Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Unidade partidária em questão !

Diariamente sou provocado por leitores e amigos sobre a infidelidade partidária, com o exemplo ilustrado pelas "duas candidaturas tucanas" para a Prefeitura de São Paulo. Não hesito em responder que o PSDB tem um candidato a prefeito, Geraldo Alckmin, que não estará em vôo solo na eventualidade de um segundo turno, porque o DEM é um aliado histórico e os dois caminharão unidos nessa hipótese. As pesquisas atuais colocam Geraldo no segundo turno e a meu ver será confirmado no desenrolar da campanha, mesmo com as pré-avaliadas dificuldades em sustentar dois blocos políticos com idênticos programas de governo. A candidata do PT sorri desse cenário, apostando no conflito.

Geraldo Alckmin já afirmou que não considera Gilberto Kassab como adversário. Também classificou como irrelevante a adesão de tucanos ao candidato do DEM. Mas é desconfortante ver as fotografias de uma reunião, ontem, de Kassab com tucanos históricos que optaram pela permanência no seu governo e já revelaram a sua opção pela reeleição do prefeito. Ninguém esquece do fato de que o PSDB nasceu em 1988 e conquistou o seu próprio caminho, entregando os cargos que ocupava nos governos do PMDB de São Paulo (Orestes Quércia) e do Brasil (José Sarney), para inspirar a célebre frase-recado de Franco Montoro: "longe das benesses oficiais, mas perto do pulsar das ruas, nasce o novo partido".

A campanha eleitoral deste ano representará um divisor de águas para o PSDB. Ela obtém tamanha repercussão, porque registra a disputa da maior cidade do país, com o envolvimento direto de um ex-governador e ex-candidato a presidência da República pelo partido. Não há maiores considerações das principais lideranças tucanas sobre as disputas em capitais como Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Fortaleza, onde não se registrou qualquer empenho para a apresentação de candidaturas próprias. São Paulo é um caso à parte ?

São Paulo é um caso em que a aliança PSDB-DEM produziu efeitos importantes, mas que não evitará seqüelas e ações futuras de cobrança da fidelidade partidária. A Comissão Executiva Estadual do PSDB-SP, em Comunicado Urgente subscrito pelo seu presidente, deputado Mendes Thame, pelo secretário-geral César Gontijo e pelo presidente do Conselho Estadual de Ética e Disciplina Partidária, Roberto Tamura, reforçam que há duas boas novas para o partido em 2008: "A primeira é a perspectiva bastante realista de elegermos a maior bancada de prefeitos e vereadores da história do PSDB de São Paulo. A segunda é a instituição legal da fidelidade partidária, não havendo como separar uma da outra".

O quesito "fidelidade partidária", após a homologação da candidatura de Geraldo Alckmin pela convenção municipal do PSDB, mais que uma postura de partido, torna-se uma exigência jurídica em confronto com o posicionamento político que divide a disputa neste primeiro turno. Não há dois candidatos tucanos, mas dois candidatos de tucanos ! Isso não parece inteligente. Essa equação pode levar a um resultado desagradável, porque gera uma péssima interpretação sobre a integridade de princípios partidários de fidelidade e lealdade aos companheiros de partido.

O espetáculo de um tribunal para os infiéis, não é o melhor programa para militantes com uma conduta histórica consagrada e vencedora. Chamo a atenção para algumas reflexões naturais diante desse verdadeiro imbroglio. Não creio que esses movimentos políticos ocorram despreocupadamente com as suas consequências. Não acho possível sublimar uma derrota em São Paulo. Há tempo para considerar as melhores estratégias de unir prá valer e de parecer unidos, pois sobrarão energias necessárias para uma vitória num segundo turno, sem mais constrangimentos.

Compartilhe

15 comentários em “Unidade partidária em questão !”

  1. Olá Raul, como vai?
    Sei que o assunto é outro, mas dependendo do ponto de vista eles podem ter algum nexo: O que você achou da coligação PSDB – “PP” para as eleições proporcionais em Santos?
    Motivo de orgulho pra vocês?
    Um abraço,
    Antonio

  2. Meu amigo Raul,

    Com o tempo aprendí a não mais me surpreender com o comportamento do ser humano, mas tambem me senti desconfortável, e até mesmo triste, vendo nos Jornais de ontem as fotos de velhos companheiros em reunião com o candidato do DEM.

    Toninho

  3. Caro Raul…
    …muito feliz sua lembrança da fraze do gov. Franco Montoro…”Longe das benesses oficiais…”.A forma austéra de governar é uma das caracteristicas da forma de governar de Geraldo Alckimin , deve ser este o motivo de não receber apoio de alguns.A campanha vai mostrar a força do nosso candidato, e convencidos pelas pesquisas, estes irão “enfiar a viola no saco” e irão começar a aparecer aqui e acolá para garantir seu “quinhão do poder”.Serão os mesmos que irão frequentar a ante sala do poder em busca das benesses oficiais do governo tentando levar alguma vantagem em tudo. Joio ou trigo?..o PSDB precisa rever seus quadros, não merece este tipo de gente…” expurgo JÁ “

  4. fausto ivan

    Sua frase “unir para valer e parecer unidos” lembra outra dos tempos do Império Romano “Ã mulher de Cesar não basta ser honesta, é preciso parecer honesta”. Naquele tempo o problema era resolvido com a morte. Hoje, temos que ter maturidade pois algumas figuras têm um passado ideológico e respeitável a ser considerado. Eleito Geraldo Alckmin, as sequelas serão arcadas pelos próprios, que estarão reféns de suas atitudes e do julgamento analítico dos companheiros. Agora, o importante é estarmos todos nós, a MAIORIA, super engajados na campanha para vencermos a eleição que terá o maior peso para 2010.

  5. Edgar Boturão

    Alô Raul. Forte abraço. Por enquanto, tucanos e democratas jogam a favor de Marta. Geraldo e Kassab correm na mesma raia. Não podem trocar chumbo, mas precisam evitar que a petista dispare, ameaçando vencer no primeiro turno. Realmente é uma situação curiosa. Geraldo segue favorito em relação a Kassab, mas máquina é máquina. Não é mesmo?

  6. Délia Guelman

    Estamos correndo o enorme risco de a Marta ganhar já no primeiro turno, lamentavelmente!

  7. Carlos de Brito

    Olá Raul!

    Eu não vi as fotos nos jornais, vou procurar para ver quem são. Mas…eles ainda são companheiros? Eles não oPTaram pelo DEM?
    Como fundador do PSDB, esse fato, me deixa muito chateado, triste mesmo.
    Raul vamos juntos com o Geraldo até a vitória final
    Um abraço!
    São Paulo,
    BRITO.

  8. Evandro Losacco

    Caro amigo Raul,

    Em meio a tanta insensatez é reconfortante ler esse artigo escrito com tanta lucidez. Lembro dos idos de 1988, onde lutávamos para construir um novo Partido longe das benesses do poder e vejo, hoje, com tristeza companheiros querendo destruir esse Partido em nome das benesses do poder. Mas a luta continua e vamos vencer mais essa, elegendo Geraldo Prefeito, Serra Presidente, manter o Governo de São Paulo nas mãos competentes do PSDB, pois a seriedade de propósitos e o compromisso com uma sociedade mais justa sempre vai prevalecer. Como dizem: “os cães ladram e a caravana passa”

  9. Raul,
    Lembro-me do inicio do PSDB.O partido não era governo.Havia mais homogeneidade de pensamento entre militantes e filiados. Debatia-se mais intensamente as questões partidárias.Não cumprir as determinações do partido, resultava em processo na Comissão de Ética e expulsão, após o exercício do direito de defesa. Quando a cúpula não segue as determinações partidárias, não dá o exemplo, imagine o que acontece com as bases? Os partidos pedem uma legislação mais dura. Pura retórica! Basta, cumprir o que já existe. Fidelidade é uma questão de princípio. Neste caso não pode haver uma relação de “compadre”. As ambições pessoais, acordos entre pessoas, não devem estar acima das determinações partidárias.

  10. francisco de assis vieira filho

    Raul, com enorme propriedade você destaca um PSDB, maduro ,histórico e comprometido com a verdade. Temos o melhor candidato que é o Geraldo, as principais lideranças estão com o Geraldo, Serra do PSDB foi eleito Prefeito e seu programa de governo rigorosamente em vigor, em seguida Governador do Estado pelo PSDB, Vice-Governador do Estado, também é do PSDB,e ambos estão com o Geraldo. O nosso adversário é o PT, favor avisar alguns tucanos que a convenção já foi realizada e o candidato do PSDB é o Geraldo Alckmin, com muita humildade vamos para a campanha pedir o voto da população, e com muito trabalho buscar a vitória.
    Chesco

  11. Francisco José Gonçalves

    A pesquisa desta quinta feira do IBOPE, mostra que Geraldo Alckmin estava certo em ser candidato. Quem viver verá!

  12. Cláudio Alves de Amorim

    Amigo Raul, isso não é caso para a comissão de ética do PSDB, e sim para comissão de ética de medicina: GILBERTO TANOS NATALINI – Médico Cirurgião Geral, formado pela Escola Paulista de Medicina em 1975. Walter Feldman – É médico, formado pela EPM – Escola Paulista de Medicina. Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho – Faculdade de Medicina da Universidade de Taubaté. Quero morrer de bem com os médicos!!!

  13. Cláudio Alves de Amorim

    CÓDIGO DE ÉTICA DE MEDICINA:

    Relações Entre Médicos

    É vedado ao médico

    Art. 80 – Praticar concorrência desleal com outro médico.

  14. Luiz Antonio Laurentino

    Caro Raul,
    Como um dos candidatos a vereador em minha cidade e ainda aprendendo a navegar na rede , gostaria de saber de voce que tem muito mais experiencia por que uma cidade como são sebastião dona de uma das maiores caixa registradora de nosso Estado , base de distribuição do famoso ouro negro, e atualmente os maiores escandalos estão acontecendo , uma ditadura ferrenha do sr prefeito ( veja o blog ilicitação…e ninguém fala nada , se saberia me dizer por que ??
    abraços
    sombra

  15. Olá Raul, tudo bem?
    ê amigo, em Santos a nossa situação partidária vai igual a cantiga da perua: de pior a pior, imagine, pois não consigo. Alguns nomes de pré candidatos do nosso “PSDB”, foram simplesmente deletados, para dar lugar a turma do PP.
    O que é isso companheiro. Onde esse partido pretende chegar, com essa visão oblíqua?
    Subindo a serra. Com relação a candidatura do Geraldo Alckimin, dei e continuo dando maior apôio, e tá mais do que na hora dos tucanos-DEM, cairem na real e aceitar que o Geraldo ganhou na convenção, o direito de ser candidatíssimo a Prefeitura de São Paulo, e portanto nada de divisão, os Tucanos-Dem, devem sair de cima do muro e pender para o lado partidário, ou então que então saim do partido pela porta da frente. ê o mínimo que o bom senso, pelo menos na minha humilde opinião, faria!
    Abs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *