Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

Peão, Educação, Cidadão …

No passado a educação não fazia parte dos estudos econômicos por possuir uma influência indireta. Atualmente, com o conhecimento sendo considerado o mais importante fator de produção, a educação adquire um novo papel no desenvolvimento econômico, porque corrige desequilíbrios no funcionamento das economias de mercado, com a formação de recursos humanos em sintonia com as suas necessidades e inovações tecnológicas.

Quem ignora isso hoje parece que finge ou é mesmo descomprometido com as gerações presentes e futuras. Pelo nível de educação, percebemos cada vez mais o caráter estratégico na criação de vantagens competitivas, vinculadas à qualidade das políticas de saúde, higiene, educação e capacitação, bem como dos equipamentos básicos de infraestrutura. Governantes atrasados ou mal intencionados priorizam outras coisas, quando não acham que a educação está bem encaminhada por causa dos volumes de investimentos constitucionais; mas são devedores da sociedade, que não quer ver os seus filhos gerados e criados para servir de peões e nada mais.

O impacto da expansão educacional nos dá a medida das dimensões relativas à igualdade e ao crescimento econômico. Estudos e pesquisas indicam essa direção para considerar a consolidação e garantia da cidadania, pela educação, como travessia para se obter transformações profundas sobre o crescimento populacional, o ambiente familiar e a participação política. Não podemos continuar vítimas de um modelo de exclusão e nem cabe imaginar que regimes políticos passados causaram tantos prejuízos.

A história revela que a Baixada Santista foi punida pela ditadura militar, impedindo a criação e instalação de campus de Universidades Públicas nos seus municípios, porque a região sempre viveu ambiente político de mobilização intensa, com o movimento dos trabalhadores do Porto de Santos e, no início dos anos 50, com a industrialização de Cubatão. Essa condição nunca foi valorizada pelos historiadores, que optaram pela descrição do espírito guerreiro de uma população composta por homens e mulheres que sempre viveram em trincheiras de lutas para defender os seus direitos, a liberdade e a democracia como o melhor de todos os regimes.

O reconhecimento de Santos como Moscou Brasileira e Cidade Vermelha, por exemplo, serviu para que o município sede da Baixada tivesse a sua garra respeitada e produzisse líderes políticos para o cenário nacional, como o governador Mário Covas, que neste mês faz 10 anos que não vive mais entre nós. Porém a região vive atualmente sob expectativa de uma explosão de prosperidade, com as descobertas de petróleo e gás pela Petrobrás, e poderia ter se preparado com antecedência através de pesquisas científicas avançadas e o planejamento urbano sustentável.

No meio desses acontecimentos, a Prefeitura de Cubatão, atualmente dirigida pelo PT, trata com frouxidão o tema instalação de um campus avançado da Escola Politécnica de Engenharia da USP no município. Eles não conseguem ver as vantagens para os filhos da cidade e para todos quantos dela acorrerem, com a presença de educadores inteligentes no seu território, na sua economia. Educação não pode ficar restrita apenas aos discursos políticos-eleitorais. Há o quê fazer, sociedade. Mãos à obra!

Compartilhe

10 comentários em “Peão, Educação, Cidadão …”

  1. Rivaldo Fillol

    Tenho acompanhado sua luta pela educacao e parece loucura, temos de lutar para abrir um polo de cultura? Algo q ja esta encaminhado? Isso sim e lesar a patria e um crime!

  2. Cristina Alegre

    Importante ter voce nesta empreitada.. nao desista nunca. Num Pais com a mentalidade da lei de Gerson e’ dificil chamar a responsabilidade dos governantes para uma demonstracao de civilidade mesmo, e ate’ de amor ao proximo.

  3. Prof Christian Sznick

    Prefeitura de Cubatão não percebe o erro de estratégia . Poderia abrigar a Cidade Universitária da Baixada Santista

  4. Rodryell Pivato

    valeu amigo…eu li o texto!!! Ficou mto bom…meus parabéns

  5. Maria Concheta Martins

    Priorizar a educação para que a sociedade não precise construir mais presidios e sim mais casas para a população que clama por uma oportunidade…
    Gostei da materia

  6. Antonio Cesar Simão

    Parabéns pelo artigo professor, acho muito importante, principalmente resgatar a história e comparar com a situação politica atual, para entendermos um pouco o que aconteceu com a “baixada vermelha”, não na cor da bandeira de pano mais nas bandeiras idológicas que se hastavam, como um farol para o Brasil..

  7. Sergio Fabiano

    Legal Raul! Santos foi a cidade vermelha, importante no cenário político do Brasil, de resistência e idéias importantes produzindo importantes líderes políticos como vc que batalha por uma cidade legal!Parabéns!

  8. O maior problema do povo Brasileiro é a exclusão social e a melhor forma, ou talvez a única, de mudar esse quadro, é através é uma educação inclusiva com qualidade, fortalecendo o ensino publico fundamental e médio.

    Investir na Universidade, e mantendo o ensino publico fundamental e médio de péssima qualidade, como é atualmente, não é condizente com uma politica de educação inclusiva e de desenvolvimento social.

  9. Vocês precisam de motivação?
    Indiquem FHC para o Prêmio Nobel.
    Se tivéssemos uma divulgação honesta sobre os índices da economia, nossa população saberia que quem saiu do zero ou de situações negativas, como as perdas do salário mínimo, e fez esses índices dispararem, junto à estabilização da economia, controle da inflação e os programas sociais foi o presidente Fernando Henrique.
    Não precisa dar nome pra não irritar seu antecessor, mas o sucesso do Plano Real só se concretizou com o PSDB no poder.
    Se fosse o outro, na época, teria acabado com tudo, simplesmente porque sempre foi contra.
    Conquistar uns pontinhos a mais num processo que já estava em andamento não serve como comparação.
    http://sabervencer.blogspot.com/2010/10/historico-do-salario-minimo-no-brasil.html

    Eu já conversei com muita gente que concorda comigo e que assinaria essa solicitação de olhos fechados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *