Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Educação é tudo !

Dois artigos pontuaram neste final de semana a atenção que a educação brasileira precisa ter como política pública essencial, prioritária dos governos em todos os níveis. Refiro-me ao texto da secretária municipal de educação do Rio de Janeiro, Cláudia Costin, intitulado “Educando filhos para um mundo melhor”, no Jornal do Brasil, e à análise do ministro da área, Fernando Haddad, com “Educação e Constituição”, na seção de Tendências e Debates da Folha de São Paulo, que discorre sobre o aumento de recursos e de brasileiros que merecem a preocupação do governo, sem uma linha sobre a melhoria da qualidade do ensino. As letras mortas na Constituição de 1988 foram reavivadas por FHC e descontinuadas por Lula, que agora insere mais obrigações sem que tenha realizado o dever de casa.

As duas vertentes refletidas nas opiniões dos dois importantes dirigentes educacionais do país não são antagônicas, mas precisam de uma fusão de esforços para que as mudanças consideradas por eles no setor sejam percebidas e reflitam na condição do aprendizado das gerações do presente e do futuro. Cláudia Costin estrutura a sua reflexão no reforço escolar e nas condições oferecidas ao corpo de professores, para melhorar os níveis de ensino e ter uma população mais preparada para os desafios reservados a um país em desenvolvimento.

O ministro Fernando Haddad insiste nas diferenças entre o projeto de reformas educacionais iniciado pelo governo FHC e as alterações institucionais do governo Lula. Chega a enaltecer a obviedade de que as suas mudanças tiveram o aval da base de sustentação do governo no Congresso, mas não faz qualquer referência à posição do seu partido, o PT, que votou contra a criação do FUNDEF e do sistema de avaliação do ensino superior, apenas porque fazia oposição sistemática ao governo FHC.

Nada mais retrógrado, neste momento, que se ufanar de comparações inócuas, do sistema educacional, enfatizando investimentos e novos recursos projetados, quando o país precisa de políticas públicas mais eficientes para melhorar a qualidade da educação. Esse deve ser o mantra de todo homem público, inclusive para inserir, se não tiver outro jeito, um dispositivo constitucional que proíba a descontinuidade de políticas públicas bem sucedidas nas áreas da educação e da saúde, por exemplo, pela melhoria da qualidade dos serviços oferecidos aos cidadãos.

O maior desafio, decorrente das mudanças estruturais e progressistas do governo FHC, foi o de matricular 97% das crianças de 7 a 14 anos de idade nas escolas. Lula turbinou essa perspectiva para acrescentar as crianças em idade de creche e os adolescentes do ensino médio, no FUNDEB, que substituiu o FUNDEF. Com isso elevou o patamar do desafio para o aprendizado e inclusão de mais brasileiros nas escolas, mas falhou como a própria Cláudia Costin define, no aperfeiçoamento as condicionalidades de programas compensatórios de renda como o Bolsa Família, para sensibilizar os pais pela presença maior na vida dos seus filhos em idade escolar.

Uma Nação sem educação de qualidade sela um destino triste para o seu povo. O legado para mudar esse parâmetro ficará mesmo para o próximo governo.

Compartilhe

8 comentários em “Educação é tudo !”

  1. Impotrante sua apresentação dos dois pontos de vista, mas o gov Fernando henrique n foi muito bom p/ a Educação, o de Lula, foi um poucomelhor. São muitas as questões pór trás desse meu comentário.

  2. Luiz Carlos Paes Vieira

    Ainda que ambos os textos – de Costin e Haddad, tratem de EDUCAÇÃO, eles debruçam por janelas diferentes sobre a mesma paisagem. O horizonte é de uma nova autora. Os governos FHC e Lula/PT tem suas histórias… ambos possuem méritos e lacunas. sem dúvida que o governo Lula/PT conseguiu um maior reconhecimento de camada mais ampla da sociedade. Marketing? Talvez, mas é inegável a competência deles!!!

  3. Exmo. Sr.
    Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

    Audiência Publica realizada na Câmara Municipal de Santos, no dia 24 de agosto de 2009, as 10:00 horas para debater o Orçamento Estadual pra o ano de 2010.

    Educação é Prioridade.

    Por muitos anos em Santos e Região, havia grande oferta de empregos, não havia tanta exigência de estudo e qualificação, no entanto a escola publica era de boa qualidade.

    Os filhos dos trabalhadores se quisessem, davam continuidade ao trabalho dos pais formado famílias de: Petroleiros, Metalúrgicos, Portuários, Estivadores… Hoje as condições são outras, os trabalhadores não tem certeza da garantia do emprego e os seus filhos tem dificuldades de entrar no mercado de trabalho.

    É importante que se crie cursos profissionalizantes e técnicos, juntamente com o ensino fundamental e médio, cuja qualidade precisa melhorar, para atender os jovens da Zona Noroeste de Santos, morros e outras periferias da região, para que estes possam ter mais oportunidades e competir em condições de igualdade no mercado de trabalho.

    Oferecer alternativas para os jovens descobrirem suas vocações e talentos, incentivar e dar condições para praticas esportivas e culturais, ou seja, ensinar a fazer e criar oportunidades deveria ser prioridade.

    Escola Estadual, Padre Bartolomeu de Gusmão, Bairro do Saboó, Santos.

    Para esta solicitamos:

    Cursos técnicos e profissionalizantes.

    Projeto na estrutura física da escola que atenda demandas e amplie oportunidades.

    Profissionais especializados que atenda alunos com dificuldades. Ex. disciplina, relacionamento, aprendizado, saúde e outras

    Ginásio com toda infra-estrutura, que ofereça espaço para atividades culturais, esportivas, sociais, educativas.

    Considerar anexos:

    http://blig.ig.com.br/joaoinocencio/

  4. florcemabacellar

    O governo F.H., iniciou, a bolsa família, para que os pais vissem a necessidade de colocar seu filho na escola, o governo Mário Covas, iniciou outra batalha para melhorar o ensino no estado ,hoje o governo Serra insere material, de Primeiríssima qualidade, para elevar o conhecimento de nossas crianças. Mas, e os pais valorizam todo este trabalho?. Incentivam os alunos a cuidar e valorizar todo este esforço? Não. infelizmente a iniciativa da família , perante o conceito de estudar é primordial, principalmennte quando o aluno tem um respaldo do governo.
    Precisamos pensar na família, neste desgaste que n atinge somente a casamentos disfeitos, mas a integração entre pais e filhos

  5. Uriel Villas Boas

    A educação em nosso país deixa muito a desejar. Em todos os níveis, o que é uma situação lamentável. Em vários paises do mundo o investimento nessa área é dos mais importantes, visando preparar o cidadão desde a infância. E a repercussão é a mais positiva. Alguns exemplos podem ser citados, apenas de paises emrgentes, como no caso da Coreia do Sul, China e India. Os reflexos já se fazem notar, pois se trata de uma situação com resultados em um prazo não muito pequeno. No Brasil, infelizmente, temos uma situação onde o professor finge que ensina, o aluno finge que estuda e a familia fica livre dos filhos durante algum tempo. Isto precisa mudar. Pena que um Estado como S.Paulo não sirva de exempolo no campo educancional, como o demonstram os resultados alcançados na escola pública.

  6. A educação pede sintonia no conjunto das coisas agrupado, de todos os interessados Não adianta matricular 100% das crianças nas escolas com deficiência no conjunto das coisas, para acontecer o que sempre acontece nada, nada de aprender como devia pelos professores que vivem em dificuldade pedindo aumento, para isso tudo tem que estar 100% Faltam demais estão certos não precisam apresentar resultado, pelo salário que recebem, também não podem ser cobrados As escolas que estão para ensinar não têm o material didático com conteúdo que corresponda a realidade. Poe gente para trabalhar, que nem aprenderam o que deviam ensinar no lugar dos que deviam saber E ficar culpando comparando ate quando isso vai ficar enrolando, se cortar aumento dos salários dos professores aposentados que é a base de aprender de sustentar Melhor seria dar aumento que corresponda à realidade amarada no resultado, não cumprindo o combinado ficam desligadas automaticamente em 24 horas, depois de x ocorrências de faltas etc. isso para quem ensina na escola, para quem da segurança

  7. Caro Raul.

    Bem ponderadas as observações das pessoas que acrescentaram ao seu texto.

    Aqui, na nossa região, convivemos com a melhor formação de professores em todo o território nacional. Aqui existe tradição no ensino de pedagogia, na formação de professores.

    Mas nem por isso temos qualidade de ensino. Haja vista a formação no ensino médio, no ensino superior, onde professores optam por suprimir conteúdos. Posso dar nomes, endereços e telefones das escolas. Posso dizer onde os conteúdos necessários são omitidos. Quais disciplinas, dias da semana em que são ministradas.

    Os alunos não acompanham o desenvolvimento das aulas.

    Mas de que adianta escrever isso aqui. Ou você escrever. Ou odos os colaboradores que acrescentam ao seu texto?

    Se estamos aqui, no melhor do país, na “creme de la creme” da educação, onde estará a “merde de la merde” da educação?

    Simples, basta ver a falta de cidadania. A falta de inclusão. A falta de alfabetização plena para universitários. Não é necessário ir longe. É só dar uma volta na nossa Ilha. Sair de casa. Entrar no primeiro ano de todas as faculdades.

    Existe excelência? Existe. Mas é tão rara…

  8. Lula-lá em 2010!

    NADA CONTRA EDUCAÇÃO OU TER SEU DIPLOMA, “SEU(S) CANUDO(S)”, AGORA… ESTUDOS(TEORIA) É UMA COISA, CAPACIDADE P/ ATUAR, É OUTROS QUINHENTOS…, QUANTOS ANTECESSORES COM CANUDOS, POSTO, CRIADOS EM BERÇO DE OURO, GRADUAÇÕES… NÃO TEVE A MESMA CAPACIDADE AO DO GLORIOSO LULA, TIDO PELA CONCORRENCIA DE PLANTÃO COMO “ANALFABETO”, IMAGINE SE ELE TIVESSE A MESMA OPORTUNIDADE(FACULDADES) QUE OS ANTECESSORES TIVERAM, O “KARA”… NÃO É FRACO NÃO HEIM PESSOAL…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *