Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Blog do Raul

O fim da linha de Cuba !

Cuba, Fidel Castro e Chê Guevara marcaram muito a minha juventude e as gerações que me antecederam. O espírito revolucionário que derrubou o regime oligárquico-ditatorial cubano e implantou um governo popular nos animava ao enfrentamento do regime militar no Brasil, adversário da democracia e da reunião de forças políticas e populares no governo do nosso país. Nossa luta aqui perdurou de 1964 a 1984, quando perdemos a luta por eleições diretas para a presidência da República, aceitamos a escolha de José Sarney pelo Colégio Eleitoral no Congresso Nacional e atravessamos o abismo da ditadura para a chamada Nova República. Apesar de tudo mantivemos acesa a chama do idealismo, renovando idéias e comportamentos, até o testemunho dos últimos acontecimentos lamentáveis desde Cuba.

Juro que me vejo incomodado com a visão arcaica de Fidel Castro e com o desmoronamento do regime que sonhou e ainda mantém a ferro e a fogo. Acho inaceitável o papel de cúmplice da repressão política e da violação dos Direitos Humanos na América Latina, sintomas do atraso, quando vivemos praticamente uma 5.ª Revolução Industrial. Não estamos mais suscetíveis a martelar com romantismo os referenciais da década de 60, que na história da minha geração e de duas anteriores, além de ter sido marcada por um sabor de inocência e lirismo nas manifestações sócio-culturais, de idealismo e entusiasmo no espírito de luta do povo, nas experiências com drogas, revolução sexual e protestos juvenis contra a ameaça de endurecimento dos governos. Mesmo assim conto isso aos meus filhos com o orgulho da minha natureza política e ainda exibo fotos de uma viagem em missão do governo brasileiro a Cuba em 1996, inclusive ao lado de Fidel.

Mas nunca tive laços de amizade com Fidel, como revelam sem constrangimento os atuais ocupantes do governo federal brasileiro e da militância do PT. Atravessei a fase de idolatria revolucionária, focando prioridades com a alfabetização, a educação para o emprego, a melhoria da qualidade do atendimento na área da saúde, o combate a corrupção, ao terrorismo e aos bloqueios políticos e econômicos desde o fim da Guerra Fria e o símbolo da derrubada do muro de Berlim. Fidel Castro explicitou recentemente, para mim soando nostálgico, que muitas gerações acreditaram e apoiaram a sua revolução, porque conseguia mobilizar gente atuante na ciência, na técnica, no trabalho, professores, intelectuais, jovens, estudantes.

Lamento que Fidel tenha se transformado numa figura errante, sobrevivente dos ideais revolucionários e encantado com a bajulação de esquerdistas caquéticos do Brasil e dos simpatizantes do neo-revolucionário bolivariano Hugo Chavez. Sei que um comentário dessa natureza, distante da linha comum da cobrança pura e simples de uma posição do governo do PT em relação a morte do dissidente cubano Orlando Zapata, morto em razão de maus tratos sofridos durante a sua prisão em Cuba, agravados pela greve de fome que manteve por mais de 80 dias, desagradará “companheiros”. Serei confinado na “direita” e na combinação de opositor lulopetista/tucano neoliberal (sic), que rasgou a “parte boa da biografia”. Não me importo com isso, minha preocupação está mais voltada a dignidade humana e a perspectiva emancipatória e de sobrevivência das pessoas

Cuba precisa de ajuda. O seu povo sofre, apesar da cultura, conhecimento e consciência, legados importantes da Revolução Cubana. O Brasil deveria aproveitar esse momento de “prestígio” político com a família Castro, posicionando pela democracia, liberdade e solidariedade. Por uma questão de princípio e de compreensão da realidade, o atual governo federal deveria considerar inegociável uma parceria tecnológica para produção e de investimentos para a recuperação econômica daquele Estado, sem o início da reconstrução da democracia. Não quero prosseguir acreditando que o presidente Lula esteja conivente com a similaridade histórica do holocausto e da opressão que vive o povo cubano.

Dizer amém aquele modelo político hoje, diante de todos os sinais de socorro emitidos da Ilha de Cuba, impõe compactuar com o atraso, o refluxo do esquerdismo e as ameaças contra as liberdades individuais. Em nosso próprio território, o governo Lula combina o seu pensamento autoritario para validar o polêmico Programa Nacional de Direitos Humanos, também rechaçado por toda a sociedade. O assessor para Assuntos Internacionais de Lula, Marco Aurélio Garcia, justificou a defesa da falta de liberdade de expressão e dos direitos humanos em Cuba, relativizando que “há problemas de direitos humanos no mundo inteiro”. Assim é possível compreender o silêncio de muitos e a mudança de posição de poucos, que felizmente tiveram a capacidade de despertar no meio desse pesadelo !

Compartilhe

12 comentários em “O fim da linha de Cuba !”

  1. Leopoldo Pontes

    Caro Raul

    Uma revolução pode durar algumas horas, dias, semanas, mas não mais de cinquenta anos. O que vemos em Cuba é um “stablishment” ditatorial. O verdadeiro socialismo nunca ocorreu naquele país, como em nenhum do leste europeu. Assim como o capitalismo se perdeu no monopolismo, deixando-nos a mercê da ditadura dos ricos contra os pobres.

  2. Caro Raul, por ter idade próxima a sua os fatos descrevidos tem grande propriedade, é sabido que valores políticos tem mudado ao longo destas decadas, mas um valor que é o da dignidade humana e a liberdade de expressão tem que ser preservado, independente de qualquer ideal. Como disse Voltaire “Discordo daquilo que dizes, mas defenderei até a morte o teu direito de o dizeres.”

  3. PAULO MATOS

    Quem mudou, Raul? você ou Cuba? Cada país tem as suas peculiaridades, as suas idiossincrasias, ainda que os EU não admitam nada fora do modelo que impõe ao mundo. A verdade de Cuba, da Venezuela, do Equador, da Bolívia, da Nicarágua não ocorrem por acaso, são eventos de reação ao domínio do atraso, da obediência as oligarquias do DEM, que representam os colonizadores.O PDH brasileiro é rejeitado sim, mas pela burguesia, pela imprensa atrelada a corrupção, pelos torturadores, pelos militares e pela direita e associados, pelos atrasados, pelos canalhas. Sobre a visão da “democracia”, lembro-lhe Lênin, que não era leniente: democracia para quem, para a burguesia ou para os trabalhadores? Olgária Matos perguntaria, para nós quem cara pálida? Sai de baixo antes que a casa caia! Eles não passarão!

  4. Raul,
    Fidel & cia sempre foram exatamente como são. O que havia era uma miopia generalizada, disfarçada pelos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade – sendo o primeiro um dos conceitos mais “interpretados” da história da humanidade.
    Mas, pior do que isso é a continuidade da aprovação a Fidel & cia mesmo quando suas práticas já não são aceitáveis nem mesmo por aqueles que um dia a apoiaram – me refiro aos brasileiros que ainda hoje adulam o regime Cubano.
    E aí é que mora o perigo: se PT & cia aprovam tanto aquela forma de governo, não é equivocado supor que talvez o queiram implantado por aqui, certo? Apenas as várias tentativas de controlar a imprensa são suficientes para tal diagnóstico – e reprovação, ao menos de minha parte.
    Ah! para embasar o que disse logo no início do texto, basta ler a definição dos movimentos dos quais a Dilminha participou quando jovenzinha: movimentos políticos-militares com o objetivo de tomar o poder e implantar o socialismo. Ponto. Assim mesmo, sem qualquer citação a liberdade, igualdade, fraternidade.
    Só não vê quem não quer.
    #prontofalei

  5. luiz freitas

    Tudo ….tudo que vc comenta …por vezes muito boa artigo…lamentavelmente se perde quando de uma forma ou outra vc mistuara com o atual governo…não importa como desde que seja para bater….ORA BOLAS….como fede a politica.
    Fidel lá ….Lula aqui…nada igual …dá um tempo.
    O CAMINHO PARA QUEBRAR O REGIME É …INVESTIMENTO E ABERTURA DO COMÉRCIO EXTERIOR….PAREM AMERICANOS E SEUS COMPARSAS DISFARÇADOS DE DEMOCRATAS OU SOCIAIS DEMOCRATAS

  6. Raul, alerta vermelho na oposição demotucana! A boca do jacaré está se fechando…

  7. …Caro Raul,

    Fidel, Raul, Chê, todos tiveram seus momentos importantes na história cubana. Infelizmente a posição dos governos conservadores norte-americanos forçaram o regime de Cuba a se fechar, Claro, os tempos são outros, mas o capitalismo se reciclou não para melhor, mas aprofundou a exploração do homem pelo homem através de uma nova roupagem: o neoliberalismo.

    Se os dirigentes cubanos erram em manter o país politicamente fechado, fazendo com que presos políticos morram de fome em protesto, o capitalismo erra em continuar, através dos bancos, grandes empresas e imensos latifúndios, explorando o homem e mantendo a desigualdade social, a falta de saúde e educação públicas com qualidade. Sempre lembro aos amigos o exemplo da França, onde o trabalhador luta pelos seus direitos, fazendo greves gerais quando necessário. Aqui, a maioria dos governandes e as elites criticam as greves, sufucam o trabalhor de forma velada, tanto é que não se vê quase mais manifestações dos trabalhadores. Mas, para não fugir do assunto, relembro: se Cuba não mudou, também não mudaram os capitalistas, os neoliberais, incluindo os deste Brasil.

    Conheço bem você e sei que não mudou, que não aprova hoje em dia as diferenças sociais, o capitalismo selvagem que ainda existe, embora agora mais camuflado, que persiste no Brasil e na maioria dos países do mundo. Você segue defendo os mesmos ideais da sua juventude.

    Se deve Cuba mudar sua postura política, e acho que deve, também os seus críticos mais ferozes, os conservadores que defendem a manutenção de um sociedade sempre desumana, agora com nova denominação, devem mudar a sua forma arcaica de ser. Até lá, poucos líderes políticos terão envergadura moral para criticar Cuba e sua política interna.

    Abraços, David.

  8. Admito que o principal motivo para vir a este blog são os comentários do Paulo Matos, sempre magníficos.

  9. Todo fim pede um começo, vira com o terceiro movimento

    “Do controle absoluto”
    Esta pedindo dissolvição, do voto

    Nada de novidade na pesquisa, isso era esperado pelo ton dos eleitores nos bastidores dos botecos

    A decisão da eleição, e dos eleitores

    Que ainda vota por ser obrigado, chegara o dia do voto ser livres, ai sera o fim do contrelo desse controle absoluto

    Ainda no ar pedindo um atalho para o fim dos controles ainda existentes valorizar a nossa existencia como a melhor obra prima, sem ela tudo que o mundo tem, e nada sera a mesma coisa sem a nossa presença, há se a natureza falasse iria agradecer em voz alta, a nossa ignoranica primitiva entre-nos nos tempos modernos

    Isso sera realidade, junto com o surgimento do terceiro movimento

    Entre duas cabeças careca, a masculina e a femenina, esta na preferência pela visão correta concordando que o que o ópovo, mais precisa para nossos descendentes formação na era certa da vida de todos, cura ate o clima da natureza e o clima entre-nos

    Educação pessoal profissional desde a barriga da mâe ate o fim da vida

    O PT assim como todos pegaram carona com as sugestões, que o PSDB dispensou a Educação dos nossos descendente foi largada

    Só para ter uma ideia, quando foi enviado a sugestão do projeto de braços abertos com dolar no bolso e lucro no banco

    Para receber os turistas do mundo inteiro, criar a maior universidade de guias turisticos do mundo, ate exportando para o mundo

    Assim como especialista em todas as areas profissionalizando tudo

    Assim como todas as praias, com alto padrão a nivel de exportação

    Para quando a economia entrasse em alta, nos estariamos se preparando e pronto para o momento de ouro que apenas começou a brilhar para deslanchar,

    Nada mais faz um País crescer do que investir na educação que forma todos nossos descendentes, na moradia acompanhada de toda infra-estrutura que de carona elimina, quase todos problemas de saude, ficando a medicina preventiva, e a segurança para a ser segurança

    Nunca ninguem deu tanta importancia para isso como estão dando agora, isso explica porque as pesquisas estão vindo nessa direção

    Assim como ninguem entendeu isso, nem a frase da ficção ainda, mas esta chegando o dia de entender

    Se o Lula não fizer nada, já e um milagre, se fizer nem precisa de milagre

    Pra destruir se podemos construir

    E a natureza atraves do clima quente que vem pela frente esta dando esse aviso, cuide de mim se não, serei mas forte que todas as guerras

    Ainda queremos guerras que nos destruira de vez, pra que todos virem bruxos nos contos de fada, que estara na historia do bruxo de Benjamin Constant

    http://www.ficcaoglobalizada2015br.blogspot.com

  10. Marcio Calves

    Caro Raul

    Também cresci em meio a linda história da Revolução Cubana, derrubando a violenta ditadura de Fulgêncio Batista, sempre mantida pelos EUA.
    Temos que ter muita isenção, e informação, para analisarmos o atual momento de Cuba.Não podemos nos deixar levar pela propaganda contra os Castros, liderada pelos Eua e seus satélites.
    Cuba e a Revolução precisam ser analisados levando em consideração o isolamento que viveram e ainda vivem do mundo desenvolvido, novamente sob a liderança dos EUA.
    Será que em condições normais não teria avançado muito mais?
    Assim mesmo, Cuba é referência em Saúde e Educação.
    Nessa viagem que termina hoje, acho eu que em El Salvador, Lula foi muito feliz, ao alertar sobre o perigo de opinarmos sobre a situação interna de um País, desrespeitando a auto-determinação dos povos e a liberdade de cada um decidir seu próprio destino.
    Sugiro sua reflexão e, se for ainda poss[ivel, o cultivo da velha barba. Não interessa a cor dos pelos, o importante é o simbolo. E o significado íntimo.
    Sei que a volta ao pedalar de bicicleta é mais díficil, mas você sempre foi um homem de “superações”.
    Com respeito
    Marcio Calves

  11. RAUL,
    Que o Brasil precisa mudar seu regime político para regime democrático é fato, pois esse atual é um arremedo de democracia.
    Agora concordar que Fidel esta correto e Cuba é um país de boa saúde e de excelente educação, pode até ser, mais não é o que assistimos vez e outra, os cubanos tentando fujir da ilha.
    Quando o Lula fala que não se deve se entrometer na política de outros países, os Estados Unidos e os países europeus não conta.
    Raul, também sou da sua época e nunca conseguir entender porque o Brasil esta seempre contra os Estados Unidos, me parece mais falta de competencia, e uma pontinha e que pontinha, de inveja.
    Acorda Brasil, e de a César o que lhe pertence.

  12. Roberto Gonçalves

    Grande Raul

    O PSDB tem todo direito de caminhar para o abismo reacionário, porque composto de empresários conservadores, setores atrasados nos grotões, gente sem nenhuma afinidade com o PSDB que nós fundamos em 1988.
    Embora ainda tenhamos muita gente como nós, humanistas e coerentes com nosso passado, entricheirados nas fileiras tucanas, não somos mais maioria no pensamento hoje predominante no partido. O PSDB nasceu no arco de centro-esquerda, inclusive na análise da política internacional.
    Criminalizar Cuba, uma pequena nação, covardemente bloqueada pela maior potencia economica e militar que o planeta já conheceu, é fazer o jogo dos eternos inimigos daquilo que entendemos por humanismo, liberdade, democracia e socialismo. Somos expoentes da esquerda chapliniana, aquela constituida de pessoas rigorosamente do bem, optantes do caminho socialista exatamente porque são humanistas, assim como Charles Chaplin.
    Massacrado pelos Estados Unidos, com a cumplicidade, explicita ou camuflada, da América Latina, Cuba não teve condições de oferecer a seu povo os instrumentos necessários a democratização tão cobrada pelas democracias burguesas, aquela, como a nossa, onde a massa é conduzida pelo poder economico das elites.
    Mesmo oprimida, Cuba deu ao mundo o exemplo de resistencia, avançando em educação e saúde de primeiro mundo, enquanto os Estados Unidos vivem se debatendo no como resolver o problema da saúde.
    Cuba elimina a oposição de forma condenável em qualquer instancia civilizada. O Brasil elimina a dignidade humana em filas de saúde, previdencia, bancos, empregos, direitos fundamentais, educação e acesso aos bens da cidadania. O Brasil é o país de filas nas loterias, revelando um povo desesperado para vencer na sorte grande, num ímpeto individualista condenável, ignorando a organização,caminho mais curto para o exercícicio da cidadania.
    Cuidado com o desvio reacionário em seu maravilhoso currículo humanista e, principalmente, no seu jeito historicamente correto de viver e entender a política.

    Roberto Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *