Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

“Arrastão” sem educação … O quê fazer ?

Sobressaiu no noticiário a ocorrência de "arrastões" em Praia Grande e São Vicente, durante as comemorações entre o Natal e as primeiras horas do Ano Novo. Os prejuízos materiais foram enormes, sem contar a mancha na imagem de uma região que vem despontando como uma das principais opções de turismo no Estado e no país. Será que as receitas do novaiorquino "tolerância zero" ou do jeitão "põe a ROTA na rua" resolvem o problema da violência entre adolescentes, jovens e baderneiros sem educação ? Não é hora de elevar a bandeira da Educação como prioridade número 1, a partir dos municípios ?

Acho que o momento está mais propício para agregar valor aos programas de integração família-comunidade-escola e promover campanhas institucionais sobre valores que importam mais a um cidadão que tem consciência plena dos seus limites e um futuro em perspectiva menos desigual. Isso não é um discurso sociológico. Trata-se de uma constatação reincidente, se é possível comparar alguns péssimos exemplos ocorridos no segundo semestre do ano passado, em que professores foram colados às cadeiras de trabalho ou tiveram seus carros danificados ou sofreram violência física de alunos e de grupos armados que invadem escolas sem nenhum respeito, em diversas partes do país.

Os casos registrados na Baixada Santista são preocupantes por conta do comportamento violento, insegurança e pela constatação da carências de palavras de ordem que inspirem motivações mais construtivas. Não cabe atribuir somente às deficiências educacionais esses desvios. Todos sabemos que a base da educação está na família e no seu meio ambiente, complementada com a instrução escolar e a formação técnica e profissional. Aos governantes e à própria sociedade restam, portanto, a infraestrutura, os meios, a participação e as cobranças necessárias.

Não haverá exército de policiais capaz de controlar uma massa de ignorantes. 2009 está apenas começando, com prefeitos reconduzidos e eleitos pela primeira vez. Aproveito esses maus exemplos de cidadania deformada para sugerir uma reflexão favorável à reafirmação dos compromissos públicos com a melhoria da qualidade da Educação !

Compartilhe

26 comentários em ““Arrastão” sem educação … O quê fazer ?”

  1. Amigo Raul.
    Colei as suas ponderações, pois eu concordo, plenamente, com as suas recomendações para que esses fatos lamentáveis não se repitam.

    “Não haverá exército de policiais capaz de controlar uma massa de ignorantes. 2009 está apenas começando, com prefeitos reconduzidos e eleitos pela primeira vez. Aproveito esses maus exemplos de cidadania deformada para sugerir uma reflexão favorável à reafirmação dos compromissos públicos com a melhoria da qualidade da Educação !”

    Aqui em Guarujá, devido ao perfil político e à formação acadêmica, bem como moralizadora, da Prefeita, creio que essa reafirmação de valores se refletirão nas ações políticas e administrativas da mesma, que priorizou a Educação, Saúde e Segurança como as metas principais do seu Governo.

    Cabe também o comentário de um fato que eu presenciei, durante a posse do companheiro, Dr.Edmur Mesquita na Direção da AGEM, o nosso companheiro, Aurélio Fernandes de Souza, e o Edmur combinaram para a criação de um CONSEG –
    Conselho de Segurança Comunitária, regional, o que em muito deflagará uma conscientização das comunidades litorâneas para os fundamentos
    da Paz nas cidades das praias.

    Um abraço e um bom dia, caro companheiro Raul.
    Ivan Alvim

  2. Sabe Rauk, de certa forma, isso era esperado. Todos falam em trabsformar a Baixada em algo mais politicamente forte, mas nada é feito. Se fosse feito isso, com mais eficasia, teriamos mais policiamento, mais segurança publica e talvez mais tranquilidade. Porque num dá para ser feito nada disto? Porque parte das verbas, nem sequer chegam na Baixada… Saem em comissões, em malandragens, em safadezas, e o que vem, é uma merreca…o que sobra do rapa-tacho, que é a verdadeira jogatina politica, que montaram com o repasse de verbas.
    E não venha alquem ai dizer que isso não acontece que, de ante maõa, ja to taxando o cara de mentiroso, pois todos nos sabemos que é assim, que a coisa funciona neste pais.
    Com as exceções de praxe, estamos no meio de um verdadeiro trem da alegria, onde o povo, dono do trem, aq

  3. aquele que deveria viajar nele confortavelmente sentado, apreciando a viagem, fica sempre em pé, na estação, pois chega atrazado.
    Vivemos num pais capitalista, onde o povo nada apita, mas paga a conta! Vivemos numa falsa democracia, e todo politico deste pais sabe disto! a democracia que se instalou neste pais é a democracia do ” quanto eu levo nisso?” “Qual seria a nossa comissão?” dizer que isso num é a verdade, dos acontecimentos deste país, é mentir fora de palanque, mentir para a propria conciencia. O pais tem tudo, para ter descencia, honra, dignidade, justiça social, e uma população feliz, mas falta a dignidade e a vergonha na cara, de certos politicos, que pensam isso sim, na conta bancaria da Suissa, não na segurança do povo que o elegeu!
    Enquanto a classe politica brasileira tiver esta mentadlidade, teremos arrastões na orla maritima…. fome e sede no nordeste…. Falta de segurança publica no pais inteiro e uma primeira dama, com dupla cidadania, passaporte italiano, que segundo ela, pode ser util, se tiver que deixar o país as pressas!!!!!

  4. Caro Raul,

    Sua análise e os demais comentários são perfeitos, entretanto gostaria de alertar para um aspecto que infelizmente acaba sendo deixado em segundo plano e se refere as drogas lícitas. Quanto custa um litro de cachaça? As vodkas misturadas com refrigerantes que servem como canal de entrada para nossa juventude no vício? O resultado é devastador. Assim como a “Lei Seca” tem mostrado seus resultados, ainda que pequenos, representam vidas salvas, temos que perder impostos para salvar famílias e crianças.

  5. Raul,

    Os fatos ocorridos são lamentáveis. Certamente a “ROTA na rua” não é solução sensata para o problema.

    Educação em primeiro lugar. Como você bem disse “não haverá exército de policiais capaz de controlar uma massa de ignorantes”.

    Acredito que o governo federal deve efetivamente voltar suas atenções para a educação nacional, e deixar em segundo plano a política assistencial que “entrega o peixe, mas não ensina a pescar”

    Um forte abraço!

  6. EDUCAÇÃO = Inclusão, economia, desenvolvimento…

    SOCIEDADE MELHORAMENTOS PRÓ-BAIRRO DO SABOÓ

    Santos, 02 de Setembro de 2008.

    Exmo. Sr.
    José Serra.
    Governador do Estado de São Paulo.

    Prioridade Educação.

    Participamos da Audiência Pública para discussão da proposta orçamentária do Estado de são Paulo, realizada pela Secretaria Estadual de Economia e Planejamento, no dia 02 de Setembro de 2008 as 09:00 horas, rua XV de Novembro, nº 137, no auditório da Associação Comercial de Santos.

    Exclusão social.

    Milhares de trabalhadores de Santos e Região perderam os empregos com a modernização das empresas onde trabalhavam, ( Porto, Cosipa, Estiva… ) porque o poder publico se omitiu, não os preparando para a mudança.

    As escolas públicas estaduais não se modernizaram e piorou a qualidade de ensino. Dificultando a inclusão dos filhos desses trabalhadores no mercado de trabalho.

    Nos queremos uma escola pública nova, que ofereça: qualificação, ensino de qualidade, oportunidade, igualdade e prepare os alunos para o desenvolvimento.

    Para ter uma escola pública nova é importante a participação de todos os envolvidos com a educação, principalmente os alunos e comunidade, na apresentação e discussão de propostas. O poder público deve permitir e incentivar a participação, priorizando as mudanças.

    Propostas educação.

    Implantar cursos técnicos e profissionalizantes em todas as escolas estaduais.

    Oferecer alternativas para que os alunos descubram suas vocações e desenvolvam seus talentos

    Priorizar a educação, informatizar, ampliar recursos.

    Audiências Públicas visando um projeto novo para a educação. Incentivar a participação dos alunos.

    Escola Estadual Padre Bartolomeu de Gusmão. Bairro do Saboó, Santos.

    Tem 15 computadores, todos quebrados.

    No período da tarde não há aulas.

    Há menos de 12 classes no período da manhã e da noite.

    Ocupa um terreno de 5000 metros quadrados, mas não tem estrutura física que ofereça alternativas aos professores e alunos.

    O dia a dia da escola é tenso e preocupante.

    Solicitamos.

    Cursos técnicos e profissionalizantes.

    Projeto na estrutura física da escola que atenda demandas e amplie oportunidades.

    Profissionais especializados que atenda alunos com dificuldades. Ex. disciplina, relacionamento, aprendizado, saúde e outras

    Ginásio com toda infra-estrutura, que ofereça espaço para atividades culturais, esportivas, sociais, educativas.

    joaoinocencio.blig.com.br

    enviada por joaoinocencio
    (comentar) | (envie esta mensagem) | (link do post)

  7. Saboó. Faltam cursos profissionalizantes

    Segunda-Feira, 4 de Dezembro de 2006, 07:15
    Bairros: ZN submersa
    Da Redação Atribuna.

    No Saboó, a comunidade também reivindica uma área pública para a construção de um parque de lazer destinado a atividades culturais, sociais e esportivas. ”Precisamos oferecer alternativas para os jovens. Além disso, faltam cursos profissionalizantes em toda a Zona Noroeste. Nossa região é uma área carente de oportunidades”, diz o presidente da sociedade de melhoramentos, João Inocêncio Correia de Freitas, de 59 anos, 54 deles vividos no Saboó.
    As enchentes também atrapalham a vida dos moradores, causando prejuízos. ”Mesmo que ocorram apenas duas ou três vezes por ano, criam vários problemas para os moradores, que têm os móveis estragados pela água que invade as casas em dias de chuvas”, reclama Freitas.

    joaoinocencio.blig.com.br

  8. Educação é prioridade

    Participei da reunião do mandato participativo, realizada pelo Deputado Estadual Bruno Covas, realizada no seu escritório político, no dia 19/10/2007.

    Na ocasião, entre outras, apresentei a proposta prioritária da Sociedade de Melhoramentos do Bairro do Saboó, EDUCAÇÃO e ALTERNATIVAS PARA os JOVENS.

    Segue trecho da ata da reunião: Depois de fazer uma breve explanação sobre sua atuação na Assembléia, tanto sobre as proposituras já apresentadas como a participação nas comissões, especialmente a de Finanças e Orçamento, da qual é presidente, Bruno Covas abriu para a participação dos presentes. Educação foi o primeiro assunto a ser colocado, pelo representante da Sociedade de Melhoramentos do Bairro Saboó, que explicou que sua diretoria escolheu esse tema como prioridade na Zona Noroeste. Ele citou escolas ociosas na região, que poderiam ser ocupadas com cursos profissionalizantes, dando ao estudante mais condições de conseguir emprego quando terminasse o ensino médio.
    O deputado lembrou a importância da universalização do ensino básico e ressaltou que a meta do governo, agora, é a qualidade da educação no Estado. Bruno Covas se comprometeu a levar esse pleito à Secretaria de Educação e anunciou a possibilidade de levar autoridades ligadas à rede de ensino estadual à Zona Noroeste, para discutir com a comunidade as alternativas para a Escola Padre Bartolomeu de Gusmão, citada naquela oportunidade…

    joaoinocencio.blig.com.br

  9. Interessantes observações,

    Para ter uma escola pública nova é importante a participação de todos os envolvidos com a educação, principalmente os alunos e comunidade, na apresentação e discussão de propostas. O poder público deve permitir e incentivar a participação, priorizando as mudanças.
    Mas o governo está atento sim, a proposta é muito boa, os alunos têm material para estudo perfeito,, mas para os alunos compreenderem a importância dessa qualidade de ensino precisam de mestres conscientizados da escolha de sua carreira, da família em participar do dia-a-dia do aluno,e entender que computadores ,carteiras paredes não são para serem destruídas,que a escola é o local onde o filho passa a maior parte do seu dia, e que ele deve preservar o que lhe é proporcionado, para melhoria do seu ensino. Arrastões, destruições, ah se a escola pudesse contar,,,,
    A Família é que precisa se estruturar, e os pais mostrarem aos filhos, que dentro de sua casa há respeito, honestidade, não adianta vc criticar a corrupção, se ela muitas vezes faz parte da sua própria casa…

  10. Vera Souza Dantas

    Raulzito querido.
    Esse é um velho tema e ele se arrasta de tal forma que me faz pensar se um dia conseguiremos vencer essa questão vital. Não quero parecer derrotista, mas entra governo e sai governo e vemos a literal falta de educação atingir a sociedade em vários graus. Aquela batalha desigual que vimos pela TV é apenas um dos aspectos dessa falta de educação e nos impacta e faz reagir porque ela nos amedronta, nos ameaça diretamente. Mas há outras acontecendo todos os dias, bem na nossa cara… Desde jovens que ocupam os bancos cinza do metrô, fazendo-se de ausente para não enxergar quem realmente precisa e deve sentar-se, até os carrões que param nas vagas para deficiente (sem portar qualquer adesivo) nos estacionamentos. Então, por onde começar esse preparo para um ser humano melhor, mais comprometido, mais solidário? Lembra das faixas de pedestre em Brasília, que são usadas como tal porque nenhum motorista se atreve a desrespeitar?! E bastou uma campanha objetiva, forte, acompanhada da fiscalização que o próprio cidadão de Brasília exerce… e temos lá um direito respeitado e preservado. Mas aquilo parece ser uma ilha isolada no meio de um oceano de grosserias, de dissimulação, de violência e temo que serão necessárias muitas gerações para que ganhemos um mínimo de consciência.

  11. Concordo com você, Raul, educação é fundamental para a formação de pessoas mais ajuizadas e que possam viver em sociedade; masa nesses casos isolados do arrastão em SV e na minha Praia Grande não será APENAS a educação capaz de resolver tais transtornos. Eles denotaram, sim, a falta de infraestrutura para receber esse mar de pessoas aqui. Precisamos também pensar em um turismo perene, que não dependa exclusivamente dessa alta temporada que é sinônimo de baderna. Praia Grande tem condições para isso. E quando ao policiamento: sim, é importante! E com pessoas desse tipo Tolerância Zero!

  12. “Provavelmente não existe Deus. Pare de se preocupar. Curta a vida” é o que diz o slogan de uma campanha de um grupo ateu que deve começar a circular em Barcelona nas próximas semanas. Inspirado em uma ação com o mesmo propósito em Londres.

    Segundo os ateus da tal campanha ou os moderninhos do Brasil, aproveitar a vida é contrariar todos os ensinamentos religiosos, considerados ultrapassados. Para essas pessoas tudo ficou normal, não há consciência, sentimento, remorso, porque isso é coisa de babaca.
    Assim, os selvagens primitivos e pré-históricos querem impor a ditadura da idade da pedra.
    Por isso, eu considero a ignorância espiritual tão grave quanto a ignorância intelectual.
    Infelizmente, as autoridades e os meios de comunicação de massa são os maiores responsáveis pelo enaltecimento desse modelo de comportamento que transforma delinquentes em líderes e celebridades.
    Antes de tudo é preciso rever os conceitos que ignoram e até ridicularizam os indivíduos que possuem determinadas virtudes que poderiam contribuir para mudar o rumo dessa história.

    Assim, ficam colocando apelidos jocosos, de propósito, é óbvio, em cidadãos educados e tranquilos, como o “picolé de chuchu”.
    Quem é sério, determinado e sabe afastar os maus intencionados é rotulado de antipático, como é o caso do governador Serra.
    Quem se esforça e tem sucesso por seus méritos faz parte de uma “elite” maldita.
    Por outro lado, o malandro reina em popularidade. Faz-se de vítima para tirar proveito e disfarçar sua inveja e sua sede de vingança, mas como é mestre da falsidade, conquista a simpatia dos inocentes e a proteção das instituições. É o cidadão teflon com o qual o brasileiro se identifica e que está conduzindo nosso povo para o precipício. Ou para o inferno.

  13. As escolas também têm uma parcela de responsabilidade nessa situação de violência.
    As melhores escolas particulares têm programas de incentivo aos melhores alunos, inclusive com divulgação ampla dos mais bem sucedidos em concursos, competições, vestibular.
    Eu trabalho com professores de escola pública e em nossas conversas eu percebo a grande preocupação com os piores alunos,e quanto aos demais, não sabem nem os seus nomes.
    Quem se sente mais prestigiado e valorizado?
    Qual o comportamento que eles acham que compensa?

  14. ercilia pouças feitosa

    Raul amore,
    Estes arrastões parecem muito ter sido um continuidade do outro. Ou seja, o mesmo grupo de marginais, vândalos, orquestrados sob a batuta de um mesmo e único maestro, agindo em dois pontos da Baixada. Marginais do Litoral, somados aos do Planalto para baderna geral, a título de nada. E ainda vieram os defensores dos coitadinhos reclamar porque ficaram “muito tempo” no camburão da Polícia. É preciso ter mais rigor, sim, na Educação, mas também na fiscalização das estradas, no controle do aglomerado populacional. (Como pretender enfiar o Brasil inteiro dentro de dois, três, quatro municípios?) Ombro a ombro com a Educação é necessário também o rigor da Justiça, o rigor da Segurança, o rigor da sociedade.Está na hora de trocar os aconselhamentos das palavras, pela palavra da palmatória.
    Há meses, estamos assistindo como se faz um marginal perfeito com este garoto de 12 anos que já foi apreendido uma dezena de vezes e uma dezena de vezes foi liberado para os pais que se dizem impotentes para controlá-lo. Não seria a hora da Justiça agir com rigor com os pais e com este garoto? Ou será que eles serão os que daqui uns dias estarão gritando chavões, pedindo JUstiça porque “mataram uma criança????”
    Porque a impunidade vem num crescendo em todos os pontos, setores e classes sociais do País é que fatos como estes acontecem e acontecerão ainda muitas vezes.

  15. PAULO MATOS

    RAUL, assim vejo a violência das ruas em PG e SV: quanto mais assisto aos comportamentos sociais como estes – e a compreensão equívoca dos personagens que ousam tentar compreender este fenômeno social do capitalismo sem entendê-lo na sua gênese -, mais me penitencio por não ter conseguido mudá-lo, com que sonhava.

    E lamento, pois sem a exata compreensão da barbárie imposta à sociedade em forma de privilégios, exploração, opressão e alienação pelos poderosos é impossível compreender tais comportamentos de seres violentados que reagem exatamente como são tratados.

    Mas não tenham pressa, pois os verdadeiros autores das depredações vão sentir na própria carne os efeitos destas práticas as elites que dominam os podres poderes, os meios de comunicação e a propaganda que desperta anseios impossíveis de serem satisfeitos, que atingem o inconsciente sem passar pelo julgamento.

    Os espetáculos descritos ocorrem na Inglaterra e nos Estados Unidos, não são produto da ignorância e não haveremos de ser ingênuos a ponto de acreditar nisso – mas reflexos de um sistema desumano e cruel que paga locutores para defendê-lo e mantê-lo, preservando sua desumanidade.

    A revolta contra o sistema não pode ser sufocada pela violência, como foi e como é, pelas tropas mais violentas do que a dos “baderneiros”. A aniquilação da resistência resultou na sua reincid~encia desorganizada. Esmaguem as passeatas e as revoluções e terão a resposta nas ruas, com esta. Precarizem a vida das massas e terão sua tradução.

    Já não sei se eles não passarão, como disse La Passionária: a volência dos institutos oficiais é muito mais grave nas ruas e nas cadeias e quando se espraia provoca estranheza dos verdugos. Queriam o quê com bombas de gás e spray de pimenta, porretes e assassinatos? Beijos em resposta? Ora…

    Paulo Matos

  16. Orlando Moreno

    Considero todas as opiniões corretas e importantes mas será que ninguém notou que o que falta não é escola, não é oportunidade para desenvolver uma carreira,inclusive universitária, só se o sujeito for vagabundo ou criminoso e aí sim é caso de polícia. Podemos até pecar pela qualidade, mas já dizia um velho mestre que “A boa Escola é o aluno que faz”
    O que quero dizer é que pelo menos em Santos o caminho já foi apontado e ele está na CULTURA , Cultura de verdade feita de forma séria que humaniza as pessoas, sensibiliza exige reflexões e cria cidadãos . A boa música , o teatro o circo a dança , isso sim é um caminho .;
    Ande pelas prais de São Vicente, Praia grande Mongaguá Itanhaém, etc eo que vc verá nada absolutamente nada para ser feito além da praia e inúmeros quiosques com bebidas e mais bebidas, ora em santos não fugimos muito a regra mas existem as TENDAS CULTURAIS, OS SHOWS DE VERÃO COMO O ÚLTIMO DA OSESP mais de 30 ou 40 mil pessoas ouvindo música clássica em plena areia da praia . Foi um luxo me deixou orgulhosos de ser Santista . Parabéns Sabesp , OSESP e Prefeitura . É assim que se viabiliza uma cidade do futuro. Amigos Tupiniquins desse litoral sofrido e atrasado culturalmente “Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas” ou continuem suas Encenações idiotas e pequenas fábricas de delinquentes com fins eleitoreiros e assistencialistas . Cultura é o caminho e como já dizia o poeta que nos deixou “O Governante que não ionveste em cultura é no mínimo ladrão” Salve Jorge Amado por todos nós, de capitães de Areia, quem se lembra disso? Caymi e tantos outros que já desistiram de continuar sua luta mas nos deixaram ensinamentos valiosos que penamos em não saber usa-los. Basta de Violência ” Jorge Amado neles” e quem sabe um pouco de machado, Vinicius, Drumond, Villa Lobos, Tom , Chico, etc , etc , etc…

  17. Perfeita a opinião de quem responsabiliza a família pelo padrão de comportamento da sociedade, de nossos jovens, de nossos filhos.
    Porém, essas mesmas famílias sofrem o mesmo processo de desintegração, desorientação, decadência e deterioração dos valores básicos para um bom relacionamento social que os jovens delinquentes que assombram a população.
    Há referências sobre os protetores dos “coitadinhos” e a maldita tendência de relativizar seus atos criminosos, acobertando-os no manto da impunidade. Essa impunidade é o que eu chamo de teflon do malandro, que se faz de vítima para comover e se safar da merecida punição.
    Além dessa proteção representar uma injustiça contra suas vítimas, são invejosos e têm sede de vingança. Óbvio, são pessoas ignoradas pelas próprias famílias que deveriam orientar seus passos, mas os abandonam sob o pretexto de oferecer uma suposta liberdade.
    Assim, consideram-se tão insignificantes que se tornam presas fáceis daqueles que vivem as custas da maldade e precisam recrutar uma massa de infelizes submissos para sustentar seus “negócios”. Assim, quem não consegue despertar suas próprias habilidades, quer destruir quem as tem.
    Por isso, eu cobro a responsabilidade das lideranças importantes, das autoridades, dos professores, dos religiosos, da imprensa, enfim, de todos aqueles que exercem influência na mentalidade da população e, infelizmente, os que tem boa índole são omissos e desunidos, enquanto que os seguidores daqueles que lideraram grandes impérios e que foram causadores de muito sofrimento, são atuantes e não desistem nunca.
    E o brasileiro que não desiste nunca é exatamente assim, aquele que está sempre interessado em vantagens pessoais, custe o que custar, e é o que provoca revolta e violência.
    Essa conversa de que a desigualdade provoca violência é outra lorota, pois, além de acirrar mais ainda o sentimento de inveja e o desejo de vingança, não é verdade que pobre é mais violento. Isso é o cúmulo do preconceito. Esse tipo de comentário é que incentiva a violência.

  18. Raul
    Fico sem muito o que comentar, apois tantas declarações de repúdio a esses atos praticados ,os tais arrastões em nossa região, mais digo o seguinte: falta, educação, falta uma política seria de segurança pública, falta a participação dos pais na formação de caráter dos seus filhos, falta religiosidade, falta acvima de todas as faltas já citadas e eu assino em baixo, mais o que está faltando para o povo é a Fé em Deus, e sem fé, não haverá resspeito pelo semelhante.
    Já não sei se alguns estão criando filho ou gerando monstrinhos que com o passar do tempo se transformam no que assistimos no nosso cotidiano, em verdadeiros demônios!
    Portanto, meu caro amigo Raul,
    Só DEUS para proteger as pessoas de bem, da ira incontrolável dessas bestas feras que andam a solta, aterrorizando a todos!
    DEUS, não nos esqueçamos dele.
    DEUS, nosso pai que tudo pode!
    Abs.

  19. Raul,

    Eu comentei tempos atrás sobre uma pessoa que não paga suas contas e está furiosa porque estão cobrando e ela afirma que não é obrigada a pagar.
    De onde será que ela tirou essa idéia?
    Que tipo de orientação o nosso povo está recebendo?

    Pois bem,
    Estou passando uns dias na roça e o pessoal aqui está feliz da vida porque receberam uma informação que o maravilhoso presidente vai perdoar as dívidas acima de cinco anos.
    Isto é, eles acham que podem gastar à vontade, que depois de cinco anos não precisam mais pagar. Essa é a mentalidade que está se incorporando na população brasileira, a permissão para roubar.
    Assim funciona para a violência, é preciso ter cuidado com a idolatria aos delinquentes e assassinos.

  20. O meu marido e eu já tentamos explicar aos pobres coitados atolados em dívidas que a proposta do presidente dos marajás se refere somente aos tributos federais, mas eles têm confiança cega nas palavras de seu guia iluminado. Coitados!
    Gostaria de algum comentário, nessa época de falências e demissões, sobre a criação de mais de cem cargos no exterior (adidos) com salário de quase quarenta mil reais.
    E nós, demitidos e endividados, pagamos a conta.

  21. Enguaguassu

    Caro Cristiano,então se o elemento vai a escola não se envolve em tumultos? E se o quebra-quebra for na escola como estamos cansados de ver?
    Falta crença em Deus? Se fizermos uma pesquisa a maioria dos envolvidos acreditam em Deus nos santos em anjos, duendes e até em gnomos.
    Falta cultura?Porque a Sabesp não traz a OSESP para tocar toda semana na praia?
    Poderiamos acabar com os cargos de adidos, diplomatas e outras sinecuras.Poderiamos impedir o povo de votar errado.

  22. Enguaguassu

    Caro Cristiano,não sei se a Orquestra Sinfônica tocando toda semana na praia vai acabar com os tumultos mas eu agradesseria muito, adoro música.

  23. Penelope Pitstop

    O problema da educação no brasil é que os professores são uma raça de desclassificados. Tenho muitos conhecidos que dão aulas no estado e/ou municipio. So fazem isso porque não conseguiram se colocar no mercado de trabalho.
    A reforma na educação tem que começar pelos professores.
    Sugiro que fechem as escolas por um ano, já que é um lixo mesmo, e os pais que se virem com os filhos em casa.
    Ai faz-se um novo concurso de alto nivel para admissão, almenta o salários dos professores, reforma-se todas as escolas, e instaura-se pena de morte pra quem depredar o patrimônio público.
    O pais vira primeiro mundo em 10 anos.

  24. Enguaguassu

    Heil Hitler!Depois do expurgo dos professores seria impantado o Reich de 1000 anos tupiniquim.

  25. CARA PENELOPE , NÃO É JUSTO AFIRMAR NEM GENERALIZAR QUE TODOS OS MESTRES SÃO DESCLASSIFICADOS, MUITOS BATALHAM PARA UMA ESCOLA DIGNA PARA AS CRIANÇAS……..NAS ESCOLAS PARTICULARES MUITAS VEZES OCORREM SITUAÇÕES PIORES OU IGUAIS AS PÚBLICAS, MAS SE ESCONDEM PARA O BEM DO NOME DA ESCOLA………..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *