Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Lágrimas de Pequim embalam insônia …

Insucessos do Brasil na Olimpíada de Pequim inundam de lágrimas as TVs. Há uma epidemia de frustração, superada graças ao espírito do povo brasileiro, que se emociona e logo perdoa, porque compreende que a prática de esportes competitivos em nosso país não merece apoio dos governos, das universidades e do empresariado. Não posso generalizar, pois cometeria alguma injustiça, mas a preparação dos nossos atletas é limitada, exceto quando conseguem uma bolsa no exterior para se aperfeiçoarem. Educação e esportes deveriam andar de mãos dadas, desde os primeiros anos de ensino básico.

Este comentário não é conclusivo. Nem poderia, porque nesta semana chegaremos ao podium em diversas modalidades coletivas – futebol feminino, futebol masculino, vôlei masculino, vôlei feminino – com direito a medalhas, inclusive. São reflexões da minha insônia, para não dizer que não falei de Pequim sem uma cutucada necessária naqueles que decidem sobre os esportes ou nos mecenas de plantão.

César Cielo conquistou medalha de ouro nos 50 metros de nado livre, com recorde olímpico, além do terceiro lugar nos 100 metros livres. Lí que três países europeus e a Austrália disputam o "seu passe", pois oferecem a possibilidade de conciliar os estudos com a possibilidade de competir com grandes nadadores. E não escondi que me sensibilizei com o erro fatal de Diego Hypólito; com nonsense sumiço de uma das varas da saltadora Fabiana Murer; com o pedido de desculpas de Eduardo Santos aos seus pais, "porque não teve competência de jogar o seu adversário ao chão", e pela revelação de que ficou durante dez anos na faixa marrom porque não tinha dinheiro para pagar pela mudança de faixa para a Federação Paulista de Judô; enfim …

Busquei comentários sobre justificativas dos insucessos. Nada, por enquanto, mas achei no google uma notícia divulgada em dezembro do ano passado, que o São Paulo Futebol Clube conseguiu do Ministério dos Esportes, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, uma verba para três obras no Centro de Treinamento de Cotia equivalente a mais de 50% do que foi destinado ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para o Projeto Pequim. Para a preparação brasileira à Olimpíada deste ano, o valor divulgado naquela ocasião era de R$ 26.988.196,95, divididos entre 27 modalidades; enquanto a verba do clube paulista, tinha como único destino o Centro de Formação de Atletas Laudo Natel, em Cotia, somando R$ 13.868.493,51.

Nada contra o São Paulo, que acredito tenha maior capacidade de correr atrás de verbas de pessoas físicas e jurídicas para iniciar o seu projeto. Com a lei do incentivo ao esporte, os potenciais investidores podem deduzir uma porcentagem do imposto de renda: até 1% para empresas e até 6% para pessoas físicas. Mas tudo a favor do esporte, que contribui imensamente para manter as nossas crianças nas escolas, além de torná-las mais exigentes com a saúde, o bem estar, a integração, o afastamento das drogas e dos apelos nefastos que estão por aí.

Chore por isso também, mas tome alguma atitude!

Compartilhe

6 comentários em “Lágrimas de Pequim embalam insônia …”

  1. …Caro Raul,

    …Concordo com o seu artigo aqui no blog. A cada Olimpíada a delegação aumenta mais ( inclusive a cartolagem…)mas as esperanças de medalha desaparecem no decorrer da competição. No caso do nadador Cesar Cielo, citado por vc., os pais se sacrificaram p/ ele ir estudar e competir nos Eua, pois aqui talvez fosse apenas uma eterna promessa.
    As confusões de sempre, os esforços pessoais dos atletas, sempre, a desorganização permanente do COB ( um feudo do Nuzman…?), etc. Lembro que na última Copa do Mundo, o jogador francês Thierry Henri disse que no Brasil havia muitos jogadores de futebol revelados todos os anos pq. o brasileiro fica pouco tempo na escola. Na França, dia inteiro, logo não há tempo p/ peladas na rua. Um país onde seus dirigentes há décadas não investem em saúde educação e no esporte como integração social, não pode ser levado a sério. Não é Ã toa que a lei aqui mantem os pais pagando pensões alimentícias “ad infinitum” aos seus filhos, pois os governos e a sociedade dominante fogem das suas obrigações para com os idosos, bebês, adolescentes, adultos, enfim, com todos. E há ainda quem sonhe com uma cidade brasileira, provavelmente o Rio, sediando uma Olimpíada, para quê? Mais vexames? rios de dinheiro desaparecendo nas obras p/ a competição? Atletas de vários países sendo assaltados em todos os lugares? Enfim, este é o eterno país do futuro que nunca vem, mas de realidade triste sempre presente…Abs.

  2. Raul.
    Ótima percepção sobre as enxurradas desses facassos brasileiros nas Olimpíadas de Pequim
    Ponderadas e substanciais considerações.
    Um abração
    Ivan Alvim

  3. Julio Penin

    Raul,
    Infelizmente o esporte não é um fato isolado, ele se insere num contexto maior de desmandos administrativos que infelicitam a nação brasileira.
    Não podemos aceitar tal quantidade de erros.
    abç
    julio penin

  4. RAIMUNDO ROSA , BRASIL .

    Raul parabêns por mais essa ,nossos politicos nem todos e empresarios estão caminhando junto na exploração da raça humana a riqueza do mundo e do pais tem que ser melhor distribuida , temos varias cidades cada uma com um Rei e sua corte ,onde estão nossos politicos com sentimento de Pai onde ele quer que seus filhos estejam todos bem com formação digna gratuita verdadeiros cidadãos o que existe e a Politica da panela , e tenho uma amigo que sempre fala para mim , se a criança não for bem alimentada um otimo estudo , não va crescer com saude nem ter condições no mercado de trabalho , como vamos ter condições de competir de igual por igual com essas condições , atualmente o operario brasileiro esta em estado de miseria as contas privadas estão muito caras o cidadão mal acaba de pegar um emprestimo já tem que pegar outor , os juros do cartão de credito e um roubo de carro nem se fala , espero em Deus que esse Pais seja verdadeiramente nosso um dia ,não esta facil um grande abraço Raul te admiro muito .

  5. Luciana Leal

    Raul, também chorei pela Jade, Daiane, Aninha… chorei com Diego, com as meninas do futebol, com o tempo do cavaleiro Rodrigo, com os erros, falta de sorte, falta de equilíbrio e estratégia dos nossos representantes nesta olimpíadas… mas eles são heróis, heroínas de terem chegado até lá. Fico imaginando quantos outros (as) poderiam também estar em Pequim/08. Quantos sequer sabem que poderiam ter essa oportunidade, porque tinha talento, tinham estrutura física, mas não foram sequer descobertos… as minhas lágriamas também são de raiva porque tudo o que não foi feito hoje é reflexo do ontem, de 4, 8, 12, 16 anos passados sem o investimento necessário para se descobrir talentos, para se investir em educação, em esporte. Os que estiveram nesta olimpíadas só estiveram lá porque se desdobraram, porque buscaram recursos, porque alguns tiveram patrocínio.
    Se eu quiser sorrir daqui 4,8,12,16 anos tenho de ser chata o suficiente de cobrar das autoridades competentes um incentivo maior, uma estrutura melhor para a educação e o esporte. Tenho de fazer hoje e tem de começar por mim, por vc, por todos.
    Caso contrário, nas próximas olimpíadas veremos o povo brasileiro sofrendo novas decepções.

  6. Raul,
    Essa do atleta ter que pagar para mudar de faixa, é realmente inacreditável.
    Além de não terem apoio dos órgãos (competentes), ainda terem que pagar, para representar o País, é demais.
    E o presidente Lula, com a cara de pau, que lhe é peculiar, esteve presente em algumas apresentações dos atletas brasileiros.
    Quanto aos clubes receberem verbas ou benefícios, não vamos muito longe, pois o Santos FC, ganhou da Prefeitura o Terreno onde esta localizado o CET, no Bairro do Jabaquara, como também o centro de treinamento localizado na Martins fontes ao lado do IML.
    Porém, meu caro Raul, nada disso me surpreende, pois em país capitalista como o nosso, os que menos precisam é os que mais recebem,
    Esse é o nosso Brasil!
    I N F E L I Z mente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *