Hora da verdade !

O Brasil que estava errado ou o Brasil que está dando certo? Essa é a questão que a propaganda política do PT acentua em todos os seus comerciais e na fala do próprio presidente Lula. Um falso dilema, justamente porque o país dá certo hoje porque o país teve governos que fizeram o certo antes, com a estabilização da economia e a criação de uma grande rede de proteção social, desde Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso.
A propaganda enganosa é um acinte à inteligência da sociedade brasileira. Como no marketing da ditadura nazista de Adolf Hitler, a insistência na mesma informação mentirosa transpassa a dúvida e a transforma em verdade. Isso é muito perigoso e acredito que ainda há tempo na reta final da atual campanha eleitoral, de uma reação ética nos valores das pessoas.
A propaganda do PT reafirma resultados que somente foram possíveis graças à criação e implantação do Plano Real em 1993 e 1994, que derrotou a inflação. Muitos analistas sociais e políticos nunca esconderam opinião, ao longo da história, que a memória do povo é vulnerável aos seus referenciais históricos. Com certeza a qualidade da educação corrobora para essa dificuldade. Por isso não tenho receio de afirmar que o eleitorado, que sobrevive num país sem a presença da inflação há 17 anos, que consumia os seus salários e rendas, esqueceu o autor desse feito econômico.
Pesquisa divulgada faz dois anos, pela cientista social Lourdes Sola, indicava que mais de 70% dos brasileiros ouvidos atribuía a Lula a responsabilidade pela criação e implantação do Plano Real. Na realidade, ele foi quem se apropriou de uma conquista, embalado com os ventos favoráveis da economia mundial, ampliando a dimensão dos programas de transferência de renda e compensação financeira às famílias pobres, com a massificação da sua propaganda oficial e política.
Foi tímida a reação das oposições, apesar da posse da certidão de paternidade da estabilização econômica e iniciativa da construção dos alicerces da Bolsa Família, com as bolsas Escola, Alimentação e Gás. E, no terreno político, as oposições relutaram na ocasião do mensalão no Congresso Nacional, que derrubou a formação do gabinete ao redor da sala de Lula, argumentando que o governo precisava ser preservado como instituição de credibilidade para todos.
De lá para cá, nada mais me surpreende. Lula foi reeleito em 2006 e, com ele, vários parlamentares mensaleiros foram reeleitos. A autosuficiência da Petrobrás, cantada em prosa e verso, projetou o petismo como seu garantidor; o simbólico pagamento da dívida com o FMI, que faz o atual governo federal deixar de pagar 4% de juros e pagar 13% de juros com o aumento da dívida interna, insurge como papel soberano do lulopetismo na propaganda. E o PT ainda ousa dizer que os seus adversários privatizarão o pré-Sal e a Petrobrás.
O Brasil do ufanismo e da mentira, dos tempos da ditadura militar e da era lulopetista, causa prejuízos ao futuro. Este é, a meu ver, o único e composto dilema a ser combatido e vencido. Dia 31 de outubro decidiremos qual o valor atribuímos à verdade e à responsabilidade com os rumos deste país.

Compartilhe
30 já comentaram! Comente ou link essa página
  1. Fábio Lopez comentou:

    Excelente análise Raul.
    Sou contra o Brasil da mentira e da era lulopetista, por isso voto Serra 45 Presidente do Brasil!
    Forte abraço.

  2. Lis comentou:

    Excelente Raul!
    Que falta nos faz uma TV e um microfone!
    Alvaro Dias teve oportunidade de desbancar a paternidade que o PT roubou. Mas nunca é suficiente! Interrrompem, os jornalistas não estão preparados….
    Os bons jornalistas de antigamente não se preocupavam com Ibope. Bastava que um deles entrasse no Site do PT e saberia que Cardozo mentiu do começo ao fim!
    Fazer o quê?
    Temos que cuidar da educação dos pais primeiro.Depois das nossas crianças. Senão, não adianta!

  3. KArenina comentou:

    Então cabe ao PSDB falar do Plano Real, do Bolsa familia, e de td q ELES fizeram e q foi USURPADO pelo PT.

    Qto às mentiras diárias, na psicanálise isso se chama enantiodromia, e na filosofia, chama-se sofisma.

    Inverter a realidade é possivel –mas não é real. A razão apronta o que ela quer, todos advogam em causa própria, por isso existe a “razão pura” e a “razão prática”, diria Kant. Ou, como diria Foucault, o louco perde tudo, menos a razão!

  4. Eugenio comentou:

    Prezado Raul , recebo inumeros e-mails mostrando o passado terrorista do PT seja com Dilma , Zé Dirceu etc…por que a óposiçao nao usa isto na TV???? que rabo preso é este ??? Fico pensando se tudo que recebemos é verdade.

  5. Maria Luiza Pereira Solha comentou:

    Caro Raul, nunca tive dúvidas à repeito da relidade nacional, triste e vergonhosa. Não acredito que governos anteriores tenham acertado tanto assim, pois havia oposição em defesa do povo, e foi muita luta, você bem sabe. Agora, estamos diante de um quadro caótico, quem mente mais? Um que diz que tudo fez e sabe, e que vai fazer mais ainda, mas só não fala como vai produzir este “milagre”. Ou seja de onde vai tirar o “dinheiro”, será do PIB: Vai mecher com os banqueiros? Do outro lado temos uma mulher que pode ser a esperança de todas nós, por direitos iguais. Somos a maioria no país, e hoje temos a nítida certeza de que precisamos de uma “mulher” na presidência, para que possamos ter um outro olhar na governança deste nosso Brasil. Talvez se não estivesse ligada ao PT seria melhor. Marina foi nossa esperança, Dilma o que nos restou.

  6. Beto Carlos comentou:

    Peraí Raul, não dá para falar que o povo não tem memória ao atribuir o plano Real ao Lula e atribui-lo ao PSDB e ao FHC. O que é isso companheiro??? Primeiro, o presidente que implantou o plano real foi Itamar Franco, que era do PMDB, não do PSDB. Saiu do PL para se candidatar pelo PRN a vice de Collor. Com o escandalo Collor (com quem FHC só não se aliou graças a Covas) rompeu com o PRN e foi para o PMDB. Logo, parece que não é só povo que não tem memória, já que os tucanos vivem dizendo que fizeram o plano real.´O ministro da economia era FHC, mas cá para nós, ele entende alguma coisa de economia? É economista?? Tinha conhecimento técnico para elaborar algum plano econômico??? claro que não, não é mesmo?! Mas precisavam de alguém para receber os louros e se candidatar a presidente em seguida. O mesmo tentaram com o Serra, colocando-o no ministério da saúde, embora não entenda patavina de saúde, já que não é médico, enfermeiro ou farmaceutico. E já que estamos falando em falta de memória, que tal falar que foi o Jamil Hadad quem criou os genéricos no Brasil, e não o Serra; que foi Getúlio Vargas quem criou o seguro-desemprego, e não o Serra; que foi Jorge Uequed, deputado do PMDB que criou o FAT, tirando o seguro-desemprego do papel, e não o Serra.

  7. calabria comentou:

    Enquanto a oposição não tiver coragem de ´rasgar´ o verbo na TV, nosso trabalho na internet alcançará uma pequena parcela dos eleitores e não conseguiremos reverter o quadro. Que medo é esse ? Esse bando de ladrões, mentirosos, que roubaram dos brasileiros a verdade, a moral, ética e ainda estão querendo reescrever o passado, não merece ficar impune ! O Álvaro, ontem na band, poderia ter sido mais ´duro´ com o Cardozo… Esse negócio de ficar falando ´somos amigos´ e tudo o mais, não condiz com o momento do processo !!! Acorda oposição, estamos caminhando para um mandato de mais de 20 anos do PT, sem medo de roubar e iludir !!!

  8. Luana de Medeiros Botelho comentou:

    Prezado Raul, e car@s leitores,
    Realmente, faz falta um debate mais consistente e ponderado nessas eleições. Ainda não sei dizer se os termos da conversa melhoraram ou pioraram em relação ao p1o turno.
    De qualquer maneira, é uma bobagem atribuir somente a um lado ou somente a outro o ainda baixo nível do debate.
    Por exmplo: vim aqui ler seu blog, e devo dizer que acho leviano comparar Lula a Hitler. Por mais erros que haja, é absolutamente leviano, me desculpe, tomar dessa maneira algo da trágica profundidade que foi o genocídio empreendido por Hitler e seus cegos e autômatos seguidores. Não tem absolutamente nada a ver com o fato de esse governo ter tirado da pobreza milhões, e de ter alçado à classe média outras dezenas de milhões. Com erros e com toda a raiva que possam pesar sobre o PT, foi justo esse governo que evitou a morte de muitos brasileiros.
    Assim como eu enxergo que foi Serra quem promoveu mehorias na saúde deste país, que beneficiaram mtas pessoas.
    Ficou faltando aqui neste texto, assim como está faltando na campanha de Lula, uma melhor ponderação para reconhecer os ganhos e avanços empreendidos por opositores.
    Para utilizar como referência a psicanálise, utilizada por outra colega que aqui comentou, Raul, vc ao criticar Lula está justamente tomado pelo fenômeno da projeção – atribui ao outro algo que tem a ver com seu comportamento, e só qdo praticado por outra pessoa é capaz de enxergar.
    Eu, do meu lado, esto no exercício de não arrefecer o diálogo, a ponderação e a capacidade de me posicionar sem ignorar ou aniquilar “o opositor”: SENDO ASSIM, apesar de votar 13, tendo a concordar com o seguinte dito de Serra: numa democracia, os opositores não devem ser tratados como indimigos.
    Sinto muito, Raul, que vc tenha entrado nesse tipo de atitude, afinal comparar Lula com Hitler que o próprio Serra não consegue impedir sua campanha de entrar: tentar destruir o opositor, apenas desqualificando-o sem reconhecer-lhe os méritos.
    Vc quer repor um falso dilema, para combater o falso dilema. O mesmo que querer lavar a lama com a lama.
    Se Serra for eleito, seu governo também colherá frutos do governo Lula, quer ele reconheça ou não.
    Assim como Lula colheu frutos da era FHC, quer ele reconheça ou não.
    Que as atitudes parciais dos candidatos não obscureçam o debate aqui, pelo menos.

  9. Luana de Medeiros Botelho comentou:

    Desculpem os erros anteriores, segue meu comentário, revisado!
    Prezado Raul, e car@s leitores,
    Realmente, faz falta um debate mais consistente e ponderado nessas eleições. Ainda não sei dizer se os termos da conversa melhoraram ou pioraram em relação ao 1o turno.
    De qualquer maneira, é uma bobagem atribuir somente a um lado ou somente a outro o ainda baixo nível do debate.
    E a atitude de Lula em colocar esse falso dilema é apenas um sintoma disso. E é sintoma também, infelizmente, de como as eleições são guiadas pelo modus operandi da mídia e do marketing.
    Mas o mais triste é esse “modus operandi” tomar conta de outros espaços, que poderiam ser o oásis para intleigências sedentas, que no entanto acabam encontrando um debate irracional e mitigado em espaços onde ele não seria “necessário”, como aqui neste blog!
    Por exemplo: vim aqui ler seu blog, e devo dizer que acho leviano comparar Lula a Hitler. Por mais erros que haja, é absolutamente leviano, me desculpe, tomar dessa maneira algo da trágica profundidade que foi o genocídio empreendido por Hitler e seus cegos e autômatos seguidores.
    Por mais que vc não faça essa associação direta, foi essa a terrível consequência das mentiras de Hitler, e não é possível falar dele sem evocar esse grande mal. Isso, obviamente, não tem absolutamente nada a ver com genocídio o fato de esse governo ter tirado da pobreza milhões, e de ter alçado à classe média outras dezenas de milhões. Com erros e com toda a raiva que possam pesar sobre o PT, foi justo esse governo que evitou a morte de muitos brasileiros. Não fazer esse tipo de ressalva nesta terrível comparação é, a meu ver, algo grosseiro e desproporcional. Não o considero, contudo mal intencionado. Essa operação certamente é fruto do inconsciente.
    Assim como opositores deveriam enxergar os méritos do governo Lula, eu enxergo que foi Serra quem promoveu mehorias na saúde deste país, que beneficiaram mtas pessoas e certamente evitou também muitas mortes. Eu não o compararia a Hitler apenas para conseguir alguns votos ou para descarregar minha raiva. EStou tentando não cair nesse jogo fácil em que, infelizmente, mtas outras pessoas q votam 13 como eu estão caindo.
    Ficou faltando aqui neste texto, assim como está faltando na campanha de Lula, uma melhor ponderação p/ reconhecer ganhos e avanços empreendidos por opositores.
    Para utilizar como referência a psicanálise, citada por outra colega que aqui comentou, Raul, vc ao criticar Lula está justamente tomado pelo fenômeno da projeção – atribui ao outro algo que tem a ver com seu comportamento, mas q só qdo praticado por outra pessoa vc se torna capaz de enxergar.
    Eu, do meu lado, estou no exercício de ñ arrefecer o diálogo, a ponderação e a capacidade de me posicionar sem ignorar ou aniquilar “o opositor”: SENDO ASSIM, apesar de votar 13, tendo a concordar com Serra, qdo afirma q numa democracia, os opositores ñ devem ser tratados como inimigos q se necessita aniquilar.
    Sinto mto, Raul, que vc tenha entrado nesse tipo de atitude, afinal comparar Lula com Hitler é desmedido. Sinto mto tbm q o próprio Serra não consegue impedir sua campanha de entrar nesse jogo, apesar do belo e acertado pensamento que ele veicula sobre o debate numa democracia. E assim… a campanha de Serra tbm tenta destruir o opositor, apenas desqualificando-o sem reconhecer-lhe os méritos. Uma das coisas mais baixas do maketing da campanha Serra, aliás, é a mensagem subliminar que vem com aquelas frases de “deixa esse Brasil nascer”. Não preciso me alongar aqui.
    Tomara que todos nós consigamos recusar todos os males, independente de ele vir do lado que apoiamos. Eu recuso a falta de ponderação da campanha de Lula.
    E vc?
    Vc quer repor um falso dilema, p/ combater o falso dilema. O mesmo que querer lavar a lama com a lama.
    Se Serra for eleito, seu governo também colherá frutos do governo Lula, quer ele reconheça ou não.
    Assim como Lula colheu frutos da era FHC, quer ele reconheça ou não.
    Que as atitudes parciais dos candidatos não obscureçam o debate aqui, pelo menos.
    Espero sempre o melhor do senhor, sr. Raul. Espero que se supere depois deste post, assim como já o vi superar-se outras vezes aqui no blog.
    Respeitosa e fraternalmente.

  10. RAUL;

    É lamentável o que estão fazendo com o povão brasileiro. A continuar nesse “status quo” ainda vamos ver muita enganação, robalheira e o que é pior as mentiras favorecendo descaradamente aqueles que metem a mão no dinheiro público.
    A oposição tem que ser mais agressiva a fim de mandar os PETRALHAS de volta para casa(aquele lugar que eles vão ver o sol nascer quadrado).
    Raul, mais uma vez parabéns pelo ,posicionamento e pelos textos.

  11. Nilson Oliveira comentou:

    Raul,
    Excelente análise. Temos no país hoje um vendedor de ilusões ao povo mais pobre, que seguramente vai ajudar a pagar a farra dos bancos que nunca tiveram tanto lucro como agora. Enquanto isto a população brasileira tem 600 milhões de cartões nas mãos e uma dívida de 10 salários em média por cartão, vai seguramente pagar esta conta.
    att
    Nilson

  12. Maria Pierdomenico comentou:

    Caro Raul,
    Fico bastante triste ao receber este texto de você. Quando conheci você através do Fabrizio, embora sempre em lados opostos, você tinha muito mais discernimento e argumentos para fazer as análises econômicas, sociais,políticas, etc. Sempre o respeitei embora fazendo parte de Partidos Políticos opostos(?). Hoje posso falar sem a emoção que movem os fervoros e fanáticos, pois não sou mais filiada a partido político nenhum. Posso fazer críticas ao PT ou a outro partido político e reconheço que em todos existem acertos e erros, e é por isso que meu voto será em DILMA, pois não dá para reconhecer as conquistas que vieram com este governo. Foram conquistas que tiraram milhares de pessoas da linha da miséria e, você sabe bem disso.
    Fico muito triste, pois sei que você não se resume a este texto tão raso e rancoroso.
    Continuo acreditando que você é muito mais que isso…
    Abraços fraternos e menos ódio e mais amor no seu coração.

  13. Maria Pierdomenico comentou:

    Ratificando o texto acima por erro de digitação:
    “…que movem os fervorosos…”
    “…pois não dá para não reconhecer…..”

  14. Caro Raul.
    Compartilho com as suas colocações nesse texto, mas é lamentável que a população maior do país não vê da mesma forma.Enfim, aguardemos o dia 31, que mostrará realmente o que o povo pensa(ou não pensa?)

  15. Fafi Pontes comentou:

    Caro Raul,

    está difícil…..primeiro as pesquisas. Não acredito na sua votação de 35000 votos. Nem a pau, Juvenal! Aí tem!
    Não acredito em tantas baboseiras enfiadas goela abaixo do bolsaesmola televisisvo. Ontem o debate foi um desastre, mas o que esperar de um governo que perigas dizer que veio com Cabral e era dono dos mapas?
    Tudo de bom foi o PT que fez… e antes….ah! antes era o caos…..O PT foi o BigBang luso-tupy!
    Suas considerações são dignas de figurar em jornais de circulaçao nacional! Mas, sinto um desânimo grande nesse segundo turno.
    Na minha pequena pesquisa, que dá uns 150 eleitores, só dá Serra. No primeiro turno, idem. Só espero que a preguiça não vença a cidadania.
    Abraços pé na areia.

  16. ORLANDO MORENO comentou:

    Não há mentiras e sim verdades pois de acordo com a história após o impeachment do presidente Collor ,o Sr Itamar franco seu vice, assumiu interinamente o papel de chefe-de-Estado e chefe-de-governo em 2 de outubro de 1992 e o papel de Presidente da República em 29 de dezembro de 1992. Foi em seu governo que foi realizado um plebiscito sobre a forma de governo do Brasil, que deveria ter sido feita há 104 anos; o resultado foi a permanência da república presidencialista no Brasil. Durante sua incumbência, foi idealizado o Plano Real, elaborado pelo Ministério da Fazenda( FHC). Foi sucedido pelo seu Ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso.

    Opondo-se fortemente a seu sucessor, Itamar cogitou candidatar-se a Presidente em 1998 e 2002, mas não prosseguiu com a ideia e elegeu-se facilmente Governador de Minas Gerais em 1998. Em 2002, apoiou a candidatura de Luís Inácio Lula da Silva e opôs à candidatura de José Serra, candidato apoiado por Fernando Henrique.
    Hoje estão os dois do mesmo lado….Política é isso , só política

  17. NALVO VIANA comentou:

    meus amigos ao ler este texto reflitam bem pois não queremos transformar que o brasil se transforme em uma venezuela (de hugo chaves) estamos caminhando pra esse contesto, então no dia indicado para fazer valer seu direito de cidadão faça reflita bem não se arrependa depois ai sera tarde? depois só daqui a 4 anos
    abraços nalvo miracatu são paulo

  18. NALVO VIANA comentou:

    meus amigos ao ler este texto reflitam bem pois não queremos que o brasil se transforme em uma venezuela (de hugo chaves) estamos caminhando pra esse contesto, então no dia indicado para fazer valer seu direito de cidadão faça reflita bem não se arrependa depois ai sera tarde? depois só daqui a 4 anos
    abraços nalvo miracatu são paulo

  19. gilberto elias comentou:

    Caro Raul
    Sempre oportunos e magníficos seus textos.
    A novidade agora é a concorrência do Metrô. O blog Coturno do Coronel mostra aonde nasce outra mentira. Vejamos. São apenas 17 empreiteiras, para 6 trechos do metrô (do 3 ao 8). 2 trechos só 2 poderiam disputar pois só elas 2 possuem o equipamento necessário para esses trechos. Sobram 4 trechos para serem disputado. Com apenas 100 combinações mais ou menos, 2 a duas, pode-se chegar ao resultado finál sem absolutamente nenhuma possibilidade de êrro. Todas registradas, cada uma nos mais de 200 cartórios existentes na grande São Paulo, e se tem o belìssimo resultado petralha da Folha de São Paulo. Outra farsa montada, tipo pegadinha. Ella mente, dirá outra vez o Serra no debate da Globo de 6ª feira. Elles nada aprendem e nada esquecem! Forte abraço.

  20. gilberto elias comentou:

    Caro Raul,volto aqui.

    Petralha é fogo, veja a tal Luana acima. Elles usam recortes a seu bel prazer. Bem ao gosto da manipulação das massas. Você falou de Goebbs, chefe da propaganda nazista, que falou milhões de vêzes a mesma mentira que no finál 86% da população alemã aprovava o hitler. A petralha já interpretou, parece psicanalista,que você comparou o molusco com o assassino.Diga a ela que não somos nada parecidos, nossos DNAs são diferentes, o nosso não é forjado em mentiras, o nosso luta pela democracia, o deles você bem sabe, luta pelo PNDS3, aquele que quer amordaçar a livre expressão de idéias, o direito de todos se expressarem sem repressão ou tutelas. Nós não somos como o molusco que diz que a opinião popular é a sua opinião. Por sermos democratas até votamos nelle um dia contra aquelle batedor de carteiras de Alagoas. Êrro histórico! Hoje carregamos nas costas essa imundície. Que Deus nos salve no dia das bruxas, ONDA AZUL em cima delles, 45 pra serra-llos.

  21. gilberto elias comentou:

    Caro Raul, voltei outra vêz.
    Difícil, né. O Serra formado em economia na Yalle, universidade Americana, elaborador do plano Real, não ter méritos pra faze-lo, e a dillment, que quebrou lojinha de 1,99 ser o orgulho desses petralhas. Aliás, dra aonde? Voce tem que moderar esses debates pra não ficarmos lendo essas besteiras.Abraços.

  22. Mirian Corrêa comentou:

    Caro Raul.
    Perfeito o seu comentário. Parabéns, você colocou em seu texto exatamente o que muitos gostariam de revelar. Lamentamos, que alguns cegos pelo fanatismo partidário ainda não conseguiram perceber os desmandos, a corrupção e as falsas revelações desse “maldito partido”. Coitados dos nossos jovens!! Que péssimos exemplos, que valores a serem construídos por esses falsos governantes!! Mas, o fanatismo é cego, destrói a capacidade de reflexão e da percepção de pequenos – grandes detalhes. Vamos confiar na capacidade de um povo, que ainda é capaz de avaliar o que será melhor para a construção de um país mais digno e mais honesto. Se não for ainda possível pra nós, que seja para o bem de nossos filhos. Um grande abraço.

  23. Klinger Sousa comentou:

    Meu grande amigo Raul!
    Mais uma vez você me provoca a um comentário. Não me deterei aqui na superfície de seu argumento que tem o viés da propaganda (registre-se legítima já que estamos em campanha e você tem lado nesta disputa)pretendo apenas contra-argumentar sobre um único ponto que me pareceu curioso que tivesse sido desenvolvidos por você neste texto.
    Trata-se de sua ideia acerca do “falso dilema” proposto pela nossa propaganda política (digo nossa por ser petista e me manifestar como tal, afinal estamos em campanha e eu também tenho lado), ora! Esta comparação entre os dois mandatos de governo tucano-FHC e os dois mandatos de governo petista-Lula não é sequer um dilema quanto menos verdadeiro ou falso.
    Esta é uma demarcação de arena, é o campo da disputa que nos interessa levar a público para promover o debate político. Queremos que o povo compare realizações, políticas públicas, o jeito de fazer as coisas e os seus resultados. Nós (petistas, lulistas e simpatizantes de ambos) consideramos os últimos oito anos de governo mais virtuosos, mais profícuos e de melhores resultados que os anteriores. Toda a campanha do PT foi anunciada nos termos de uma comparação entre governos e isto nunca foi escamoteado.
    Ocorre, no entanto, meu amigo, que o PSDB não topou esgrimar nesta arena (muito provavelmente por um cálculo político que lhe mostrou a desvantagem de levar o debate para uma comparação de governos)e tentou propor um outro campo de debate a arena da biografia pessoal entre os candidatos. José Serra trouxe para o debate político a sua história, as suas ideias, o seu passado rifando com isto o seu partido, os seus parceiros de luta, os seus mandatos e govenos de que participou, tudo isto na tentativa de levar a sociedade a discutir a figura do presidente e não as suas propostas e a capacidade efetiva de realização.
    José Serra trouxe a lide a questão dos valores e das convicções pessoais do candidato como tema de campanha para que isto fosse usado pelo eleitor como métrica da disputa. Foi algo calculado. Não se trata aqui de tentar qualificar ou desqualificar qualquer das estratégias, trata-se de evidenciar que neste diapasão sua argumentação histórica (que tem inúmeras inconsistências já pontadas em vários outros comentários) é irrelevante nos termos que a campanha de seu próprio partido escolheu para conduzir a disputa. Tentar resgatar agora os feitos do governo tucano-FHC é bobagem! Não foi o PT que os escondeu, foi José Serra que se distanciou de FHC e de tudo que o seu governo realizou, foi ele (e seus marqueteiros) que apagaram a memória do governo tucano em nome de uma aposta de que o povo brasileiro ignorante e despolitizado (no cálculo dos iluminados do marketig tucano)embarcaria na personalização da campanha e na comparação das histórias de vida e convicções dos postulantes ao cargo de Presidente da República e não no legado de seus governos.
    É cedo ainda para falarmos sobre qual estratégia se sagrará vitoriosa, no entanto, já é tarde para que reconheçamos a trincheira em que estamos lutando.
    Um abraço fraterno
    K.

  24. Célia Fontes comentou:

    QUE AMANHÃ A SORTE ESTEJA DO NOSSO LADO.
    ABRAÇOS.

  25. Fafi Pontes comentou:

    Como acredito piamente que Deus protege este país, sei que amanhã as urnas serão azuis, com Serra presidente.
    Caso o contrário vença, é orar e subir o Monte Serrat a pé, que é dessa fé e quem não for que mexa seus pauzinhos, que o tal de netinho já saiu para a prefeitura de Sampa e 2 anos depois, tentará a governatura. Que país é esse?????
    Então amanhã, vamos lá: SERRA PRESIDENTE!!!!!!
    Bracim Raul!

  26. Maria Pierdomenico comentou:

    Viva a DEMOCRACIA.
    DILMA, a nossa 1ª presidente mulher no Brasil.
    Viva todos os brasileiros!!!!

  27. Luana de Medeiros Botelho comentou:

    Olá Raul, e Gilberto Elias.
    Eu não sou “tal Luana” como você, Gilberto, a mim se referiu.
    Sou Luana, mesmo. Nome, sobrenome, opiniões, argumentos.
    ARGUMENTOS, e não a sugestão antidialógica e pouco eficiente/inteligente/corajosa de pedir a Raul que modere comentários, fazendo alusão ao meu como um possivel candidato à exclusão.
    O respeito e interesse que tenho pela figura de Raul, a partir do que acompanho no blog, é justamente a forma clara como assume posicionamentos e se dispões/expõe ao debate.
    Ao não moderar os comentários, mostra coragem e solidez.
    Você, infelizmente… se mostra signatário de quem sabe uma vontade inconsciente de censura…rs…
    (Olha eu analisando e interpretando! rs… irritante não? A suposta petralha insolente… E o que mais vc teria a oferecer, além de sua IRRACIONAL irritação?!)
    Klinger Sousa sim, contribuiu com uma resignificação para mim, porque afirmou:
    “Não me deterei aqui na superfície de seu argumento que tem o viés da propaganda (registre-se legítima já que estamos em campanha e você tem lado nesta disputa)”
    Ele sim, provavelmente leu comentário meu, ou da Maria Pierdomenico, ou por sorte veio ao encontro de colocações nossas, e elegantemente rebateu, fazendo-me levar em conta seu argumento de que a superfície do argumento de Raul teria alguma pertinência por conta da disputa política em jogo. Diante de tal comentário, aí sim minha interpretação sobre as motivações inconscientes de Raul ficam ingênuas.
    Quanto a você, Gilberto, a quem me dirijo assim, diretamente e frontalmente, e não de lado e com desprezo… você, Gilberto, refere-se a mim como petralha, e “a tal luana”. Se diz que sou do PT, ao chamar-me de petralha, em primeiro lugar errou. E ademais, creio que seu comentário sim deveria ser moderado, não por conter “análise tendenciosa, superficial, errônea”, como faz crer que pensa a respeito do meu.
    O seu comentário sim mereceria uma moderação, por declaradamente se referir a uma possível interlocutora e também leitora do blog (com tanto direito a sê-lo qto você!)com tom de desprezo e teor ofensivo.
    Não vou, todavia, fazer-me de vítima ou exigir a moderação.
    “O castigo do mal é sua própria condição”.
    Seu erro maior é fiar-se nele, e tornar pública a fragilidade de seus argumentos. Nada cavalheiro o tom, pouco inteligente o raciocínio.
    Ao mesmo tempo, agradeço, porque por contraste, acabo gostando ainda mais de Raul, de estilos e conteúdos como o de Klinger Sousa, e de todos os demais comentadores, que sem se oferecer ao jogo fácil do ataque direto e desdenhoso, expressam raciocínios, argumentos, e me fazem compreender melhor como pensam, quantas podem ser as diversas opiniões.
    Ah, sim, vc deveria voltar a ler meu comentário. Principalmente para ver como, acusando-me de fazer um recorte ao meu bel-prazer, você é que no fundo faz isso no resultado do que afirma ao meu respeito e meu posicionamento. Pouco ponderado de sua parte, ao contrário do que procurei fazer no meu comentário, que levam em conta as qualidades do Programa de Governo opositor àquele em que votei.
    Ah, e continuarei sim a visitar o blog. E a comentar.
    Que delícia que é a democracia.
    Viva dilma, a 1ª presidente mulher no Brasil.

  28. Luana de Medeiros Botelho comentou:

    Ah, sim – retificando-me:
    Percebi que você, Gilberto Elia, sugeriu a moderação mais diretamente de outro comentário, e não do meu.
    Afirmou, dentre outras coisas, que Serra formado em Economia teria muito mais condições do q Dilma, sobre quem você não apresenta argumentos contrários, apenas mostra de novo que se fica na desqulificação de pessoas para afirmar uma suposta superioridade de políticos e ideias que defende.
    Portanto, de fato, além de eu não querer, não haveria nem motivo pra tomar essa sua sugsetão de moderação como algo pessoal.
    De qualquer modo, meus argumentos contrários sobre esse tipo de postura – pedir moderação de comentário que pensa errôneos, inconsistentes e até desprezíveis – continuam válidos.
    E sobre o argumento do diploma como forma de qualificar melhor um político, reproduzo comentário que fiz em outro post deste blog, cujo assunto era educação (ao qual eu acrescentei o preconceito):

    Sakamoto, ótimo jornalista, afirma, de um jeito muito feliz,e reproduzo aqui:
    “Eu não acho que o que faço é mais digno do que um gari, um garçom ou um faxineiro. Sem demagogia, apenas é uma divisão de trabalho.
    Quem se acha melhor porque estudou mais precisa fazer terapia. Ou ler Patativa do Assaré.”
    O tom e o teor dos lamentos no twitter dos eleitores de Serra, que atribuem o “mal-feito” da eleição de Dilma ao nordeste, tem absolutamente TUDO A VER com isso que é revelado aqui:
    http://blogdosakamoto.uol.com.br/2010/11/01/breve-comentario-sobre-preconceito-no-twitter/

    Educação é fundamental para o país sim.
    Arrogância não.Preconceito também não.

  29. Luana de Medeiros Botelho comentou:

    Continuando esse debate sobre o quanto um diploma qualifica o argumento e a capacidade política de alguém, eu sugiro alguns links, e a reflexão: será que posicionamentos e orientações políticas diversas não são simplesmente posicionamentos e orientações políticas diversas?

    http://www.gazetadopovo.com.br/votoconsciente/conteudo.phtml?tl=1&id=1062405&tit=Federais-dao-apoio-a-politica-educacional

    http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/7283

    Será que meter diploma no meio, pra dizer quem é mais qualificado ou não, não é pura falácia, preconceituosa, e totalmente EM DESACORDO com nossa CONSTITUIÇÃO, que vê TODOS OS CIDADÃOS BRASILEIROS como passíveis de exercerem um mandato público, com ou sem diploma universitário? A ineligibilidade seria reconhecida em caso de analfabetismo, e não de baixa instrução formal, já que a segunda seria claramente discriminatória.
    É evidente que um melhor acesso à educação de qualidade aumenta as chances de uma consciência política desenvolvida. Mas não é condição sine qua nom. Quem pensa isso é, por princípio, antidemocrático. Democracia = governo do povo, pelo povo. E se nosso povo ainda é tem pouco acesso à universidade?!! E aí, vamos confiscar os direitos políticos deles? E vamos eleger somente diplomados? Quer dizer que “o Lula não valeu”?
    Não estou sugerindo que alguém afirmou isso aqui nos comentários, estou apenas alertando para possíveis desdobramentos e consequências de certo tipo de argumento.

  30. Celia Fontes comentou:

    É! O Pero Vaz de Caminha devia estar delirando quando escreveu tudo aquilo! Na verdade, o Brasil só foi descoberto no século XX pelo Sr. Lula da Silva. Feliz Ano Novo.

Nome:

Email:

Site:  

Comentar: