Plataforma técnica para o emprego !

O déficit de trabalhadores brasileiros qualificados para os novos postos de trabalho criados pela Petrobrás é enorme. Recentemente assisti a uma palestra sobre as necessidades de técnicos para atender as demandas da exploração do petróleo e gás no pré-sal e o número global infelizmente não me surpreendeu: dos 243 mil trabalhadores que precisa, a Petrobrás conseguiu selecionar 43 mil até agora, porque o país ainda ressente de políticas públicas continuadas e eficientes para a formação de mão de obra para o emprego. Nos últimos dias, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou pesquisa promovida entre os seus associados, que indica o problema da falta de trabalhador qualificado como um dos entraves no setor da construção, que iniciou 2010 bastante otimista em relação ao aumento da atividade econômica nos próximos seis meses.

A tarefa de superar o desafio da qualificação profissional precisa ser melhor compartilhada por todas as esferas de governo, caso contrário amargaremos o atraso com a submissão dos serviços que exigem elevada especialização a trabalhadores temporários e baratos do Brasil, ou a estrangeiros que recebem salários superiores em funções semelhantes. Esse dilema trará prejuízos ao invés de impulsionar os dividendos dos produtos explorados pela Petrobrás. Por isso não tenho dúvida que o responsável por essa carência de vagas em escolas técnicas é o atual governo federal, mesmo com a antecedência e da clareza com que a Petrobrás explicitou as vagas e especificações de cada uma das vagas disponibilizadas ao mercado de trabalho.

Preocupado em desmanchar as iniciativas bem sucedidas do governo passado, de Fernando Henrique Cardoso, hoje, a única ação relevante é o Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural) criado em 2003, que identificou a demanda de mais de 285 mil trabalhadores nos empreendimentos previstos para o setor (construção de refinarias, plataformas, navios e dutos), serviços e produção, nos níveis básico, médio, técnico e superior. Porém os programas de escolas profissionalizantes não estão restritos as necessidades exclusivas da Petrobrás, embora estes prevejam os cursos mais procurados em função da tradição e da potencialidade dessa empresa.

Educação para o trabalho é a melhor estratégia para combater o desemprego. O risco de ter gente despreparada e barata em determinadas funções laborais representa um freio na competitividade do país e uma elevação de investimentos em manutenção, ao invés de aumentar a capaciade de produção em qualquer área da indústria nacional. Acho nefasta para o país qualquer atitude de interrupção de políticas públicas bem sucedidas, como aconteceu com o Proep (Programa de Expansão da Educação Profissional) criado por FHC com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que o governo Lula extinguiu logo nos primeiros meses de 2003. Essa atitude resultou no pagamento pela permanência dos recursos disponibilizados pelo BID que, em 2004, recebeu de volta cerca de US$ 94 milhões não utilizados.

É inacreditável, mas o Brasil não podia dar-se ao luxo de desperdiçar a oportunidade da criação de novas escolas técnicas estaduais e comunitárias, ou de ver canalizados investimentos importantes para modernizar as escolas técnicas federais existentes com equipamentos e laboratórios. Agora, quando o Ministério da Educação (MEC) apregoa que nunca antes na história deste país houve tanto investimento na formação de trabalhadores para atender as inovações e perspectivas de novos empregos, observa-se que em seis anos de governo Lula a sua política para o ensino profissionalizante não chegou a um quinto do crescimento das matrículas nas escolas federais, quando se compara apenas em relação aos dois últimos anos do governo FHC, que cresceu 41%.

Indicadores do MEC, em 2003, apontavam uma quantidade de alunos matriculados nas escolas técnicas federais levemente superiores a da rede de escolas técnicas de São Paulo: 79 mil no Brasil inteiro e 78 mil nas escolas técnicas estaduais paulistas. Seis anos mais tarde, São Paulo registrou 123 mil alunos, em comparação aos 87 mil nas escolas federais, que teve uma expansão de matrículas da ordem de apenas 9%, quando o ensino sob a direção dos governos do PSDB – Geraldo Alckmin e José Serra – registrou crescimento de 58%.

A perdurar essa falta de eficiência na gestão de políticas pra ampliar o número de vagas nas escolas de formação de mão de obra, as plataformas do pré-sal continuarão poliglotas, enquanto haverá trabalhadores brasileiros relegados a uma segunda linha, com salários bem inferiores em funções semelhantes; sem cogitar as ações e empreendimentos na área de infra-estrutura que descumprirão cronogramas e o sucateamento da indústria nacional dada a ausência de gente preparada.

Chegou a hora de elevar o pensamento nas prioridades e urgências do Brasil, com visão de futuro e perspectivas mais concretas de resultados. A hora é de comprometimento dos centros de decisão para tornar possíveis as chances de uma participação maior do povo brasileiro no usufruto da prosperidade anunciada.

Compartilhe
10 já comentaram! Comente ou link essa página
  1. Raul,
    Tenho alguma base para falar sobre o assunto: Sou aluno de Ensino Médio e do curso Técnico em Administração na ETEC São Paulo, uma das melhores conceituadas no ranking do ENEM entre públicas e particulares. Mas, vamos lá: Só na primeira semana de aula, pelo menos quatro professores citaram a falta de profissionais técnicos no mercado. Aí está um dos assuntos em que o PSDB é conceituado e deve discutir com toda a força em 2010.
    Forte Abraço,
    Gabriel.

  2. Deixo meus parabens pelo blog;Esta de primeira qualidade.

    Venha forte para a campanha RAUL!Boa sorte.

    PL.

  3. machado comentou:

    Raul,
    A falta de investimentos na educação, como também a carência de cursos técnicos profissionalizantes, é de responsabilidade dos nossos governantes e das emprêsas do porte da Petrobrás, que teriam que investir na formação de pessoal especializados para exercerem funções dentro das mesmas, e abrindo mão dos valores da taxa para que as pessoas participem de concursos, que muitas das vezes ficam parecendo que só abriram inscrições para agaranhar fundos, principalmente em ano eleitoral, ficando a impressão no ar, que esse montante de concursos públicos nessa época serve para o que já foi dito em relação a para que serve a arrecadação, e depois poucos classifica
    dos são aproveitados.
    O Brasil só será considerado um país sério e deixar de ser um país do futuro, qdo. todos passarem pelos mesmos bancos escolares, sem restrição a côr, religião ou classe social, e principalmente qdo. os filhos e os políticos de elite passarem pelos mesmos crivos, qdo. tentarem uma vaga a um emprêgo, no atendimento médico, e etc. Enquanto isso não ocorrer, o pobre carrega o piano e os abastardos, muitos deles corruptos, simplesmente se atem a assistir a peça.

  4. Ernesto Donizete da Silva comentou:

    O déficit no número de professores em todo o Brasil é enorme. E o motivo é simples, deixaram a carreira se tornar desinteressante. Não há mais o reconhecimento ao profissional do ensino, não há salários justos, não há respaldo do chamado “alto escalão”, não há o preparo devido, não há incentivos a constante atualização necessária, não há autonomia para o exercício profissional, etc.

    Assim, é cada vez menor o número de pessoas que se interessam pelos cursos de licenciatura. Não há um interesse legítimo em se enfrentar e resolver de fato a questão educacional em nosso país. Os “donos do poder”, não querem uma massa pensante, com autonomia, com senso crítico, capaz de se posicionar no cotidiano, capaz de reconhecer suas obrigações e também reivindicar seus direitos.

    Os “donos do poder” querem mais é uma grande massa capacitada apenas para desenvolver a atividade laborativa que mais interesse em um dado momento histórico-econômico. Enquanto uns trabalham e lutam por uma vida digna e justa, por acreditarem no adágio: “o trabalho engrandece o homem”, outros poucos enchem os bolsos, sugam o empregado ao máximo e como se faz como uma laranja, após aproveitar o sumo, jogam fora o bagaço.

    A solução passa inexoravelmente pelo pilar basilar denominado: EDUCAÇÃO!

    Somente quando isto ocorrer, este país que “dorme em berço esplendido” acordará e será verdadeiramente uma nação democrática.

    Acorda Povo Brasileiro!!!

    Ernesto Donizete da Silva
    PSDB/SANTOS

  5. HABILITAÇÃO NÁUTICA AMADOR ARRAIS – MESTRE E CAPITÃO

    CONDUZIR EMBARCAÇÕES: LANCHAS – JETS – BARCOS PESCA AMADORA – VELEIROS MOTORIZADOS – …

    CURSOS PREPARATÓRIOS APOSTILADOS PARA CONDUZIR EMBARCAÇÕES E PREPARAR PARA REALIZAR A PROVA PELA MARINHA MINISTRADO POR UM OFICIAL DA MARINHA, TUDO REALIZADO EM SANTOS PARA TODO LITORAL E ESTADO SP.

    REGULARIZAMOS DOCUMENTAÇÕES DE EMBARCAÇÕES EM GERAL – TERRENOS DE MARINHA…

    ATENÇÃO… “NÃO COMPRE” HABILITAÇÃO PORQUE ALÉM DE SER CRIME TAMBÉM COLOCA VIDAS EM PERIGO!!!

    Representante: MÁRIO SÉRGIO!
    pilotoarrais@hotmail.com
    13 – 9776.8861.

    OBRIGADO PELO ESPAÇO RAUL!

  6. Betão comentou:

    Raul,o risco da profissão de politico esta se tornando alto.
    Prenderam o Arrudão, politico com uma longa folha de serviço: senador lider do governo FHC, renunciou para não ser cassado, retornou a cena politica na aliança Ruiz/ Demotucana que derrotou a esquerda no DF, eleito governador, unico do Demo, foi cotado para ser vice de chapa de Serra para as eleições de 2010. Pego com a mão na botija no escandalo do Demo/DF, foi em cana, sendo o primeiro governador preso no exercicio do mandato.
    Politico corrupto está se tornando uma profissão de alto risco.Abraço

  7. São pedaços de sugestões virando idéias na pratica

    Blog R K

    Talvez, o ano nem termine, de tantas festas eventos já entra outro ano.

    Como se não existisse 2010, de tão rápido que o ano vai passar com tudo despercebido.

    Estamos chegando se não foi uma piada tipo pegadinha, já tem bilionários se manifestando para melhorar a imagem da marca dos empreendimentos que tocam, vão ganhar mais energia dando visibilidade ao mercado

    Pode ser dos textos abaixo ou fora não faz diferença quem vai ser o financiador do projeto hora da leitura

    Se alguém chegar a patrocinar ou não, e outra coisa, mas isso pode servir de incentivo motivador positivo para cada interessado fazer seu projeto de obras social naquilo que escolher dando satisfação fazendo a diferença para todos interessado em melhorar de vida.

    Madona blog vivi

    Quem sabe a Madona possa se interessar em ter o Castelinho da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, como parte anexada a sua ONG que vai cuidar das crianças que precisam ser educadas na hora certa da vida para ter futuro.

    Nada melhorar que um BBB, ou uma FAZENDA.

    Ta na hora de entrar no ar na fazenda e no BBB, outras classes de gente uma misturancia, da vida real ira dar ibope.

    Políticos favelados mendigos autoridades professores policiais traficantes ladrões trombadinhas empresários especialistas etc.

    Resumindo colorar nestes lugares em disputas do jeito que acontece na vida real dos dois lados da moeda, mostrando que os outros somos-nos, e nos – somos os outros.

    E no lugar da casa do BBB e da FAZENDA uma escola publica das periferias do Brasil

    Eike

    Obras sociais valorizam a marca dos empreendimentos

    Quem sabe talvez Sr. Eike Batista possa se interessar em adquirir o Castelinho da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, SP para patrocinar ONG Hora da Leitura que vai cuidar das crianças que precisam ser educadas na hora certa da vida para ter futuro.

    Isso produzira mais energia para seus empreendimentos, satisfação pessoal fazendo a diferença para muitos pelas obras que faz consolidando a marca.

    Obras sociais valorizam a marca dos empreendimentos

    Quem sabe talvez Sr. AmBev possa se interessar em adquirir o Castelinho da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, SP para patrocinar ONG Hora da Leitura que vai cuidar das crianças que precisam ser educadas na hora certa da vida para ter futuro.

    Isso produzira mais energia para seus empreendimentos, satisfação pessoal fazendo a diferença para muitos pelas obras que faz consolidando a marca.

    Obras sociais valorizam a marca dos empreendimentos

    Quem sabe talvez Sr. Nicolas Berggruen possa se interessar em adquirir o Castelinho da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, SP para patrocinar ONG Hora da Leitura que vai cuidar das crianças que precisam ser educadas na hora certa da vida para ter futuro.

    Isso produzira mais energia para seus empreendimentos, satisfação pessoal fazendo a diferença para muitos pelas obras que faz consolidando a marca.

  8. Baseado no testo sugestivo do Blog

    Demônios de presente são os que desviam recursos públicos privados, que tiram recursos para formar todos nossos descendentes

    “Na busca da verdade” Titulo do Blog Paulo Coelho

    E o que todo mundo devia fazer, em vez de acreditar no inexistente, nos que levam a vida ganhando no bico, dos que ouve acredita em tudo como se fosse verdade.

    Sendo que os demônios de presente são os que desviam recursos públicos privados, deixando muita gente na miséria passando fome e morrendo de fome.

    Fazendo o que fazem multiplicando muitas coisas que tira da produção desviando da solução

    O inferno que todos falavam, e o céu que todos sonham esta entre nos, a internet e o inferno entre nos para os bandidos oficiais e privados, e céu para os que fazem tudo para vida dos outros ficarem melhor, assim como de quem faz.

    O roteiro do inferno céu e a internet entre nos vai estar na historia do Bruxo de Benjamim Constant, buscando a verdade como ela e fora da ficção.

    “Procurando a discórdia”

    A discórdia vem da ignorância educacional que não faz a cabeça como devia fazer positivamente

    Link Diz recurso sobrando a discórdia a concórdia

    http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/02/13/mais-brasileiros-comecam-o-ano-com-dinheiro-sobrando/comment-page-1/#comment-18016

    “A palavra”

    Palavra para valer de novo precisa unir a mentira com a verdade zerando tudo para começar de novo pelo clima da natureza que pede uma mudança na economia, para melhorar o nosso clima.

    Se não mudar a própria natureza se encarregara de mudar sem a nossa palavra

  9. Felício Castellani (São Paulo) comentou:

    CARO RAUL

    EXCELENTE SUA PROPAGANDA DA PETROBRAS!

    SERIA INTERESSANTE CONHECER COMO OS SINDICALISTAS, CUTISTAS, e PETISTAS, ESTAO SENDO NOMEADOS FISCAIS DA PETROBRAS NAS USINAS DELA, COMPLETAMENTE DESPREPARADOS e, o que FAZEM!

    FELÍCIO

  10. Mariangela Camba comentou:

    Raul

    Penso que o assunto é interessante, cativante e polêmico.
    Vejamos: Você trabalha com dados, números extremamente expressivos ao comparar a educação profissional oferecida em SP com a que hoje é oferecida no Brasil.
    Acredito que educação no Brasil é um filão que muitos querem, sem exceção principalmente aqueles que lucram com ela, sejam eles da esfera pública ou da iniciativa privada.
    Além disso, podemos colocar em discussão a cultura que permeia a mentalidade da sociedade, “só vai para cursos técnicos os que não podem freqüentar ou pagar o ensino superior”, a mesma mentalidade que permeava a escola das promessas desde sempre. Lembre-mo-nos que D. João VI quando chegou ao Brasil em 1808 o povo não tinha educação de base e ele construiu duas faculdades a de Medicina e a de Direito… Mas para quem?
    Nossos alunos hoje ao saírem do ensino superior continuam desempregados, portanto deveríamos pensar em mudar primeiro a mentalidade do povo conscientizando-os a mudarem sua percepção de ver o mundo e a educação a partir de um outro olhar o olhar de quem vê não o que quer, mas o que deve ser visto.
    Indo um pouco mais fundo, seria interessante que educadores comprometidos trabalhassem com a educação. Temos muita gente competente na educação que não é valorizada por não ter QI… Além disso, seria muito, mas muito importante deixar de lado as nomeações por QI e nomear pessoas da área para liderar e dirigir espaços de criação na área. Isto vale não só para a educação, vale para inclusive a própria Petrobrás. Vejam os políticos que colocam como assessores pessoas da educação em qualquer lugar, só porque é amigo… Assim não vale quando falamos de políticos de carreira porque estes também o são.

    Mariangela

Nome:

Email:

Site:  

Comentar: