Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Qual o rumo do PSDB em 2008 ?

A imprensa precipitou a discussão sobre o rumo do PSDB na disputa das eleições municipais de 2008. Mas o PSDB ainda está refletindo e compondo o cenário político, tendo como norte a orientação das suas direções estadual e nacional para que apresente candidaturas próprias em todos os municípios onde estiver organizado. Em São Paulo, por exemplo, o partido tem representação por meio de diretórios municipais, zonais e comissões provisórias em todos os seus 645 municípios. Contudo, antes de qualquer análise geral, valho-me de uma questão lançada na última semana pelo presidente de honra dos tucanos, Fernando Henrique: "apenas nomes ou reais alternativas?".

O texto de FHC focaliza a disputa de 2010, mas os seus argumentos são adaptáveis para este ano, quando assinala que a discussão eleitoral põe habitualmente o carro à frente dos bois: "Quase três anos antes das eleições para presidente e nove meses distante das municipais, a mídia, em geral, reduz a política à discussão sobre os nomes dos candidatos. Qualquer comentário que permita inferir apoio a algum ainda não-candidato se transforma logo em adesão, mesmo que o entrevistado nem remotamente esteja pensando que as uvas estão maduras". Nesse raciocínio, FHC alerta o PSDB sobre antes de estar preocupado com quem, deve se preocupar com o para quê, necessitando conduzir o tema com a politização do debate entre os seus pares e aliados.

Compartilho com o leitor a minha sensibilidade política, influenciada pelas movimentações de dois pontos geográficos paulistas, bem distintos e com reservados graus de complexidade. Da Capital, onde me incluo como figurante nos debates sobre a sucessão e/ou reeleição na maior cidade do país, e da Baixada Santista, no papel de coadjuvante, motivado pelo fator que disputei a prefeitura de Santos em 2004 e exerço papel de liderança regional.

O primeiro dilema partidário com a sua orientação geral está localizado na Capital, com as chances eleitorais de Geraldo Alckmin, que já desponta nas pesquisas como o nome em melhor condição para vencer o pleito. Lá, o PSDB confronta com o para quê reconquistar a Prefeitura, se o DEM, aliado regional e nacional, já conduz as políticas formuladas pelos tucanos com José Serra, desde janeiro de 2005. Esse debate entra numa fase de politização, porque sinalizará a conduta do partido no país e não se considera a arriscada hipótese de devolver a Capital ao PT.

Diferente na sua origem, porque o PSDB disputou as eleições contra o PMDB de Santos, a aliança local com João Paulo Papa desde o segundo turno poderia se antecipar logo no primeiro deste ano, mas a tradição política dita que o partido lance candidatos próprios, como sempre o fez nos seus 20 anos de existência. A tarefa dos tucanos santistas se resume, num primeiro instante, à iniciativa dos dirigentes locais em um encontro, ampliado com os parlamentares atuais e ex, porque Santos também influencia o comportamento partidário em toda a região.

Parece claro que ainda é cedo para falar de rumos, se o debate interno não aconteceu. Minha posição, para começo de conversa, é favorável às candidaturas próprias na Capital e em Santos; mas estou aberto ao diálogo e ao convencimento, se houver um caminho que una mais, em nome do interesse público!

Compartilhe

23 comentários em “Qual o rumo do PSDB em 2008 ?”

  1. Fernando Mauro

    A disputa entre tucanos e democratas na Capital fortalece Marta como sucessora, não é?

    abcs,

    Fernando Mauro

  2. Duarte Nogueira

    Caro Raul,
    Leitor assíduo do seu blog não resisti nos comentários abaixo.
    Gostei do fechamento. Pela candidatura própria. No entanto, sua avaliação santista reforça a candidatura própria paulistana.
    Meus cumprimentos,
    Duarte Nogueira

  3. O colega Fernando Mauro diz qua a disputa fortalece a Marta. Se o Geraldo disputar, provavelmente vence. Se não disputar o PSDB entrega a maior cidade do país p/ a Minstra ou p/ o ex secretário do Pitta, lamentável. Em Santos nem vale a pena perder tempo deixa Sua Santidade no comando.

  4. Ernesto Donizete da Silva

    Tema complexo é trazido pelo ilustre amigo no texto apresentado. Realmente as eleições deste ano, com certeza, irão influenciar a de 2010 (Presidência da República).

    Dentro deste cenário, acredito que a orientação da Executiva Nacional do PSDB de apresentar candidatos próprios em todos os municípios seja a mais adequada. Nossos quadros são compostos por pessoas merecedoras de credibilidade em todos os sentidos e portanto devemos nos fortalecer criando lideranças políticas em todos os rincões deste Brasil.

    Portanto, seguindo a presente orientação, somente em casos EXCEPCIONAIS, deve o partido declinar desta assertiva. Devemos inclusive considerar a possibilidade de mesmo ao lançar candidato próprio, nada impede a execução das alianças nos municípios onde houver 2º turno – como é o corrente na cidade de Santos.

    Já em relação as alianças nos casos acima descritos, o foco é alterado, pois segundo Mendes Thame, “os diretórios municipais terão autonomia para indicar os candidatos, mas as alianças ou coligações serão DECIDIDAS PELA EXECUTIVA ESTADUAL. O motivo, segundo ele, é para evitar que o partido se acomode –principalmente em pequenos municípios– e lance apenas candidato a vice”.

    Cabe salientar ainda, a postura do Secretario Estadual de Gestão Pública – Sidney Beraldo, convidado do programa OPINIÃO (TV Mar/Santos) – “estas são as regras gerais a serem observadas, mas devemos lembrar que toda regra tem exceção”.

    Em relação à prefeitura de São Paulo, a disputa entre o PSDB e o PT, remonta ao ano de 2000. O que devemos fazer? Apoiar Kassab (DEM) ou lançar Alckmin? De um lado fica a situação da aliança com o DEM para disputarmos a Presidência em 2010 (que inclusive nos parece ser apreciada por FHC e Serra) e do outro lado o apoio ao Geraldo, o qual segundo as pesquisas é o preferido pela municipalidade.

    Vejo tal dualidade como algo extremamente positivo e que será resolvida a contento pelos correligionários. Melhor é ter duas possibilidades do que nenhuma. Assim, companheiro Raul, respondendo a sua questão:

    – O rumo do PSDB em 2008 deve ser o da VITÓRIA!!!

    ERNESTO DONIZETE DA SILVA
    PSDB/SANTOS

  5. Evandro Losacco

    Caro Raul,

    O PSDB como o maior partido do Estado de SP sempre teve a convicção que só se cresce partidariamente disputando eleições, por isso a Direção Nacional e Estadual orientam a se ter candidaturas próprias em todos os municípios. Ás vezes vale a pena disputar um cargo majoritário, mesmo sem perspectivas de vitória, pois isso planta uma semente que pode germinar no futuro e fortalecer o Partido em futuras disputas eleitorais. Exceção é para justificar a regra. Por tudo isso, vamos lançar Raul Christiano para Prefeito de Santos, a luta continua !!!!

  6. Meu caro Raul…. estou com o nosso companheiro Evando Losaco e não abro ..rsrsrsssss

  7. Neto - PSDB Iguape

    O PSDB precisa retomar o rumo deste país e começaremos retomando a maioria das prefeituras.
    O PSDB já mostrou que sabe governar e que sua ausência deixou um buraco negro da histporia do Brasil. Vamos tucanos! Vamos alçar vôo e retomar as rédias deste país maravilhoso que é onsso Brasil. Se cada tucano fizer a sua parte, trouxer mais um e depois mais outro …. Vamos mostrar, já nessas eleições municipais, que viemos para ficar e reconstruir o ópaís, o país que o nosso eterno Presidente Fernando Henrique Cardoso colocou nos eixos.
    FArei meu esforço pelo PSDB sempre e começarei conquistando a prefeitura de minha cidade (Iguape), espulsando os forasteiros e acabar com o “estlionato” eleitoral. Dá-lhe tucano!!!! Um forte abraço para você meu amigo Raul e todos os tucanos que aqui aparecem. NETO

  8. Neto - PSDB Iguape

    Raul Santos precisa de pessoa como vc,bem como São Paulo merece o Governador Geraldo.
    Geraldo em SP e Raul em Santos rumo a vitória.
    Estamos aqui em pé e a ordem prontos para acompanhar o PSDB e você em qualquer “batalha” SEMPRE!!!!

  9. Ricardinho Gonzalez

    Meu querido companheiro Raul, acredito que já passou da hora de o PSDB ocupar, definitivamente, o espaço político que lhe cabe na Baixada Santista,específicamente ,em Santos.
    Chega de ser coadjuvante no processo político.
    Que o Diretório Municipal, tenha esta clareza, lançando candidatura própria.
    O Partido, carece na região de lideranças como você, para começar a preencher a lacuna deixada pelo saudoso Mário Covas.

  10. Caro Raul,
    Também faço coro com os nossos amigos, é Raul Prefeito de Santos

  11. caro raul,

    sou paulistano mas tenho parte do meu coração na baixada. creio que o psdb deve agir estratégicamente nas eleições em 2008 em Santos de modo a garantir participação no Governo na próxima gestão.
    sou favorável, se me permite o “pitaco”, a uma aproximação do PSDB com o Papa (grande amigo e sempre colaborador dos nossos governos. foi assism com geraldo e está sendo com serra).
    Mas acho que seu nome deve estar à frente, tanto numa composição quanto numa candidatura própria!

    Abraço!

    JOSE RUBENS DOMINGUES FILHO
    Presidente Municipal da JPSDB de Sp
    http://www.tucanojovem.wordpress.com

  12. Raul, cada dia que passa gosto mais e desgosto mais da política.

    Sicenramente, acho q a situação de santos já está definida, faltando somente o batismo do ungido. não interessa aos tucanos de alta plumagem da capital um distanciamento do preeito. nem para o serra, nem para geraldo.
    Na eleição de 2004, vc foi para o embate juntamente com o bruno faltando dias para o início da campanha. o que ganhou? (permito-me dizer o que ganhanmos?)O partido saiu mais forte do pleito? deveria, mas será que saiu mesmo? A tal semente que o evandro falou, germinou aqui na praia???
    não. exatamente pelos motivos que desgosto na política e tão bem sabemos quais são.

    o resto, é blá-blá-blá, ou nhé-nhé-nhém, como diria FHC, que vc tanto gosta e admira.

    abraços

  13. Acho que o PSDB precisa ter seus candidatos para colocar a sua proposta na rua. Não sei se o Raul colocaria o seu nome à disposição do partido, mas, respondendo ao Mauro, que está desgostoso com a política, nas eleições passadas todos saíram ganhando, menos o próprio Raul: 1) o Bruno fez o seu batizado na política e mostrou que alguém da família Covas continuaria a carreira do avê; 2) a coligação elegeu quatro vereadores, dois do PSDB e dois do PPS, porque a dobrada Raul e Bruno não tinha rejeição nenhuma e apresentava as melhores propostas para cidade; 3) depois do segundo turno e do apoio do PSDB e da vitória do Papa, o Lara e o Edmur indicaram pessoas deles para a Cohab, os Barbosas, Lascanes e Koyus, para a secretaria de ação comunitária; então senhor Mauro, houve ganho sim com a candidatura própria. Nós temos dois deputados, vamos lançar os dois, um prefeito e o outro vice! Agora… ninguém é candidato a vice, veja as brigas que essa questão vem causando na imprensa, que vergonha!!!!!

    abração

  14. Caro amigo Raul Christiano
    Desde a implantação do plano real, bem como os programas sociais e educativos instalados pelo Estado, no governo Fernando Henrique e ampliados, de uma forma ou de outra pelo Governo Lula, houve mudança significativa,
    na Economia Popular e, por conseguinte na Sociedade brasileira.
    A ascensão social das (antes de FHC) camadas mais desfavorecidas, que se encontravam como estratificadas (classe C e D) na miséria é visível as quais, se inseriram na Sociedade
    de Consumo pelos apoios e investimentos do Estado. A social Democracia (PSDB e PT) cuidou
    disso, favorecendo essas classes e através das alianças com PFL (DEM) e PTB imprimiu em paralelo a consolidação da aliança neo-liberal
    com a classe A, dos banqueiros e empresários partícipes dos lucros reais da elite econômica
    deste Brasil, achatando e arrochando os ganhos
    e salários da classe B (de serviços técnicos).
    Não por acaso as privatições ocorreram, com os
    aplausos estrepitosos das mídias que sempre estiveram (a salvo, raríssimas exceções) na plenitude da Indústria Cultural (tecnologia +
    entretenimentos) reforçando no comportamento social, o que a Indústria Capitalista mandava e manda dizer e acontecer meidante a moeda na concentração de riquezas, desde a Iª Revolução
    Industrial.
    O PSDB tem a feição e estatutos dessa Social
    Democracia escrupulosa, que o PT tinha, antes
    de chegar ao Poder e “mensalar a vida política
    brasileira” desde Brasilia ao Guarujá, como exemplos escrachados desses métodos excusos do imperialismo democrata rssss. Haja grana!

    O ex-Presidente FHC no canal livre disse com todas as letras que PSDB e PT perderam o trem da história nas últimas eleições presidenciais
    ao se aliarem com partidos adeptos do livre mercado globalizador. Aliás, para quem viu o programa da entrevista mencionada, Fernando Henrique, racionalista cartesiano esbanjou a visão de um Brasil que está rumando para os melhores dias (sic)..apesar..dos pesares rsss.

    O caminho do PSDB de hoje tem que passar por universidades, ONGs e outras usinas do *pensar
    grande o Brasil* via aspirações individuais e coletivas, não, meramente corporativistas ou fascistas. Cabe as lideranças de todas camadas
    sociais da juventude a militância majoritária,
    pelo retorno da Mora as instâncias do Poder e
    as demais Instituições que pautam a vida e o comportamento da Sociedade através dos valores
    ideológicos e dar um basta ao mercantilismo da
    atualidade, o rouba mas faz, o rouba mas não faz etc…e tal, que infelizmente vivenciamos

    Ivan Alvim é do Diretório Municipal do PSDB de Guarujá e delegado junto à direção Estadual

  15. Prezado Raul,
    Acho que o cenário eleitoral é completamente diferente pois na capital Paulista, houve uma coligação desde o início do PSDB com o DEM, enquanto na cidade de Santos, os partidos tiveram candidatos próprios.
    Para a próxima eleição em Sampa, acho que devemos manter a coligação com o DEM senão o PT fatura. Quanto a cidade de Santos, entendo que devemos avaliar a situação e decidir o melhor para o partido.

  16. Amigo Raul, eis a questão. sobre as eleições de Santos. Você , querendo, será o candidato certo no exato momento.
    Estou de pleno acôrdo com os argumentos dos seus amigos : Losacco, Tonunho, Neto, Ricardo Gonzalez, Takashi, José Rubens, disse querendo porque prá ser candidato, primeiro a pessoa tem que querer ser.
    Quanto ao nosso amigo Mauro, ele esqueceu de citar que em 2004, voce entrou na disputa pela Prefeitura de Santos, aos 45 minutos do segundo tempo.Agora a história é outra.
    A mídia fala em nomes dos dois Deputados, que na minha opinião são dois jovens inteligentes mais ainda estão maduros na política, e o cargo a Mojoritário, exige experiência, malícia e maturidade, portanto na atual conjuntura do PSDB de Santos, o nome mais adequado e mais coerente seria o seu.
    Em 2008 Raul Christiano para disputar a Prefeitura de Santos. Pode contar sempre comigo.
    abs., Machado.

  17. Raul, é tão claro, que o político tucano que reúne melhores condições pra disputar o cargo majoritário em Santos é você, por várias razões já conhecidas, mas essa disposição do PSDB terá que ser manifesta desde já…senão fica difícil o trabalho de comunicação e da militância, multiplicadora da escolha certa.
    Um abraço
    Ivan Alvim (novamente no seu blog…rssss)

  18. fausto ivan

    Caro Raul
    O PSDB necessita de um candidato que o represente a altura como você e a cidade de Santos merece um Prefeito
    com seu gabarito. Conte comigo.
    Observações à parte, gostaria de saber o que Raul e os amigos que nesta coluna escrevem pensam sobre o fim da figura de Vice. Houve tempo que o espaço de Vice era preenchido por quem obtinha o segundo lugar (ex. João Goulart). Mas vocês não acham na reforma política que se avizinha poderíamos discutir tal situação?
    Fausto ivan

  19. Em resposta ao questionamento feito pelo Fausto Ivan, com relação ao cargo de vice,acho que deveria ser ocupada pelo segundo lugar, e quero ir mais longe.
    deveria acabar com os suplentes de Senadores.
    Raul Neles em 2008!
    abs.

  20. Luciano Araujo

    Raul, parece que melhor não reeditar meus pensamentos sobre Sampa,mas sobre Santos editar, veria com bons olhos sua figura como Vice ,Majoritário tenho convicção momentanea de que Alexandre deva ser o nome, sei de seu brilhante trabalho como deputado mas como tucano… ,não sei do trabalho de ampliação coligatória na região, tambem não concordo com Thame afinal quem deva decidir deva ser a metropole,mas… , tenho até stresse quanto a um deputado não estar maduro enfim, no estado que nos encontramos melhor caucular-mos os custos. Um abc o.LU-CU.

  21. Prezados,
    contrário a maioria, infelizmente e por incompatência nossa, acredito que o PSDB não tem nome forte o suficiente na Baixada para encabeçar uma chapa… sendo assim, a indicação do vice do Papa é vista por mim com bons olhos… o que temos ter cuidado é com o nome a ser escolhido…
    quanto a potenciais ganhos com a última eleição, concordo com o Mauro… não vejo nenhum… muito pelo contrário… as duas cadeiras na Câmara Municipal que ganhamos na última eleição vejo mais como prejuízo… só pode ser brincadeira…

    sugiro lançarmos uma campanha nacional COLIGAÇÃO COM PFL/DEM NUNCA MAIS!!!!!!
    certo estava o saudoso Mario Covas, que na sua reeleição para o governo do estado, se livrou do PFL…

    abs
    Marco – filiado do partido

  22. Neto - PSDB Iguape

    Em tempos de Política não devemos nos conter, por isso coloco um texto para reflexão de todos os que, peas trilhas da política pretendem buscar seus ideais.

    Livres Pensadores Livres…

    Desde os mais remotos tempos, observamos que o homem é um produto casual da evolução, mostrando em primeiro plano que a morte, a doença (que são imperfeições da natureza) necessariamente existiam antes do homem, não podendo, portanto, ser conseqüências do pecado (original) que o homem viria “possivelmente” cometer (o efeito não existe antes da causa). Nega também a existência de um Ser Superior Absoluto e Perfeito (Deus), pois a morte e todas as outras desgraças, sendo imperfeições, não poderiam, metafisicamente falando, proceder de um ente em tudo perfeito (também não procedem do homem, direta ou indiretamente, porque já existiam muito antes dele).
    Diante do exposto acima, devemos questionar sobre os males que assolam o mundo e, por qual motivo habitam neste mesmo mundo homens tão maus, mesquinhos e egoístas, e assim, podemos corroborar com Hobbes quando diz que “O homem é o lobo do homem”.
    A vida é um jogo – uns ganham e outros perdem -, atropelando-se para ver quem sobe mais rapidamente os degraus da “vitória”. Julgando para não serem julgados, pois, como já dizia Sócrates, “A desgraça do ignorante consiste em julgar, não sendo ele nem distinto nem inteligente, que o é o quanto lhe basta; ora, quem não se vê carecido de alguma coisa, não aspira aquilo que não imagina lhe esteja faltando”.
    “Será vantagem, ou desvantagem, para nós, o fato de termos à nossa frente várias alternativas entre as quais podemos escolher livremente, mas entre as quais temos de escolher?”. Precisamos sim, sermos livres para pensarmos livremente e encontrarmos o que nos está faltando, encontrarmos com alacridade e com fervoroso afã a nossa outra metade, a metade do nosso eu interior, do nosso ser mais puro e perfeito, sem nos aforçurarmos, pois, do contrário, cairemos na armadilha criada por nós mesmos: a mesquinhez, e assim, não conseguiremos sair da eterna condição de bandalhos.
    Se quisermos que a sociedade mude, devemos conscientizá-la e mostrar as nossas propostas, mostrar os nossos pensamentos; livres pensadores livres, não somente para pensar, mas para pensar livremente… Fazer com que todos saibam que somos muito mais do que simples e livres pensadores sem nada na cabeça, que temos muito conhecimento e que podemos ter uma sociedade de cor, raça, sexo, religião e condição financeira. Não podemos apenas virar as costas para a política e ficar criticando o sistema, mas sim, dar a nossa opinião, procurar saber quem talvez mereça a nossa confiança, e depois cobrar essa confiança dele ou deles.
    Em qualquer lugar, onde desejarmos que algo mude, faz-se mister a nossa opinião: seja em casa, no trabalho, na universidade ou simplesmente entre os amigos, ou então, aceitarmos tudo de boca fechada para depois sairmos por aí falando mal pelas costas. Sabemos que ninguém gosta de ficar sabendo que andaram falando mal pelas costas, então, não devemos fazer isso com a política, e sim, lutarmos pelos nossos direitos, fazer com que todos tenham não apenas o direito de votar, mas também o direito de cobrar o direito à saúde, educação, segurança, emprego e todos os outros direitos que temos e que nunca tivemos a coragem de cobrá-los. Um pássaro não consegue voar antes que suas asas se encham de penas, e as nossas asas ainda não têm penas suficiente para podermos nos libertar deste sistema que nos sufoca cada vez mais.
    Destarte, acredito que a humanidade, em geral, ainda não está preparada para ser livre, pois ainda existe muita inveja, muito egoísmo, muita ambição e muita falta de sinceridade, o dinheiro nos fez escravos dele e enquanto não conseguirmos nos conscientizar que o dinheiro não é tudo e que existe muita coisa mais valiosa que esse simples pedaço de papel, seremos apenas um pássaro com asas, mas sem penas.
    Um Forte abraçoa a todos 3X3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *