Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Cartão de SP para apagar os de Lula ?

No início da madrugada de hoje postei o texto anterior, rechaçando a abordagem das despesas dos cartões de débito do governo do Estado de São Paulo, porque a meu ver a comparação deles com as irregularidades cometidas pelo governo Lula é descabida. Ironizei a repercussão do blog de Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada, que não mereceu espaço nem mesmo do seu provedor IG. Além dele próprio e do site da Assembléia Legislativa paulista, ninguém falara no assunto até a circulação dos principais jornais do Estado na manhã de hoje. Os gastos de R$ 108 milhões com os cartões estaduais tiveram destaque em praticamente todos. Curioso é que os petistas de São Paulo, a exemplo do líder governista Romero Jucá em Brasília – com a CPI que não aconteceu, incluíram esse novo ingrediente na mídia, como se fosse para desviar a atenção do uso desgovernado pelos afilhados políticos do presidente da República.

Muito diferente do governo federal, nenhum secretário, secretário-adjunto ou qualquer autoridade estadual possui cartões do governo para qualquer tipo de gasto. Nenhum servidor possui cartões para pagamento de despesas pessoais, conforme antecipara ontem à noite o secretário-Chefe da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira.

O governo do Estado esclarece que "assim como nos gastos com o cartão de débito, os saques não são realizados pelos servidores que farão uso do produto comprado, mas sim pelos ordenadores de despesas, e estão sujeitas à prestação de contas. Para todas as operações, é obrigatória a apresentação de notas fiscais. Esses documentos são examinados pelo Tribunal de Contas do Estado, e as transações são registradas no Sigeo (Sistema de Gerenciamento Orçamentário), que é público".

Ainda diferentemente do governo federal, quem executa os gastos são funcionários e não os secretários, como já assinalei anteriormente. Cada cartão é válido para apenas um tipo de produto. Por exemplo: cada secretaria tem um cartão para compra de gasolina, outro para álcool combustível e um terceiro para dieses. São 47 ítens. Cada funcionário pode ter no máximo dois cartões.

E o governo Lula? Qual o destino dos seus saques? Como sacar, em diversas oportunidades, importâncias superiores a R$ 20 mil, mencionadas em matérias por toda a mídia?

Esta postagem, reincidente no assunto dos últimos dias, acontece com o objetivo de reafirmar a compromisso deste blog com os cenários políticos, econômicos, sociais e culturais do nosso cotidiano. O leitor que me acompanha desde o início é a maior testemunha que a linha deste blog tem a ver com a liberdade de imprensa, a pluralidade do pensamento e é um espaço bem definido para preservação de pontos de vista democráticos, nacionais e de centro-esquerda. Nada aqui é escondido. Todos sabem das minhas convicções e envolvimentos políticos, doutrinários e ideológicos, portanto.

Mas o tratamento que dispensei ao Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, teve o condão de explicitar o grau sectário do seu blog, principalmente porque de antemão ele sugere que o leitor "não coma gato por lebre", para entender a sua linha de informação e opinião. Conversa Afiada, segundo o seu editor, não gosta de: 1) FHC; 2) Daniel Dantas; 3) Rede Globo; 4) Imprensa farisaica; 5) O Corvo do Lavradio; 6) Ronaldo dito "o fenômeno"; 7) C.R. Flamengo; 8 ) Quem fala mal do Rio; 9) Quem fala mal de nordestino; 10) Brasília; 11) Pós-moderno; 12) Dry Martini com uma gota a mais de Martini; 13) SUVs; 14) Filme de terror; 15) Amsterdam Avenue; 16) Urna eletrônica; 17) José Serra e 18) Gatos.

Parcial assim, só pode estar a serviço do PT !?  Com todo o respeito aos meus leitores!

Compartilhe

9 comentários em “Cartão de SP para apagar os de Lula ?”

  1. Sílvio Amado Gonçalves

    Caro,Raul – bom dia!

    Se o comentário acima retrata a realidade, eu que solicitei transparencia em relação as notícias relativas ao governo Paulista , devo dizer, que o Governo Lulla, deveria mandar um desses executivos amadores aprender como se deve trabalhar com o Govêrno de São Paulo.
    O, porque de Amadores, explico, para mim o governo federal tem em suas fileiras mais amadores que profissionais, só tem aloprados(palavras do presidente)
    Abraços,

    SILVIO

  2. Ernesto Donizete da Silva

    Teci meus comentários na matéria anterior.

    Assim, Raul, quero lhe pedir um favor: – Pare de “perseguir” o Governo Federal do “Inácio” – eles possuem SOMENTE – 13 mil e 600 cartões “CORRUPTIVOS”….

    (P)osso (T)er uma idéia de que (P)ara (T)odos os petistas agraciados com os cartões esta situação é normal e corriqueira. (P)ara (T)odos seria melhor o PT assumir os erros, os abusos, as discrepâncias, etc… E em ato contínuo apurar e punir os responsáveis do que continuar tentando tapar o sol com a peneira.

    Cadê o ressarcimento aos cofres públicos, por exemplo, dos gastos da ministra que saiu pela porta dos fundos, ou será que o Governo Federal deixará para lá – são apenas R$. 147.000,00 reais. Cadê a responsabilização?

    Ernesto Donizete da Silva
    PSDB/SANTOS

  3. Plínio Melo

    Fico sensibilizado com este embate, textos, denúncias… Na condição de cidadão, sem filiação partidária, agradeço à queles que em nome da decência se engalfinham em uma disputa partidária.
    Pode ser que assim o cidadão – sem vínculo partidário – seja mais respeitado.

  4. Leopoldo Pontes

    Caro Raul

    Paulo Henrique Amorim tem todo o direito de expor o que não gosta, mas isso não nos obriga a concordar com ele. Também não gosto da rede globo, mas FHC foi o melhor presidente que tivemos nas últimas décadas.

  5. Vendo, lendo e ouvindo sobre as mazelas que incrivelmente ocorrem bem debaixo de nossos narizes, confesso que tenho grande dificuldade em entender esse ‘fenômeno’ que faz o povo brasileiro permanecer nesse torpor e aceitar toda essa vergonha.
    Pior que a festa vem de tempos…Não é de hoje não: privatizações ‘estranhas’ aos interesses do povo mas brilhantes para alguns… Agora uso dos cartões para essa farra com nosso dinheiro…
    Amigo Raul, indignação, é só o que posso dizer.
    Para uma educadora idealista, isso dói ainda mais.
    É muito triste constatar como (des)governam os eleitos pelo voto…
    Chris
    [email protected]

  6. Raul, não acho certo que um cartão serve para apagar outro.
    Se por um lado temos pessoas no Governo Federal despreparadas ou atabalhoadas, fazendo o que fazem com relação a falta de respeito com o povo brasileiro, ao se apropriarem do erário publico. Por outro ficam as dúvidas se por parte do Estado, esse tipo de gente tenha mais gabarito e seja mais intelectual no uso da coisa pública (erário), por conta disso é que talvez~nada seje apurado profundamente, fica como estava, como se os poderes estivessem brincando de gato e rato e vice e versa.
    Por ser filiado a um partido de oposição ao governo do PT, não posso aceitar de forma alguma, a morosidade em que os partidos oposicionistas encaram esses fatos, que só envergonham os políticos que trabalham em prol da sociedade. E mesmo que não fosse filiado a nenhum partido, teria a mesma indignação como cidadão.
    abs.

  7. Indignação com a farra do dinheiro público, amigo Raul.
    Agora mais ainda vendo que se não bastassem os mais de 70 milhões do Governo Federal, o governo (ou seria des-governo) do estado de SP, gastou nada menos de 108 milhões ano passado.
    Até quando…
    Por muito menos, políticos são condenados em outros países. Aqui, abrem-se novas CPIs que acabam todas em pizza. É só até a poeira baixar
    E novos golpes serem descobertos.
    Num país que tem mais de 18 mil escolas sem luz elétrica e que a preocupação com a educação é só um engodo (haja visto que os filhos de nossos governantes, não estudam na escola pública tão somente por não acreditarem no que apregoam e depois, abocanham as vagas nas melhores universidades públicas, o que esperar?
    Sem educação, não muda…
    Chris

  8. Quem está criticando as despesas do governo do estado de São Paulo está querendo que aconteça, mais ou menos, o seguinte:

    – quando um grupo de militares tiver que prestar serviço em outra cidade, como, por exemplo, a operação verão no litoral do estado, eles devem pagar alimentação e hospedagem com dinheiro do próprio bolso,

    – quando alguma escola ou creche promover uma festinha para as crianças, cada família leva um pratinho de doce ou salgado,

    – quando faltar utensílios de cozinha numa creche, escola ou qualquer outra instituição, os funcionários devem comprar com o seu próprio dinheiro,

    – quando faltar combustível em ambulâncias ou viaturas da poícia ou dos bombeiros, os militares abastecem com seu próprio dinheiro,

    – nenhum funcionário do estado de São Paulo receberá benefícios como vale transporte ou vale-refeição,

    Será que a população ficará mais feliz assim?

    Será que esses e outros benefícios oferecidos à população podem ser comparados com a gastança particular do governo federal?

    Parabéns ao governador José Serra por aplicar muito bem o nosso dinheiro.
    É isso que nós queremos, que os impostos que pagamos sejam devolvidos em prestação de serviços. O nosso dinheiro é para ser usado com a população, tal qual está sendo feito no estado de São Paulo.

  9. Será que um jornal que publica calúnias sem provas merece credibilidade?
    Quem compartilha com esse tipo de pensamento é a elite do governo federal. bamqueiros e grandes empresários, além dos coitados do bolsa-família, que acreditam em lobo-mau.

    Como este está sendo o publico alvo desse tipo de jornal, deixemos para eles o consumo do mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *