Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Rita Lee propõe um BBB político !

Circula pela Internet uma história de que a roqueira Rita Lee, que sempre debochou da classe política, está sugerindo um confinamento do tipo Big Brother Brasil, com todos os pré-candidatos à presidência da República: "Eles ficariam debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um. Além de acabar com o horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos. No final do programa o vencedor ganharia o cargo público máximo do país".

Parece piada a idéia de Rita Lee, mas se promovêssemos uma enquete entre os nossos leitores, com certeza ela seria aplaudida. Porque político virou uma classe de valor questionável, por culpa dele mesmo. Basta observar a relação dos maiores escândalos de corrupção em todo o mundo, que sempre tiveram políticos protagonizando a história.

No Brasil, desde os "anões do orçamento" uma enxurrada de lama vem afogando a imagem da classe toda por causa de alguns "soros-positivos" da bandalheira. Mas o desrespeito com os políticos não se dá apenas por causa da corrupção, também contribui para o seu desgaste a relação privilegiada com o poder, em um país com dívida social em aberto.

Retomo o assunto do texto "Quem pode se orgulhar de políticos", com o reforço da enquete da semana, querendo saber "de qual político você tem orgulho". Na semana passada, uma atitude aparentemente isolada no Rio de Janeiro, expôs algumas idéias simples para o relacionamento com as questões políticas. O protagonista dessa notícia, Fernando Gabeira, deputado federal pelo PV, que deixou o PT quando explodiram as denúncias do mensalão, sanguessugas e compras de votos no Congresso Nacional.

Gabeira volta ao noticiário, porque está unindo políticos e partidos no Rio, em favor da sua pré-candidatura a prefeito, provocando desde já a reação de Cesar Maia, prefeito do DEM, que acusou o golpe e tenta desconstruir a capacidade de gestão do deputado, cobrando lealdade do PSDB em sua aliança comum.

O interessante nessa história de avaliação da classe política, uma utopia para alguns analistas, está justamente nos princípios anunciados por Gabeira, de não pedir poderes ilimitados, nem caminhões de dinheiro, nem submissão dos partidos à sua vontade: "quero uma campanha limpa, sem ataques pessoais, propositiva; quero a divulgação pela Internet dos fundos e despesas da campanha, e o principal, caso eleito, quero escolher um secretariado por méritos e critérios profissionais e não partidários sem o habitual loteamento como moeda de troca por apoio político".

Gabeira, embora com suas posições polêmicas conhecidas em nível nacional, surge neste novo momento como uma voz descompassada no jeito do político brasileiro ver a política, muitas vezes justificando os erros do presente como uma repetição de procedimentos iguais no passado, como se fosse uma regra que não pode ser modificada.

Eleitores de Gabeira deram o seu testemunho, ao que chamam de um "estranho orgulho e um vago sabor de superioridade", porque nunca se envergonharam de sua conduta. Posso enumerar e atestar uma quantidade significativa de políticos que merecem a minha admiração, de várias legendas, porque ninguém é proprietário da ética. Cabe a nós refletir e propagar a constatação de que nem tudo está perdido.

Rita Lee tem o seu próprio modo de ver as coisas. Para ela, debochar "de políticos não é uma gracinha só minha. Acho que o Brasil inteiro fez isso nesses últimos 20 anos. Me sinto como o Brasil, desenferrujando aos poucos de uma estagnação forçada. O público de Brasília, por exemplo, é maravilhoso, bem diferente dos políticos malandros que poluem nossa Capital". Polêmica, no ano passado, durante um show lá, entre uma música e outra, Rita contou, irreverente: "ouvi dizer que o salário dos políticos vai ser doado às crianças pobres". O público aplaudiu!!!

Compartilhe

7 comentários em “Rita Lee propõe um BBB político !”

  1. Délia Guelman

    Raul querido,

    Acho muito mais importante a carta deste petroleiro que é identificado, mas desconhecido:
    Carta de um Petroleiro da P-18 para o Pedro Bial

    OS HERÓIS DO CONFINAMENTO PRODUTIVO
    Prezado Sr. Pedro Bial
    Digníssimo Jornalista, apresentador da Rede Globo de Televisão.
    Confesso, Sr.Bial, que não sou espectador do programa que o senhor
    apresenta. Talvez, para felicidade da minha cultura e para infelicidade do
    índice de audiência, ao qual seu programa está atrelado. Mas, tive, durante
    um dia desses, num dos raros casos fortuitos que o destino apresenta, a
    oportunidade de, por alguns minutos, apreciar o tão falado Big Brother
    Brasil, o BBB. Para minha surpresa, durante uma ou duas vezes, o senhor, ao
    chamar os participantes para aparecerem no vídeo, o fez da seguinte
    maneira:
    – Vamos agora falar com os nossos heróis!
    De imediato tive uma surpresa que me fez trepidar na cadeira. Heróis????
    O senhor chama de heróis aqueles que passam alguns dias aboletados numa
    confortável casa, participando de festas – alguns participando até de
    sessões de sexo sob os edredons – falando palavras chulas e no fim podendo
    ganhar um milhão de reais?
    Pois bem, Sr. Pedro Bial, eu trabalho numa Plataforma Marítima que se
    localiza a aproximadamente 180 km da costa brasileira, contribuindo, mesmo
    que modestamente, para que o nosso País alcançasse a auto-suficiência em
    Petróleo e continuamos lutando, todos nós, para superar esse patamar.
    Neste último dia 26 de Fevereiro presenciamos um acidente com um dos
    Helicópteros que faz nosso transporte entre a cidade de Campos e a
    Plataforma. As imagens, que ficaram em nossa mente, Sr. Bial, irão nos
    marcar para o resto das nossas vidas. Os seus “heróis”, Sr Bial, são meros
    coadjuvantes de filmes de segunda categoria comparados com os atos de
    heroísmos que presenciamos naquele momento.
    Certamente o Senhor, como jornalista que é, deve estar a par de todo o
    acontecido. Mas sei que os detalhes o Sr. desconhece. Pois bem, perdemos
    alguns colegas. Colegas esses, Sr Bial, que estavam indo para casa após
    haver trabalhado 15 dias em regime de confinamento. Não o confinamento a
    que estão sujeitos os seus `heróis`, pois eles têm toda uma parafernália de
    conforto, segurança e bem estar, que difere um pouco da nossa realidade.
    Durante esse período de quinze dias esses colegas falaram com a família
    apenas por telefone. Não tiveram oportunidade de abraçar seus filhos, de
    beijar suas esposas, de rever seus amigos e parentes… Logo após decolar
    desta Plataforma com destino a suas casas o helicóptero caiu no mar
    ceifando suas vidas de modo trágico e desesperador.
    E seus “heróis”, Sr Bial, a que tipo de risco eles estão expostos? Talvez
    aos paredões das terças-feiras, Ã rejeição do público, a não ganhar o
    premio milionário ou a não virar a celebridade da próxima novela das oito.
    Os heróis daqui, Sr Bial, foram aqueles que desceram num bote de resgate,
    mesmo com o mar apresentando um ‘suel’ desafiador. Nossos heróis, Sr. Bial,
    desceram numa baleeira. Nossos heróis foram os mergulhadores que, de
    pronto, se colocaram à disposição para ajudar, mesmo que isso colocasse
    suas vidas em risco.
    Nossos heróis, Sr. Bial, não concorrem ao Premio de um Milhão de reais, não
    aparecem na mídia, nem mesmo os nomes deles são divulgados. Mas são heróis
    na verdadeira acepção da palavra. São de carne e osso e não meros
    personagens manipulados pelos índices de audiência. Nossos heróis convivem
    aqui no dia-a-dia, sem câmeras, sem aparecerem no Faustão ou no Jô Soares.
    Heróis, Sr Bial, são todos aqueles que, diariamente, saem das suas casas,
    nas diversas cidades brasileiras, chegam a Macaé ou Campos e embarcam com
    destino as Plataformas Marítimas, sem saber se regressarão para as suas
    casas, se ainda verão seus familiares, ou voltarão ilesos, pois tudo pode
    acontecer: numa curva da estrada, num acidente de helicóptero, no vôo
    comercial de regresso para sua cidade de origem….
    Não tenho autoridade suficiente para convidá-lo a conhecer nosso local de
    trabalho, e, conseqüentemente, esses nossos heróis. Mas, posso lhe garantir
    Sr. Bial, que, caso o senhor estivesse presente nesta plataforma durante
    aquele fatídico acidente, seu conceito de HERÓI certamente seria outro!
    Em memória dos colegas:
    Durval Barros
    Adinoelson Gomes
    Guaraci Soares

    Escrito por um petroleiro da P-18.
    sds,
    Hélio Fundão Maciel
    PCA-2
    3771-4235

  2. Amigo Raul
    A ideologia é inerente ao ser humano no mundo em convívio social,”Louis Althusser” de certa forma, assegurou essa afirmativa em ciência humana, você sabe disso, e como tenho o prazer
    em ter a sua amizade tenho certeza, Rita Lee é socialista cultural e libertária ou Anarco- cooperativista, nada a ver com PSOL que tem o discurso mas não a prática de Proudhon, etc..
    Nem vou desfilar nomes, poupemos os espaços rssss de ego, no seu blog.
    È “epistemológicamente” correta a sugestão da Rita Coragem Lee, na “doxologia” é outra a questão…pra Industria capitalista Cultural que vive as expensas do perverso capitalismo e consumismo desvairados, tarefa pra excitar e adormecer corações e mentes, seria suicídio da “cultura” plantada e cohida subsidiada e da fartura em lucros financeiros, sonegando os lucros culturais reais e sociais da paz real, da liberdade pelo menos relativa da igualdade relacional e/ou social (“Roberto da Matta”)
    Sem mais, o Caos sempre antecipa uma Nova Ordem mais justa e fraterna ao coletivo, e as sementes que alguns idealistas políticos plantaram e outros raros que hoje plantam, vingarão, como no meio ambiente natural, está acontecendo, no social virão novos tempos.
    Otimista este seu amigo, não? kkk
    Salve a artista sensível,Rita Lee, Salve Raul
    Ivan Alvim

  3. Raul, que muitos políticos não são merecedores de credibilidade, isso é fato. Agora que a Rita Lee não é a pessoa mais indicada para servir de exemplo, também é um fato.
    Querer criar um big broder pata candidatos a Presidência, e brincadeira, e de muito mau gosto chega esse besterol que a Globo vem apresentando, já é a oitava porcaria, que tirando os prêmios, o ,resto é só pornografia explicita, fofoquinhas, muita falcidade, e o pior é que o povo ainda participa por telefone, pela internet,etc.
    Tanta coisa bôa para apresentar ao povo, mais não; é besterol em cima de besterol.
    E ainda são chamados de heróis, que decadência não!

  4. José Carlos

    Achei a idéia da Rita Lee engraçada.
    Mas o que eu acho mais engraçado ainda, é a capacidade que o povo brasileiro tem de ser cego.
    Se nada mudou até agora, vocês acham que uma simples idiotice dessas ia acabar com a podridão ?
    Acham que eles não dariam um jeito de manipular tudo ?
    Acham que eles iriam utilizar o instrumento que já usam pra controlar tudo, pra ferrar com as proprias campanhas ?
    Acham que mesmo que o povo revindicase isso, ia realmente acontecer ? ou qualquer outra coisa do gênero ?
    Acham que um presidente diferente faz alguma diferença, que ia acabar com a corrupção ?
    A corrupção nunca vai deixar de existir… Assim como todas as pessoas preguiçosas e ignorantes do nosso país e do mundo.
    Volto a dizer… Brasil = putaria, vagabundagem e corrupção…
    É pior que uma selva! Em uma selva você ainda tem liberdade, não ficam injetando um monte de porcarias no seu cerebro.
    Recomendo algo mais produtivo a vocês… ao menos bem mais do que o tal BBB.
    Vejam os dois documentários do Michael Moore, “fahrenheit 9/11” e “sicko”,
    quem sabe vocês acabam caindo na real de que a podridão que veêm não é nada,
    que existe muito mais, e que nunca vai acabar…
    Existem muitas coisas acontecendo bem na nossa frente e não somos capazes de perceber porque somos burros!
    No mais, cuidem das suas vidas! vivam com dignidade, não aceitem tudo com a boca escancarada
    sorrindo pra todo tipo de idiotice que aparece na televisão, pensem mais… isso é o mínimo que deveriam fazer,
    assim quem sabe um dia algo muda.
    A dona Rita Lee podia ter pensado um pouco mais, ter dito algo considerável, ou ter chorado com a situação,
    o que seria totalmente aceitável e comovente.
    Particularmente, achei fraco… mas o que se podia esperar ?
    Como acontece sempre no Brasil, como tudo que é banal… acabou circulando porae como se fosse algo louvável. (Preciso citar exemplos ?)
    Bom, mas ao final.. não tá muito longe do que nos resta fazer… ao ponto que estamos chegando, só nos resta contar piadas… e sorrir pra tv.
    Nem sei porque digo tudo isso, não faço questão de mover um dedo pra ajudar também… pra mim é caso perdido, cuido é da minha vida.
    Ao menos posso controlar o que é ou não importante pra mim… a ignorância dos outros eu não posso controlar…
    Big brother, seja do diabo ou entidade que for, assista quem quiser..

    abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *