Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

SOS Santa Catarina !

O barulho da chuva que antes relaxava, agora atormenta Santa Catarina que se desmancha em muitos pontos do Estado. As imagens são chocantes e neste momento, além da solidariedade de todo o povo brasileiro, é importante rezar para que a chuva pare e que venha o sol. A natureza vem reagindo sem aviso nem previsão, num Estado que já foi assolado por furacão e intensas chuvas em outras épocas. Passei o final de semana colecionando informações em todos os meios. Lí e ouvi depoimentos e opiniões sobre tragédia, solidariedade, sofrimento, culpados, prevenções etc. Sem perder a perspectiva de remediar essa situação, da melhor maneira possível, vale a reflexão para que esse quadro sirva de alerta aos gestores públicos em priorizar investimentos e ações preventivas.

Não vou considerar neste comentário apenas o quê todos nós estamos testemunhando por meio das imagens e estatísticas sobre danos materiais e mortes. Acho fundamental responder com ajuda, acolhimento, solidariedade. Na Sabesp, onde trabalho, fui incumbido pela diretoria colegiada de organizar contribuições para amenizar as dificuldades do povo de Santa Catarina em sintonia com a Defesa Civil e o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. A empresa, como um todo, se apresentou como voluntária e está em movimento.

A Sabesp doou cerca de 244 mil copos de 200 ml que totalizam 48 mil litros de água para os desabrigados catarinenses. As caixas foram enviadas por caminhões, aviões e helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB). Além disso, a Associação de Funcionários da Sabesp está mobilizando suas diretorias regionais e departamentos para arrecadar produtos de higiene pessoal às vítimas; e as Unidades de Negócio da companhia estão envolvidas para a arrecadação de peças de roupas e ítens de alimentação não-perecível, acessadas nas suas agências municipais e distritais, bem como nos postos que funcionam no Poupatempo. Ontem à tarde, o presidente Gesner Oliveira disponibilizou quatro grandes equipamentos para desobstrução de galerias e valas, que atenderão Blumenau.

Mas há um lado racional nessa história que precisa ser observado. Algumas manchetes e artigos de fundo dos jornais alertam para a prevenção de catástrofes como essa de Santa Catarina. Por exemplo: "Municípios destruídos pela chuva em SC não têm mapeamento das áreas de risco" (Folha de São Paulo, 28/11). Segundo especialistas, esses levantamentos são fundamentais para evitar tragédias, pois identificando as áreas com potencial de deslizamentos e alagamentos é preciso retirar os moradores ou realizar obras que evitem as ocorrências.

"Em vez de prevenir, União dá o triplo para remediar" (O Estado de São Paulo, 28/11) denuncia que o governo federal só executou até agora 13% do orçamento previsto para prevenção e preparação para desastres. Para se ter uma idéia, o governo enviou este ano R$ 7,2 milhões para amenizar desastres em 18 cidades de Santa Catarina e R$ 2,4 milhões para obras preventivas, a maioria em 4 locais do Estado.

No artigo intitulado "Despreparo sem fim" (Folha de São Paulo, 29/11), o jornalista Fernando Rodrigues destaca que "embora seja uma responsabilidade municipal, nada impede governos estaduais e federal de ajudarem. Nunca na história deste país houve tantos ministérios. São 37 os assessores de Lula no primeiro escalão. Pelo menos três teriam condições de atuar incentivando as cidades a executar estudos sobre áreas de risco: Integração Nacional (onde está a Defesa Civil), Minas e Energia (que comanda o Serviço Geológico do Brasil) e a pasta das Cidades (por razões óbvias)".

Fernando Gabeira escreveu texto intitulado "O futuro das chuvas" (Folha de São Paulo, 28/11), lembrando que "quando passou um furacão em Santa Catarina, por acaso, estava lá. Constatei que havia infra-estrutura razoável e que a defesa civil era boa. Numa cidade como o Rio, 40 minutos de temporal bastam para inundar alguns dos seus principais bairros. Isso significa que chuvas como as que caíram em Santa Catarina podem ser mais devastadoras ainda em algumas regiões do país. Lá mesmo houve grandes chuvas em 1980 e 83. Não se falava ainda no processo de mudanças climáticas."

Finalmente, concluo concordando com o conteúdo da matéria "Cidades têm de se adaptar a ‘novo clima’, afirma urbanista" (Folha de São Paulo, 29/11), onde o urbanista Clóvis Ultramari, pesquisador da PUC do Paraná, defende que o planejamento das cidades precisa se adaptar à intensificação das mudanças climáticas, restringindo as ocupações desordenadas, se preocupando com a impermeabilização do solo, a reconstituição da cobertura vegetal e obras de saneamento: "O trabalho que vemos hoje está sendo feito pela Defesa Civil. O planejamento urbano é algo anterior a isso".

Compartilhe

11 comentários em “SOS Santa Catarina !”

  1. …Caro Raul,

    É realmente muito triste o que acontece em Santa Catarina, um estado muito querido ( claro, todos o são…), Creio não ser o momento para ficar buscando culpados, que com certeza, não é só este governo, pois desastres naturais, falta de infra-estrutura, ocupação desenfreada de áreas de risco, acontecem há séculos aqui e em praticamente todo o mundo.
    Realmente o ser humano terá que se acostumar as mudanças climáticas que vêm ocorrendo no planeta Terra. o Homem adora mexer em tudo, mudar cursos de rios, córregos, etc., tudo em nome do progresso. Por isso estamos presenciando tantas tragédias. Há uma grande preocupação com o represamento de um rio lá na China, nas mudanças que isso irá provocar, influenciando quem sabe, até no eixo da Terra.
    O momento é de ajudar de todas as formas possíveis as vítimas em Santa Catarina. E depois, claro, estudar uma forma de minimizar futuras tragédias, pensando, organizando os municípios para evitar fatos como este.
    Parabéns pela iniciativa lá na Sabesp, vamos ajudar!
    A hora não é de buscar prováveis culpados e sim auxiliar o bravo povo catarinense. Abs…

  2. Bom dia meu amigo Raul

    “O importante é rezar para a chuva parar e fazer sol” até nos faz lembrar de trechos musicais de nosso cancioneiro popular. Inegavelmente, mais do que nunca, o universo nos dá indicações de que os tempos mudaram e estão mudando rapidamente e que muitos dos valores, até então adotados pela humanidade, vão tornando-se obsoletos e os governantes que não quiserem enchergar esta realidade estão sujeitos a colocarem em risco não apenas o seu municipio ou estado, mas o nosso pais e a própria humanidade. Parabéns pela sua iniciativa e da Sabesp. Estamos também orando pelo povo do lindo estado de Santa Catarina. Abraços.

  3. Vamos ajudar os animais, tb. São seres com alma, que sente frio, dor e tristeza de estarem abandonados em meio ao caos.
    As entidades protetoras começam a entrar nas áreas atingidas para recolher os cães e gatos que ficaram para trás.Eles são levados para brigos improvisados em barracas ou de ongs.
    Quem puder ajudar com medicamentos veterinários, ração para cão e gato faça chegar até as ongs Viva Bicho de Blumenau e de Itajaí, ou Instituto Ambiental Ecosul, de Florianópolis.
    Elas repassam as doações para as entidades protetoras das cidades mais atingidas.
    Quem achar que um bicho é menos importante do que gente, repare na solidariedade e fidelidade deles para com seus familiares humanos.
    Muitos cães ficaram junto a seus donos o que tem possibilitado encontrar gente soterrada pelos deslizamentos.
    Oi, Raul, desculpe a invasão do seu espaço, mas todo mundo pensa nas pessoas. Certo. Então, alguém precisa pensar nos bichos.

  4. Meu nome amigo, tenho areço e carinho pelo nome lisura de alguns políticos. Mas que tal concluirmos que estamos pagando os preços dos desvios superfaturados de obras que nem se quer são supervisionadas direito? Feitas com péssimos matérias e a altos custos. Veja se a casa de algum ministro,dep.federal ou estadual se encontra nesta situação?
    R$ 3.000.000,00 (TRES MILHÕES DE REAIS), a reforma de um apartamento em brasília? Pagamos impostos de IPVA e tantos outros e ainda temos que pagar pedágio para ter uma estrada descente. Quem é o presidente da ECOVIAS, ainda é o filho do Ex-Governador Mário Covas?????
    E na hora da desgraça os políticos se solidarizam pedindo para nós pagarmos novamente a m………que eles fizeram!
    Da minha casa, podem morrerem todos de fome e sede!
    Só o Deputado Thame tem mais de 178 imóveis.
    Não está na hora de revermos os conceitos do que falamos e do que fazemos??????
    Deixar de aparecer nos órgãos públicos como DEPUTADO, MINISTRO OU POLICIAL FULANO DE TAL e ficar quieto:pegar senha, sentar e esperar o atendimento. Ou pra melhorarmos esta pouca vergonha, farão o que Raul Seixas, escreveu guiado pelo DIABO: tá tudo pronto aqui e só vim pegar, vamo alugar o brasil!
    Ou o Anti ditadura Militares: Chico Buarque: Acorda Amor, eu tive um pesadelo agora. Sonhei que tinha gente la fora era escura, era a dita viatura (preta e vermelha). Acorda amor chama o ladrão, chama o ladrão……
    Estãoconfudindo liberdade de expressão com libertinagem de expressão e estão colhendo os frutos!

    Só estão nos chamando para pagarmos novamente um imposto que deveria ser bem pago e se acontecer comigo nao esquenta não!

    Estas obrs temos que tomar muito cuidado porque pode e vai se transformar em um trampolim para maus políticos descviarem dinheiros de ajuda humanitária!!!!!!!!!!

  5. É com profunda tristeza que temos que reconhecer as razões para os comentários que lemos e ouvimos diariamente, incluindo os que são apresentados aqui.
    A grande preocupação do ser humano, o dinheiro, revela sua mentalidade extremamente materialista, escrava do capitalismo.
    Um dos fatores para que isso ocorra, é a enorme influência de autoridades e lideranças, principalmente os discursos contundentes de nosso presidente, que incentiva, quando não impõe, a gastança e o endividamento, sem se importar com as consequências.
    Aliás, o presidente é o maior garoto propaganda do capitalismo. Lula deve ser o sinônimo de gastar e consumir.

    Enfim, jamais haverá espaço suficiente para expressar meu descontentamento com a desorientação promovida pelo governo federal, por isso, fica difícil confiar nas suas boas intenções e de todos os que o apoiam (imprensa, igrejas, empresários), mesmo num momento de tragédia.
    Sinceramente, quem acompanha o noticiário tem dificuldade de contribuir em qualquer campanha de solidariedade.

    Por isso, antes de se preocupar com os números da economia, o Brasil precisa de lideranças que inspirem a confiança em sua competência, em seu caráter e que recuperem a credibilidade de suas instituições.
    Chega de valorizar o discurso da malandragem.

    Eu tenho certeza de que quando o país se libertar desse curral de ilusões e tiver a certeza de que todos terão o acesso a serviços de qualidade e oportunidade de crescimento, além de suas necessidades básicas, de acordo com seu esforço e seus méritos, conseguiremos entender o que é justiça social e, assim, seus sentimentos mais nobres de solidariedade e amor ao próximo poderão se manifestar de maneira legítima, e o ganho financeiro de seu trabalho será apenas consequência.
    Por enquanto, eu contribuo de coração, mas estou de olhos e ouvidos atentos.

  6. Parabéns à primeira dama Mônica Serra por mais uma iniciativa de ajuda aos desabrigados de Santa Catarina.
    Isso prova que amor ao ser humano não tem fronteiras, pois ele é chilena, mas sua atuação no Brasil supera as expectativas. O povo brasileiro agradece.

  7. Concordo a coisa vem coincidindo

    Parece que sempre era assim, tinha que acontecer algo para depois consertar promovendo elementos, que nada fizeram pela prevenção, porque não sabiam, mas se promoviam, em cima das desgraças

    Agora a população toda sabe, a realidade vai ser diferente depois dessa tragédia que podia ter evitado as mortes e minimizando o custo, pode ser como modelo para o mundo inteiro usar essa força da imprensa para acabar com a miséria e as favelas do mundo assim como as seqüelas das enchentes tirou a moradia de muita gente, tem muita gente sem moradia ainda

    Isso não era para ser espinho

    Espinhos e isso que se fazia ou ainda se faz, deixar tudo correr solto para se promover com as tragédias humanas, sem nunca querer buscar uma solução para resolver onda a risco antes das tragédias

    Pela tragédia de um lado, que poderia ter evitado todas as mortes, menos a tragédia, se as medidas de infra-estruturas necessárias tivessem sido providenciadas como medida de prevenção

    Deixar acontecer e desnecessário, porque não evitar se vai acontecer, podemos evitar antes que aconteça

    Tem que acontecer alguma coisa, para se fazer a coisa certa antes que aconteça, mesmo assim vai ter que fazer se não fizer vai acontecer, com prejuízo maior, mesmo assim as vidas

    Exemplo do machado

    Do machado
    Postado por Paulo Coelho em 29 de Novembro de 2008 as 01:26
    O velho acordou e reparou que seu machado não estava no lugar onde havia colocado. Foi até a janela, e viu o vizinho sentado em sua varanda.
    “Ele deve ter roubado minha ferramenta”, pensou o velho. “Veja como tem cara de ladrão, jeito de ladrão, olhar de ladrão”.
    Ao meio-dia, enquanto arrumava algumas coisas, o velho reparou que o machado estava atrás de um móvel.
    Naquela tarde, ao sair de casa para dar um passeio, cumprimentou o vizinho e seguiu adiante, pensando: “como é bom morar junto de alguém que tem cara honesta, jeito honesto, e olhar honesto”.
    (Creio que todos nós, em algum momento de nossas vidas, já nos comportamos como este velho).

    Do machado PIK [email protected] a versão do machado

    Traz lembrança do tempo, que cortava lenha depois de derrubar arvore, isso era preciso para cozinhar comida no fogão de lenha, era único alem do forno que assava pão bolo carne e galinha recheada

    Galinha só quando sobrava, porque as galinhas eram roubadas sempre de madrugada, anos se passaram, nem a policia pegava quem levava as galinhas dos galinheiros de toda a região

    E acusação corria solta, todos eram suspeitos, até o delegado intimar todas as vitimas que tiveram suas galinhas e galos sumidos, fez uma pergunta única, o que cada um comia não tendo galinha para comer

    Cada um deu sua versão, um determinado elemento respondeu que sem as galinhas, comia arroz com arroz, aipim com aipim

    Depois de três anos, tudo continuava na mesma sobre suspeita, ate que por um acidente, uma criança ouviu gritos de galinhas na casa do elemento que declarou que comia aipim com aipim

    O delegado fez uma visita oficial na casa para verificar se tinha galinha, disse o suspeito que era uma gravação, o que a criança tinha ouvido, mostrou a gravação, ai o delegado foi ver o que tinha na panela, viu era galinha cozinha assada, ele disse comia galinha com galinha, só não podia falar

    Assim foi desvendado o mistério das galinhas que sumia sem deixar vestígio, onde o ladrão ajudava por armadilhas, para pegar o ladrão, que era ele mesmo no lugar do machado faltavam as galinhas

    Assim e com as tragédias em santa Catarina, que pode acontecer em tantos outros lugares do mundo, que não deixa de ser uma tragédia humana por falta de prevenção de marcar eletronicamente os pontos de riscos existentes, e o clima que precisa de conserto tem que ser adotado como uma criança

    Agora precisamos socorrer o povo de Santa Catarina, para ser socorrido no futuro pela Santa Catarina, isso ate parece uma poesia, mas e a realidade do presente e do futuro quem viver vera, não precisa acreditar basta estar vivo

  8. Sobre santa catarina:
    Esta Calamidade, que aconteceu em Santa Catarina, me levou a ver algo: a incompetência!
    Senão vejamos: Todos os estados brasileiros estão mandando mantimentos, agasalhos, e outros itens para Santa Catarina, certo? Corretíssimo! Mas estão a mandar isso, por via rodoviária!
    São Caminhões e caminhões, saindo das capitais, e cidades grandes, em direção a Santa Catarina, com toneladas de alimentos.
    Caminhões e Motoristas estão correndo riscos, pelas estradas, sem necessidade alguma, e eu explico:
    Porque o Governo federal, não organiza uma ponte área com aviões da FAB, pegando as doações, nas capitais, e levando tudo, em aviões de carga? Não seria mais seguro, e mais rápido?
    Não daria maior credibilidade as doações, se seguissem para entrega, por veículos do governo?
    Fica caro, usar a FAB?
    Pode ser… Mas então, porque não montar comboio de caminhões do exercito, para fazer esta entrega?
    Todos nos sabemos, que tem um contingente enorme, de soldados, em nossos quartéis, que tão a fazer exatamente nada. Num seria a hora, de colocá-los a serviço da população, em um comboio seguro, para estas mercadorias, que transportadas por particulares, por transportadoras, correm o risco de assaltos e ataques?
    Num seria mais digno, e mais humanitário, o Governo pegar para si a responsabilidade de transportar este material?
    Não, não seria o uso indevido das forças armadas, pois elas existem para servi ao povo, não para somente coçar o saco, nos quartéis!
    A constituição reza, que as forças armadas são a segurança da nação e seu ponto de união!
    Justo seria, colocar este contingente, a serviço de Santa Catarinma, neste momento, não acham?
    Fica aqui minha sugestão!!!!

  9. São muitos os culpados por mais essa tragédia, e outras mais que com certeza virão a acontesser.
    Só não culpem a mãe natureza, pois essa sim é que menos culpa tem, se nesse caso é que tenha culpa.
    Pobres seres humanos, vão se auto destruindo sem perceber o quanto são culpados.
    Exemplo disso é o quanto desmatam as nossa florestas, para com isso, construirem seus impérios.
    Enquanto as periferias são punidas, até nas cataóstrofes, o povo mais humilde são os mais prejudicados, pois tentam sobreviver sem o mínimo de infra estrutura.
    Ora o povo!

  10. Conforme dados oficiais, esta não foi a pior delas no Estado, em 1974 em Tubarão houve uma que gerou 199 mortos e 65 mil desagrigados, o rio teria subido 10,22 mts. Em 1983 e 1984, 140 pessoas morreram em todo o Estado nessas cheias, em 1983 tb em Blumenau, o rio Itajaí subiu 15,34 mts deixando 197 mil pessoas desabrigadas c/ 8 mortos, no ano seguinte este mesmo rio subiu 15,46, deixando um saldo de 155 mil desabrigados e 8 mortos, outras fortes chuvas em 1995 em Floripa, mais 69 mortos, furação Catarina em 2004 mais mortes e desabrigados e agora esta última de 2008 c/ mortes e desabrigados ainda não computadas oficialmente. Pergunto, quantos mais mortos irão ser necessários para acordarem e tomarem as providências cabíveis nessas e outras mais regiões, não é de hoje que o Criador(Eu creio) atraves da mamãe Natureza vem nos mostrando que nem todos os lugares podem ser invadidos, habitados e sofrer degradações pelos Homens, que sirva de alerta as demais em todo o Planeta!!!

  11. O Fiasco da cobertura televisiva, da Globo e da Record, vai ficar na historia da tv nacional, como a ves que se quebrou o padrão de qualidade!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *