia acredito que levantar uma bandeira que evite o desgaste PSDB seje em minas ou São Paulo ser impressindivel, contanto que respeitemos os fatos e que abandonemos o que vejo ocorrer, e que foi citado em diversos blogs supostamente apartidários, de que direita ser PSDB e esquerda ser PT ,mudar sempre ser preciso portanto muita cutela com este joguete eleitoral que no minimo se gera nos dias de hoje. A democracia tem muito a desenvolvermos e este não ser o caminho. JPSDB-CUBATÃO (conselheiro) [email protected]

  3. Raul, aqui temos visões diferentes: o que vc acha das declarações do Lula? Perfeitas? infundadas? se for a segunda opção, não podemos esperar o mesmo comportamento do PSDB.
    O PT comprava deputados, e isso é fato. Em Minas isso nunca acnteceu. Isso é fato.

    Mas tbm é fato de que a campanha foi corrupta. Culpa do Azeredo? Ele sabia? Provavelmente não. Mas era o responsável.

    O discurso, independente das diferenças entre o valerioduto mineiro e o naconal, tem que ser o mesmo, e as responsabilidades também.

  4. César Augusto de Oliveira

    O Valerioduto foi criado para que a GERDAU nãp pagasse impostos.
    E a CPMF foi usada para tapar o rombo de R$ 6 bilhões gerado.

  5. César Augusto de Oliveira

    Azeredo sabia muito bem que as negociações para que a GERDAU adquiri-se a AÇOMINAS , rebatizada como GERDAU-AÇOMINAS , foram intermediadas por ele pois era o governador da Provincia Feudal de MG e também ex-presidente da AÇOMINAS , criando o Valerioduto.
    Disfarçaram o esquema através da falsa imagem de empresário de ponta de Jorge Gerdau.
    Tanto que a GERDAU tem 2 empresas doadoras do Valerioduto e também faz parte do Conselho de Administração do Grupo Abril , que ajudou DANTAS Ã se esconder através de notícias falsas.

  6. César Augusto de Oliveira

    E da mesma forma que a BrT e a Oi anunciam na Editora Abril , que as defende com unhas e dentes , também a Gerdau que anuncia na Globo e outros emissoras foi blindada.
    Resumo da História : Quem criou o Valerioduto foi o PSDB-MG Ã pedido do puxa-saco dos iluministas frances , o hipócrita e gerador de bandidos em larga escala , Fernando Henrique Cardoso , o pai da neo-corrupção trafico-influenciária e tráfico-golpista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *