Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Que vergonha!

Faço parte de uma geração que foi testemunha ocular da história na travessia da ditadura golpista de 1964 para a redemocratização do nosso país. Nesse período participei de muitos momentos como figurante em atos públicos que reunia Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Franco Montoro, Teotônio Vilela, Mário Covas, Leonel Brizola, José Richa, Dante de Oliveira, Severo Gomes, Magalhães Teixeira… Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Lula da Silva, Eduardo Suplicy, Almino Affonso, Pimenta da Veiga…

Aprendi, ouvindo Mário Covas, que é possível ter orgulho de fazer política, ser político, dedicar-se à política e à causa pública. Dessa maneira tenho me comportado e até me vangloriado, sem querer a propriedade da ética e da moral como fizeram uma parte considerável de petistas, de ser um político ético e coerente com as minhas convicções ideológicas e históricas.

Valorizo o papel do Poder Legislativo – Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas e Congresso Nacional. Disputei eleições para buscar um mandato nessas casas e conquistei milhares de votos, porém insuficientes para me eleger e tentar ao lado de tantos outros convictos mudar os destinos do país, no que depender dos seus parlamentos.

Mas há uma sucessão de desvios de condutas políticas, na história recente do Brasil, que alimenta o desprezo da sociedade pelos que a representam nessas instâncias. Para reavivar a memória, como estão presentes hoje os escândalos dos anões do orçamento, do mensalão do governo Lula e da quebra do decoro pelo senador Renan Calheiros.

Impunidade. Perdão político com a recondução para os mandatos através de campanhas milionárias. Transparência democrática substituída por sessões secretas e votos na penumbra. Abstenção de quem se espera posição, decisão.

46 votos ampliam o fosso para resgatar o respeito à boa política. Que mal exemplo esse para os nossos filhos, nossa juventude e para uma sociedade que não consegue mais imaginar o futuro, ter esperança.

Quero que você saiba, que nunca antes na história deste país, como ontem, tive tanta vergonha de algumas dezenas de nossos políticos brasileiros.

Compartilhe

8 comentários em “Que vergonha!”

  1. Ricardo Muza

    Raul,

    Concordo com você. Também acompanhei de perto boa parte do processo de redemocratização do Brasil. E sinto muita vergonha da maioria dos políticos atuais.
    Mas, também penso que entre aqueles que ainda podemos confiar, falta uma ação mais afirmativa nesse momento.
    Especificamente, ir onde o povo está e explicar com toda a clareza o que está acontecendo.
    Caso contrário, dentro de não muito tempo poderemos assistir ao processo inverso: o da “desdemocratização”, já que não será possível aguentar tanto desmando por tanto tempo.
    Abraço,
    Ricardo

  2. “Ulysses Guimarães, Tancredo Neves, Franco Montoro, Teotônio Vilela, Mário Covas, Leonel Brizola, José Richa, Dante de Oliveira, Severo Gomes, Magalhães Teixeira… Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Lula da Silva, Eduardo Suplicy, Almino Affonso, Pimenta da Veiga…”

    Estranho é pensar que sempre que se fala em poder político nesta merda de país, as elites sempre são as mesmas. Deve ser por isso que nada de substancial muda.

    “Eeeeuuu, sou brasileeeiro.
    Com muita vergoooonha,
    Com muita raaaiva!!”

  3. Roberto Francelino da Silva

    Raul, se não conhecesse alguns políticos, pensaria que todos são iguais.
    O que vem ocorrendo em nosso país não merece comentários..

  4. fafi pontes

    vim da safra de esmeraldo tarquínio trazendo meu pai das reuniões do santos, tarde da noite.
    ulysses e montoro passando fim-de-semana no nosso sítio do guarujá.
    fui criada entre pessoas íntegras, que fizeram e sempre farão parte da vida santista,paulista e brasileira.
    é uma vergonha dizer que passei lista para que o pt virasse partido, embora nunca tenha me filiado a ele.
    sempre fui da opinião que todos tem direito à voz. então que se fizesse um partido e agora quem está de orgulho nacional partido é o povo brasileiro.
    sinto orgulho de ser sntista,paulista e brasileira.sinceramente espero que as coisas um dia mudem e façam valer as passeatas, os protestos e todo um movimento que gerações fizeram, para que o Brasil fosse um país digno.

  5. “No dia sete de abril de 1998,o senador Renan Calheiros toma posse no cargo de Ministro de Estado da justiça sendo o ministro mais jovem da história da pasta.”(Saite do Senador Renan Calheiros)
    Raul, o homem foi ministro do governo FHC onde houve avanços na área institucional.
    O Renan mudou? Não é o mesmo que articulou o lançamento do Collor?
    Raul vc é um politico serio e inteligente,vc faz falta na luta por uma reforma profunda das instituições politicas.
    Abraços,Betão

  6. É o nosso sistema político. O Presidente Fernando H. Cardoso não criou Renan ou Jobim. E Lula não pôde e não pode evitá-los. Ou se convive com as diversas forças políticas ou nada se faz. O inconcebível foi o PT negar apoio ao governo do PSDB. Total demonstração de falta de patriotismo.

  7. Complementando o meu raciocínio – embora possa estar completamente enganado – o PT, pela sua anterior oposição sistemática, abriu espaço e fortaleceu as forças que agora tem obrigação de abrigar e defender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *